Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Antoni Tapiés. Puerta Metálica y Violin,1956
Pintura sobre objeto-assemblage, 200x150x13 cm
Fundació Antoni Tapiés, Barcelona,España.



                   
   A PINTURA MATÉRICA COM ANTONI TAPIÉS


              Antoni Tapíes é uma reverência da moderna e contemporânea pintura espanhola e mundial. Nascido em Barcelona em 1923 é autodidata como pintor, mas estimulado pela família formou-se em Direito. Aos dezoito anos sofreu grave moléstia pulmonar, e graças ao médico que o tratou na ocasião, conheceu Pablo Picasso do qual tornaram-se íntimos amigos. Estudou arte moderna e foi um combatente reacionário que uniu a vanguarda catalã de seu tempo contra a censura do regime fascista de Franco, na Espanha. Conheceu a literatura surrealista de André Breton e foi amigo do pintor Juan Miró. Ainda jovem, sua pintura ganhou reconhecimento pelo mundo, tendo participado da Bienal de Veneza em 1952, com várias edições junto a Documenta de Kassel na Alemanha e Bienal de Veneza em 1954 e 1993, quando ganhou o leão de ouro. Suas mostras tem percorrido a Europa, Estados Unidos, oriente, como o Japão. No Brasil, em 1953 na segunda bienal Internacional de São Paulo, a pintura denominada "Ásia" de Tapiés, que atualmente pertence ao acervo do Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo (MAC-USP), recebeu o prêmio de aquisição, entre consagrados nomes como Mondrian, Paul Klee, Kokoschka, James Ensor, Munch, Henry Moore, Alexander  Calder, todos que participaram daquele evento, para o qual o MoMa , Museu de Arte Moderna de Nova York havia enviado "Guernica" de Picasso.
            Sua obra é caracterizada por uma forte e inigualável expressividade, praticando uma arte que emerge  da sensibilidade como um território para a liberdade. Sua pintura é a expressão desta liberdade, tendo-a praticado mesmo durante a ditatura de Franco(1936/1975), fazendo-a  em favor da liberdade frente ao mêdo, como dizia.
     É a partir de 1953 que a obra de Tapiés ganha mais relevância expressiva, resultando no que se denominou chamar-se a partir de 1954, de pintura matérica. O artista usava o látex como agente de ligação e combinava pigmentos secos, como pó de mármore, areia, terra, entre outras e múltiplas substancias para criar seu trabalho. Assim desenvolveu com densas camadas de tintas, as quais produzem profundos relevos, uma pintura materializada, de dramática expressão,  com corpo próprio e absoluta de plena vitalidade, tendo alcançado estilo único na história da arte do pós-guerra. Utiliza vários signos no universo de sua pintura, como a cruz, o X, tendo Julio Cortázar, escritor argentino feito surpreendente paralelo entre suas telas e os muro grafitados, para o qual criou a expressão "muro-pintura e pintura-muro". Da mesma maneira, Tapiés também utiliza em suas pinturas as caligrafias orientais, asiáticas, valendo-se do efeito mágico de sua expressão de conteúdos. Atualmente, já ancião, Tapiés ainda continua a aceitar os desafios, com um trabalho em constante metamorfose, com seu senso peculiar de espaço , como precursor do informalismo europeu, praticando uma inconfundível gramática poética e pictórica, onde o viés universal e o caráter atemporal em suas obras são visíveis,caracterizando-o como um dos mais importantes artistas plásticos espanhóis da atualidade e arautos do humanismo e da liberdade.
Lilian Reinhardt
Enviado por Lilian Reinhardt em 27/11/2006
Reeditado em 03/12/2006
Código do texto: T303015

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Lilian Reinhardt
Curitiba - Paraná - Brasil
1294 textos (152925 leituras)
52 áudios (8664 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 02:30)
Lilian Reinhardt

Site do Escritor