Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

                               "SOU O QUE SOU"

Estou escrevendo um desabafo, preciso falar, escrever, pensar, gritar!
Está sou eu, ame ou odeie, sou eu!
Não tenho como mudar este meu ser polêmico, nasci assim, o meu marido há doze anos tenta esta façanha, oito anos frustrados profissionalmente, enterrando meu suposto “talento”, não falei, não estudei, não reclamei, não indaguei, não li, não ri, não bati, não corri, não chorei, não lutei, fracassei, às vezes me pergunto: Durante este tempo existi?
Então me lembro dos incríveis momentos como mãe, o nascimento dos meus filhos, que são a razão de toda esta luta, até mesmo os poucos momentos ao lado do meu marido tão ocupado com o sustento dos meus caprichos, esquecendo que muitas das vezes apenas queria conversar.
Então percebo que existia sim, talvez não com tanta cor, talvez um rascunho, rabiscos, mas estavam ali o tempo todo esperando para serem editados.
Mas é difícil apagar alguém, bem que tentaram, mas é muito difícil criar outra Priscilla, esta não tem cópia, meus pais perderam a forma, não adiantou tentar colocar um robô no meu lugar, sou valente, sou guerreira, não desisto de lutar...
Enfrentei o mundo e ganhei no braço o meu espaço! (Quem disse que não existe mulher no vale tudo).
Hoje estou aqui, não vou dizer que não mereço, seria hipocrisia da minha parte, quem luta por seus sonhos, absurdos ou não, merece ganhar o mundo!
Aconteceu uma situação que me fez escrever como desabafo tudo isso...
Uma amiga, que por sinal a minha melhor amiga, crescemos juntas, rimos juntas, por diversas vezes choramos juntas.
Apareceu do nada em casa, a principio pensei que fosse para felicitar pelo meu novo trabalho, eu e o meu ego gigante, sempre achando que o mundo se interessa por mim, mas infelizmente não era isso.
Ela veio me dar um “toque” de irmãs, pediu para eu maneirar nas palavras, medir, tomar cuidado com o que eu falo, e não soltar o verbo claro e direto que sempre uso, agora que estarei na mídia, é melhor medir minhas palavras para não colher possíveis conseqüências, me contou até de algumas pessoas que já estavam chateadas com meu verbo polemico, procure não causar provocação á determinadas pessoas, foram estas as palavras por ela usadas.
Fiquei chocada ao ouvir está critica, alias sou difícil de acolher criticas, mesmo sabendo que não era este seu pensamento, pelo menos acho que não, estava apenas sendo portadora de outros, despejei nela toda minha indignação:

“Não posso reprimir minhas palavras, eu vivo delas, elas sustentam meu ser faminto de letras, realizam meus sonhos mais secretos e me fazem existir!”.
É assim que existo, sou realmente tudo que falo, a verdadeira letra por mim usada, sem correções ou adaptações, sou o que sou, tudo que escrevo, e nada do que você esta lendo, não preciso de dicionário ao lado, nem palavrinhas doces para dizer o que penso, digo e repito, sou o que sou!
E para falar bem a verdade, pouco me importa a opinião das pessoas, não estou me elegendo á nenhum cargo político, e nem vim aqui vender meu peixe, apenas quero, ou tento, passar o que tem de novo no mundo, uma nova linguagem poética surgindo, a literatura as revistas e jornais invadindo, não me importo o que pensem da minha pessoa, e se isto atinge algumas pessoas, por favor, entrem na fila amores!
Não vou mudar minhas palavras, ou transformá-las em doces patéticos, pessoa assim o mundo já está cheio, se fosse tão correto ser assim, o mundo não estaria esta, perdão da palavra para uma dama poética, esta bosta que esta, nem o próprio Cristo agradou á todos, não sou eu, uma simples Itapetiningana que vou agradar gregos e troianos.”

Sei que no fundo ela estava preocupada comigo, com a minha imagem, como vários outros amigos também estão, mas aqui vai meu recado á todos:

“Amigos, familiares, pessoas que eu amo muito, muito obrigado mesmo por se preocuparem comigo, muito obrigado mesmo, mas já sou bem grandinha para cuidar de mim mesma, e se a preocupação é com a minha imagem, podem ter certeza que sei o que estou fazendo, sei os riscos e benefícios, se esta fosse a minha maior preocupação, jamais daria minha cara no jornal mais lido da minha cidade, ou em uma pagina como esta, com tantos acessos diários, nem mesmo publicaria meu livro, que apesar de não ser autobiográfico, mas como autora fiel á evidencias, usei-me de exemplo em diversas situações”.
Desculpe-me meus amigos, e para os meus, sem motivos, “inimigos” se corroam!
Esta sou eu, doa quem doer, esta sou eu, nua e crua!!!



(artigo polêmico publicado na capa do meu site, algumas semanas depois de ter iniciado meu trabalho no jornal da minha cidade, os amigos e não amigos, se preocuparam com a minha imagem, e respondi do meu jeito, gostem ou não, sou assim, escrevo e falo o que penso, penso que sei, e sei o que penso)
Pripoemas
Enviado por Pripoemas em 12/09/2006
Reeditado em 12/09/2006
Código do texto: T238413
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Pripoemas
Itapetininga - São Paulo - Brasil, 39 anos
13 textos (832 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 10:02)
Pripoemas