Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ocupação sesmeira do RN

A ocupação sesmeira do RN

A ocupação sesmeira foi uma forma de ocupação do interior do Rio Grande do Norte de uma forma que possa povoar as regiões interioranas da província para que não fossem invadidas. Mas, como ocorre essa ocupação? Quem estava presente nos acontecimentos deste episódio da história colonial do RN? E de que forma isto aconteceu? Este acontecimento da colonização potiguar, está atrelado diretamente a uma atividade econômica, na qual a mesma em boa parte das regiões brasileiras foi o “carro chefe” do povoamento do interior, sendo ela a pecuária.
No inicio da divisão das terras potiguares para acontecer esse povoamento, as mesmas eram divididas entre pessoas que estavam ligados aos portugueses principalmente, pois, desta forma o rei não teria tanto medo de que os semeiros vinhessem contribuir para que as terras fossem invadidas por outros  povos e assim defender estes territórios em nome da coroa portuguesa. Sendo que estas terras estavam divididas em grandes latifúndios.
No entanto a povoação do interior do RN como o inicio da colonização na região litorânea não foi fácil, pois, os indígenas dificultaram a colonização do sertão pelos portugueses, principalmente por eles destruírem as plantações dos colonizadores, em conseqüência desta forma como os indígenas reagiram, os portugueses utilizaram violência para combate – lós. “Tudo era lícito, permitido, natural. Agitavam as aldeias indígenas. Tocavam fogo no pasto. E vez por outra ganharam o jogo”. (CASCUDO, 1968. p.26) Nesta passagem do texto ocupação sesmeira no Rio Grande do Norte de Cascudo podemos ver, a forma como os colonizadores dos Sertões potiguares agiram para conseguirem a qualquer custo o povoamento destas regiões.
Como no litoral teve uma atividade responsável pela a sua colonização, o açúcar, nos sertões potiguar tiveram a pecuário como sendo a responsável pelo povoamento destas regiões. Sendo que no litoral ela iniciou como sendo uma atividade responsável apenas para servir de alimento e de força para mover os engenhos, no interior temos a mesma a responsável pela a fundação das primeiras vilas e povoados interioranos da província. Sendo os currais de gado desenvolvidos principalmente as margens dos rios das regiões. Mas, ao contrário da cana de açúcar não foi empregado uma grande quantidade da mão de obra escrava, que com que no Seridó despontasse a figura do vaqueiro como uma das mais conhecidas da história dos sertões. Porém a prática da pecuária veio a incomodar os indígenas, onde eles começaram a esboçar reações destruindo as pastagens e matando os animais como se fossem caça normais para eles, e daí então temos o auge da violência diferida pelos colonizadores portugueses as tribos dos povos colonizados em todas as regiões interioranas.
Com o desenvolvimento dos conflitos entres indígenas e portugueses tem como conseqüência a guerra dos bárbaros um dos elementos da historia da colonização potiguar, que mais contribuiu para o desenvolvimento para a extinção da população dos povos pré – cabralianos no atual estado do RN. “o combate aos gentios não foi fácil, precisou-se minimamente organizar-se as tropas e o apoio logístico como, por exemplo, a ribeira da Acauã que teve como base militar a Casa Forte do Cuó”.(MACÊDO. 1998) Como podemos ver os colonizadores para desenvolver os sertões resolveram dá segurança aos seus semeiros montaram em diversas partes verdadeiros fortes com o objetivo de capturar os índios para poderem ter as terras livres dos ataques dos mesmos, mas como os indígenas não se entregavam facilmente tivemos várias batalhas como as que ocorreram no Seridó em que vários índios exterminados por os portugueses possuírem fortes armamentos comparados aos dos índios.
Portanto o desenvolvimento da colonização do interior do Rio Grande do Norte teve como uma das principais conseqüências à extinção dos indígenas atualmente no nosso estado e desenvolvimento da atividade pecuária, que deixam o litoral em busca das terras potiguares dominadas pelos pássaros, índios, animais selvagens e uma mata fechada que junto com os seus verdadeiros donos foram sendo devastados. Mas, também temos como um dos pontos positivo o povoamento destas regiões e conseqüentemente a defesa do território que fosse invadido por outros povos.







REFERENCIA BIBLIOGRAFICA
CASCUDO, Luis da Câmara. Ocupação sesmeira no Rio Grande do Norte. In: ____. Nomes da Terra. Natal : Fundação José Augusto, 1968. p. 23 – 34.
MACÊDO, Muirakytan K. de Macêdo. O Espaço Seridoense entre os séculos XVII e XIX In:___. A penúltima versão do Seridó. Natal: 1998. 200p. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) – Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte.
 

     
                 











Salvio Garcia Santos
Enviado por Salvio Garcia Santos em 24/11/2006
Código do texto: T300552
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Salvio Garcia Santos
Caicó - Rio Grande do Norte - Brasil
7 textos (7740 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 12:29)
Salvio Garcia Santos