Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

UMA MARCA DENOMINADA VOCÊ

         O consultor, autor e conferencista norte-americano Tom Peters lançou há algum tempo o conceito homem-empresa. Esta abordagem consiste em que cada um se veja como uma empresa, a “Eu Ltda.”, onde a própria pessoa é o Presidente, o Gerente de produção, o Diretor Financeiro, o Diretor de Marketing, etc. Mesmo que esteja   figurando momentaneamente  na folha de pagamento de alguém.

          Sua empresa pessoal, a qual chamaremos de “Você Ltda.”,   tem seus próprios clientes (que são todas as pessoas com as quais você se relaciona o tempo todo: sua esposa, seus filhos, o jornaleiro, o taxista, o padeiro, o médico, etc.) e imagem próprias, que nada mais é que a sua própria pessoa. Você tem sua própria marca que é você mesmo, e bem fará em mantê-la sempre em alta.

          Por exemplo, a empresa a qual esteja vinculado no momento talvez esteja em dificuldades, e até mesmo prestes a falir, fato comum atualmente. Mas a outra empresa, a Você Ltda., não pode ir pelo mesmo caminho. Você deve continuar atendendo aos (seus) clientes com a mesma presteza e atenção, manter a mesma postura positiva, altaneira, enfim, não se contagiar com o astral negativo da outra empresa. Assim  agindo, você estará cuidando da preservação de sua marca pessoal. Estará também mantendo o seu terreno cuidado, adubo e pronto para que algo de bom possa germinar e florescer. Haja o que houver, custe o que custar, a Você Ltda. não deve em hipótese alguma ter sua imagem arranhada e sua reputação comprometida. E isto só depende de você.

Em um de seus artigos, o consultor Clemente Nóbrega coloca que toda empresa é uma aposta. A aposta de que ela tem algo a oferecer ao mundo e que o mundo irá retribuí-la por isso. Se essa  retribuição for em valor superior ao valor dos gastos que terá para poder oferecer seu produto, estará ganha a aposta. Porém se o mundo não se dispuser a pagar pelo oferecido valor superior aos gastos de sua produção, estará perdida a aposta.

Da mesma forma pode-se afirmar que cada um de nós é uma aposta. Se o que produzimos, se o que resulta de nós não é valorizado pelo mundo, estaremos em maus lençóis. Você tem que produzir mais do que consome senão se torna inviável, impraticável. Toda empresa (qualquer empresa, inclusive a Você Ltda.) são maneiras de se organizarem empreendimentos que gerem mais do que consomem.

Você precisa obter seu excesso, seu lucro, pois é o que lhe possibilita sobreviver. Dele, (de seu lucro) dependem não somente seu conforto e tranqüilidade, mas seu sentido de vida, seu orgulho e sua dignidade como ser humano.  Demonstra que você é útil, é necessário e seja o que for que esteja oferecendo, está sendo valorizado pelas pessoas. Ele funciona também como um termômetro que determina o quanto você é útil. Quanto mais valor você tiver aos olhos do mundo, maior será o seu retorno.

Este enfoque, homem-empresa, pode parecer por demais frio, materialista, mas não é. É apenas uma forma ilustrativa que visa  ressaltar a necessidade de se estar bem preparado para enfrentar a competição acirrada do mundo atual com chances de êxito.

Você pode não concordar, preferir outra forma de vida, mais tranqüila, sem precisar se estressar com esta situação competitiva. Mas terá que se contentar com pouco, pois como já foi colocado, o mundo  retribui proporcionalmente ao que lhe é oferecido. É preferível pensar que esta situação não é estressante, mas estimulante.

           Há os que afirmam não precisarem de bens materiais, que se tornam rabinos, ou padres e até fazem voto de pobreza. Ainda assim serão como uma empresa. Uma empresa sem fins lucrativos, é certo, mas ainda uma empresa, que precisará ter estratégias, oferecer bons produtos,  (bons sermões, que entusiasmem a platéia, do contrário ela desaparecerá), definir objetivos, conquistar seu próprio espaço,  tal qual qualquer outra empresa. A única diferença entre a "Você Ltda." para outra empresa é que ela, (você, eu e qualquer outro ser humano), não busca apenas os ganhos materiais. Precisa e busca também compreensão, consideração, amor, reconhecimento e calor humano.

            Que fique claro: não há absolutamente nada de errado em querer fazer sucesso e ganhar dinheiro. Não denigre  sua imagem e não compromete seu caráter. Não há qualquer pecado nisto desde que seja feito com dignidade e honestidade. Ao contrário, quanto mais recursos você tiver, mais poderá praticar seu altruísmo e ajudar a quem quiser.

Porque manter sua marca pessoal forte

A concorrência e o ritmo frenéticos do mundo atual não permitem que o indivíduo erre, seja negligente ou despreparado. Nada se oferece de mãos beijadas, mas precisa ser conquistado às duras penas. O  mundo atual exige que cada um seja uma engrenagem, uma máquina com 100% de efetividade. Quem  oferecer apenas 99%, que se prepare para as cobranças, esteja pronto para pagar o preço do percentual que ficou faltando. Mas se for 100%, que não fique esperando elogios, que muito provavelmente eles não virão, pois afinal  não  fez mais que cumprir sua obrigação. Não se  deve aborrecer com isso, o mundo é assim mesmo, não admite meios termos. E quem entrar na disputa, e aceitar o desafio, seja exigente consigo mesmo e siga em frente.

Não acalente sentimentos de culpas, não se julgue insensível ou calculista. Cuidar de sua marca pessoal significa apenas que você está empenhado em garimpar de dentro de si mesmo suas melhores qualidades, seus mais insuspeitados talentos, desenvolvê-los e coloca-los à serviço do mundo. Nada mais correto que queira e mereça receber a  justa recompensa por isso. Portanto arregace as mangas e prepare-se para transformar a “Você Ltda.” na melhor empresa do mundo.
João Eduardo
Enviado por João Eduardo em 18/09/2006
Código do texto: T243574
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
João Eduardo
Muriaé - Minas Gerais - Brasil, 51 anos
12 textos (1784 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 09:49)