Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
Passeando neste recanto hoje li uma das mais belas declarações de amor que tive oportunidade de ler aqui, de uma forma que deveria ser simples a todos que amam, porém muito incomum, infelizmente, e que me inspirou a vir aqui falar de alguns pensamentos.

O que vejo como comum nos relacionamentos, por diversos fatores, é a relação em que um possue ao outro, mais do que ama ao outro, o que entendo por amar é a aceitação do outro, simples e pura.  

Creio que não trago novidades a vocês no que escrevo aqui, mas ainda acho que vale a pena colocar o meu parecer a quem possa interessar, e a quem possa servir como reflexão.

Ainda que pareça meio romântico, e não deixa de ser é claro, essa é a minha concepção de amor, do amor verdadeiramente dito, o da aceitação, e o que isso significa para mim?! significa respeitar o outro na sua forma de ser, sem esperar mudanças apesar de poder colaborar para sua evolução, se doar ao melhor e não esperar que o outro seja o reflexo de seus sonhos, pois a meu ver transformar alguém no que se espera já significa que o outro não é exatamente o que se ama.  De certo que haverão coisas que precisarão de um equilibrío até para que se respeite a si próprio, mas nada de transformações.

Exponho um pouco da minha vida particular aqui, eu vivi um relacionamento onde o ciúme foi um agravante para a saúde do meu amor, em todos os sentidos, o meu amor por ele, e o meu amor por mim, inevitavelmente as coisas chegaram a um ponto difícil, pois de fato, já havia perdido o significado do amor em minha vida, e o minha identidade, de tanto tentar evitar situações que se repetiram incansávelmente, infelizmente, de fato ainda não sei se poderia eu ter feito algo diferente para mudar o rumo das coisas, mas de fato eu tenho uma única certeza, dentro do que eu sei, fiz o meu melhor.

Considerem que eu sou "gato escaldado", mas sonhei com um amor que me visse como um pássaro, porém não dentro de uma gaiola, como uma flor, porém não num vaso de adorno de uma sala de estar, que faz definhar a beleza do seu eu interior.  

Cuidem da saúde de seu amor, tanto para os ciumentos, quanto para aqueles que estiverem na posição que eu estive, alvos deste ciúme, não sei a resposta, mas dou um alerta, nunca abandonem a si próprios para satisfazer a segurança do outro, e nunca amem alguém com a visão do que se pode perder, e sim do que ganha a cada dia que passa ao lado dele almejando a visão de como quer ver o que se ama, feliz, e ninguém é feliz se simplesmente não pode ser o que se é, e todo ser sobre a face da terra nasceu para ser "livre".

"Inspirado no Amor de Thon e Mone, que amem como se amam .. para sempre na medida de sua eternidade..."
LuRubia
Enviado por LuRubia em 08/08/2006
Reeditado em 27/05/2010
Código do texto: T212258
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
LuRubia
São Paulo - São Paulo - Brasil, 49 anos
229 textos (8236 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 00:31)
LuRubia