Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto


Em 22 de agosto, o Brasil comemora o dia do Folclore. A data foi criada em 1965 através de um decreto federal. No Estado de São Paulo, um decreto estadual instituiu agosto como mês do folclore. 

Segundo a carta do Folclore Brasileiro, aprovada pelo I Congresso Brasileiro de Folclore em 1951, “constituem fato folclórico as maneiras de pensar, sentir, e agir de um povo preservadas pela tradição popular ou pela imitação”.
O Folclore é o modo que um povo tem para compreender o mundo que vive. Conhecendo o folclore de um país, podemos compreender o seu povo e assim, poderemos conhecer ao mesmo tempo, parte de sua história. Mas para que um determinado costume seja realmente considerado folclore, dizem os estudiosos que é preciso que este seja praticado por um certo numero de pessoas e que tenha origem anônima.
A palavra surgiu a partir de dois vocábulos saxônicos antigos:
“Folk”em inglês significa “povo”e “lore”significa conhecimento. Assim, folk+lore (folklore) quer dizer conhecimento popular. O termo foi criado por Willian John Thoms, um pesquisador da cultura européia que em 22 de agosto de 1846 publicou um artigo intitulado Folk-lore. No Brasil, após a reforma ortográfica de 1934, que eliminou a letra k, a palavra perdeu também o hífen e tornou-se folclore. 

O Folclore Brasileiro, um dos mais ricos do mundo, formou-se ao longo dos anos principalmente por índios, brancos e negros e está inserido no patrimônio cultural.

Segundo a Constituição Federal:

Art. 215: o estado garantirá a todos o pleno exercício dos direitos culturais e acesso às fontes da cultura nacional e apoiará e incentivará a valorização e a difusão das manifestações culturais.

Art. 216: Constituem patrimônio cultural brasileiro os bens materiais e imateriais, tomados individualmente ou em conjunto, portadores de referencia à identidade, à ação, à memória dos diferentes grupos formadores da sociedade brasileira nos quais se incluem:
I – as formas de expressão;
II – os modos de criar, fazer e viver;
III – as criações científicas, artísticas e tecnológicas;
IV – as obras, objetos, documentos edificações e demais espaços destinados às manifestações artístico-culturais;
V – os conjuntos urbanos e sítios de valor histórico, paisagístico, artístico, arqueológico, paleontológico, ecológico e científico.
Portanto as crenças, lendas, tradições e costumes são bens imateriais que compõem o patrimônio cultural, estão juridicamente protegidos pelo texto constitucional citado. Trata-se assim de bens imateriais difusos de uso comum do povo e que podem se protegidos pela ação cível pública ( Lei 4.3/85)

Carta do Folclore Brasileiro
I Congresso Brasileiro de Folclore, 1951.


1. O Congresso Brasileiro de Folclore reconhece o estudo do Folclore como integrante das ciências antropológicas e culturais, condena o preconceito de só considerar folclórico o fato espiritual e aconselha o estudo da vida popular em toda a sua plenitude, quer no aspecto material, quer no aspecto espiritual.
2. Constituem o fato folclórico as maneiras de pensar, sentir e agir de um povo, preservado pela tradição popular e pela imitação, e que não sejam diretamente influenciadas pelos círculos eruditos e instituições que se dedicam ou à renovação e conservação do patrimônio científico e artístico humano ou à fixação de uma orientação religiosa e filosófica.
3. São também reconhecidas como idôneas as observações levadas a efeito sobre a realidade folclórica, sem o fundamento tradicional, bastando que sejam respeitadas as características de fato de aceitação coletiva, anônima ou não, e essencialmente popular.
4. Em face da natureza cultural das pesquisas folclóricas, exigindo que os fatos culturais sejam analisados mediante métodos próprios, aconselha-se, de preferência, o emprego dos métodos históricos e culturais no exame e análise do Folclore.
Manifestações Artísticas

Literatura Oral – São manifestações literárias preservadas através da palavra falada ou cantadas e que narram lendas, histórias e mitos reveladores da visão do mundo das camadas populares.
Podem aparecer associados à música ou combinados com dança e dramatização.

Cordel – Forma de literatura transcrita em pequenas brochuras com histórias em versos ilustradas por gravuras que fixam em traços rústicos uma cena ou personagem do romance. Recebem essa denominação porque os folhetos costumam ser atados a uma cordinha e pendurados em seus pontos-de-venda. Os temas são lendas, tradições locais, fatos do momento, crimes ou façanhas heróicas.

Desafio – Gênero da literatura oral praticada por dois cantores acompanhados por viola, sanfona ou violão, que improvisam poemas em tom satírico ou jocoso. Misturam tradição e criatividade individual, num canto alternado, que obriga o cantador a responder às perguntas do oponente.

O Folclore Brasileiro é muito variado e as diversas regiões costumam apresentar manifestações específicas de acordo com a formação cultural de seu povo. 

Pertencem ao Folclore:

Ø Mitos
Ø Adivinhas
Ø Religiosidades
Ø Quadrinhas e Poesias
Ø Trava-línguas
Ø Parlendas
Ø Fórmulas de Escolha e Brincadeiras Infantis
Ø Os números e o Folclore
Ø Ditados Populares
Ø Superstições e Simpatias
Ø Frases de Pára-choques de Caminhão
Ø Artesanato
Ø Medicina Popular
Ø Lendas
Ø Festas
Ø Culinária

Augusta Schimidt
Enviado por Augusta Schimidt em 15/08/2005
Código do texto: T42842

Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre a autora
Augusta Schimidt
Campinas - São Paulo - Brasil, 66 anos
366 textos (532197 leituras)
4 e-livros (6968 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 22:20)
Augusta Schimidt

Site do Escritor