Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

SANTO DE CASA NÃO FAZ MILAGRE

 

O ditado “Santo de casa não faz milagre” não expressa totalmente a verdade, pois o santo de casa faz milagre, porém seus milagres não são reconhecidos. Hoje eu entendo o porquê de Jesus ter saído de sua terra natal para que seus milagres fossem aceitos! 
 
Eu sempre fui o "faz tudo" da família, dos vizinhos e dos amigos. Sabe aquele cara que resolve tudo, que conserta tudo, que entende de tudo e que não faz mais que sua obrigação? Eu sempre fui assim. Já tentei mudar por diversas vezes, mas sempre acabo me envolvendo com as tarefas que só dão trabalho e nenhum dinheiro. E as minhas tarefas não se limitam apenas a consertar coisas. Como entendo de diversas áreas, e desenvolvo alguns projetos, eventualmente aparece um trabalho extra de algum amigo que ocupa as minhas únicas horas noturnas que tenho para descansar, utilizando meu computador. Isso sem levar em consideração o desgaste dos equipamentos e o custo de energia. Engraçado é que nunca me perguntaram quanto custou o serviço!
 
O pior é que passa a ser uma obrigação. Se um dia eu me negar a fazer, dirão que  estou com má vontade. Além de eu não ganhar nada pelo que fiz, ainda têm a falta de consideração aos meus serviços.
 
Exemplo: Se aquelas pessoas que você sempre ajudou precisarem contratar um profissional para trabalhar em sua empresa, você não será chamado. Será contratado um Zé ruela pra fazer um trabalho que você sempre fez de graça e ele vai cobrar um preço absurdo.
 
O interessante é que quanto mais íntimo você é de alguém, menos essa pessoa irá reconhecer o seu valor. É o reflexo de nossa desvalorização. A gente acaba por não remunerar nossos trabalhos, mas sempre esperamos que os mesmos sejam reconhecidos. A humildade passa a ser a nossa maior inimiga...
 
Estou pensando seriamente em rever os meus conceitos, mudar de comportamento e me aperfeiçoar no quesito financeiro. Já foi a época de sermos creditados pelo lado espiritual. Tudo hoje gira em torno de preços. Ou seja, se você é um bom amigo e está sempre pronto a ajudar, será considerado um quebra galho. Mas se você cobra por tudo que faz, é um profissional caro - portanto, qualificado.
 
Acredito que mudando de atitude, já que os meus trabalhos não sejam bem vistos, pelo menos interiormente estarei me valorizando. Vou adotar os conselhos do Mestre Jesus:

“A cada um, de acordo com suas obras".
"Não façamos aos outros o que não queremos que façam conosco.”. 
 
LUIZ G MARTINS
Enviado por LUIZ G MARTINS em 19/12/2011
Reeditado em 19/12/2011
Código do texto: T3396748
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
LUIZ G MARTINS
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
33 textos (4644 leituras)
3 e-livros (65 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/10/14 07:37)
LUIZ G MARTINS



Rádio Poética