Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Meu Filho é Canhoto

Meu filho é canhoto.
Mas o que isso pode ter de tão importante para que alguém perca seu tempo para escrever sobre este simples fato? Para
aqueles que são destros isso pode parecer fútil e sem
nenhuma importância. Mas para ele o simples fato de
ter habilidade maior com a mão esquera faz diferença.
E muita.

Logo na pré-escola as outras crianças o criticavam por
usar a mão “errada” para desenhar. E para piorar, a “tia”
da escola insistia em fazê-lo usar a mão direita, como
se isso fosse uma escolha pessoal, algo como “hoje
vou usar a mão direita para escrever, amanhã eu uso a
esquerda”.
Já com ele um pouco mais velho eu até sentia pena quando pedia parae ele abrir uma lata. Definitivamente os abridores de latas não foram
inventados para serem usados por canhotos. Isso sem falar em algumas tesouras feitas exclusivamente para destros. O canhoto que tentar usá-las vai simplesmente ficar com a mão totalmente dolorida.
Lógico que se ele fosse destro esse preconceito não aconteceria, mas seria muito simples encontrar algum outro motivo para se criar um preconceito contra ele.
Ter dentes grandes, ser gordo, ser magro, ser feio, ser pobre, ser negro, ser judeu, ter nascido em outro estado, ter um defeito físico, etc, etc.
Seria simples listar uma série de motivos para criar preconceito contra alguém.
E qual é a nossa reação quando presenciamos alguém ser discriminado?
Muitas vezes somente rimos da situação, se ela não nos afeta. Afinal "por que eu vou me incomodar se não é de mim que riem?". E nada fazemos para combater esta discriminação.
Quando se fala de preconceito contra os homossexuais, a frase mais ouvida é: "Não tenho nada contra homossexuais, desde que eles fiquem longe de mim". Nenhuma outra
frase é mais discriminatória, pois tenta demonstrar uma falta de preconceito, mas trás toda uma carga de intolerância gerada contra uma pessoa que tem uma preferência sexual diferente da nossa.
E continuamos levando nossa vidinha, sem nada fazer.
Pena que esquecemos de nossos juramentos, onde prometemos combater o preconceito, a tirania e a discriminação. Não deveríamos ser os primeiros na luta contra aqueles que
propagam estes atos ?
Já é hora, meus Irmãos, de colocarmos nossos juramentos em prática, promovendo a vida fora dos Templos, e trazendo a fraternidade que experimentamos para aqueles que estão fora delas.
Marcio Aguiar
Enviado por Marcio Aguiar em 08/08/2006
Código do texto: T212050
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Marcio Aguiar
Osasco - São Paulo - Brasil, 48 anos
1 textos (36 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 18:32)