Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

EDUQUE A T ERRA E TERÁS O PÃO FARTO

EDUQUE A TERRA E TERAS O PÃO FARTO

Essa comoção que envolve o país com a estória do João Hélio, por haver entre quatro maiores um menor de idade, nos leva a inúmeras conjecturas: a primeira delas e a de Deus permitir que isso ocorra, evidentemente pelo livre arbítrio que concede à todas as suas criaturas, mas com leis sábias que somos ignorantes delas e passamos a julgar como severos juizes os acontecimentos. A segunda análise que fazemos é da lei de Causas e Efeitos e somos levados a ponderar que se não há causas sem efeitos, o que teria feito o João Hélio em existência precedente para merecer tão triste fim.
Falando-se em triste fim, o Dr. Rubens Faria, um médium não espírita, que fazia cirurgias espirituais em São Paulo, certa feita, recebendo o Dr. Fritz, respondeu a uma pergunta do repórter: porque os médiuns que incorporam alguém da equipe Fritz  tem morte triste, como as de Arigó, em acidente de carro, a do Dr. Edson, no norte, esfaqueado por um empregado, e ele respondeu: há morte alegre, morte bonita, morte triste? Não é tudo morte? Que diferença tem uma morte trágica de uma morte suave como a de um pássaro?
Depois passamos a conjecturar na outra parte: para a coruja, o pássaro mais lindo é a corujinha. Para a mãe desses menores infratores, que muitas vezes não puderam conter a sanha de maldades ou vicissitudes de seus rebentos, por se encontrarem sozinhas, sem o companheiro, mas que apesar de todo o defeito de seu filho, com toda sublimidade do amor de mãe, ela o ama. Que pensar dela quando vê que seu filho está envolvido num lance desses? Derramaria menos lágrimas do que a mãe da vítima? Lembramo-nos de Maria, a Virgem, quando seu filho era pregado na cruz como um vulgar criminoso, sua postura, sua altivez e quantas lágrimas derramadas por um justo, quanto mais uma mãe que pranteia as atrocidades de um filho...
Por isso tudo é que temos que ponderar que somos muito ignorantes ainda dos desígnios divinos e que o Supremo Árbitro do Universo  tem sábias Leis e que se as conhecêssemos jamais farias comentários desairosos, pois sempre temos que jogar a culpa em alguém quando acontecem coisas como essas do João Hélio, que ai passamos a ponderar na mudança da idade civil para responsabilizar menores de doze anos, ou então culpamos os políticos ou as mães, ou a educação, ou o país, alguém tem que ser culpado.
Pensemos nisso, pensemos agora!

Antonio Luiz Cabral – ribeirão preto, 13/02/07 – alacalado@hotmail.com
calado
Enviado por calado em 29/08/2007
Código do texto: T629228

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
calado
Ribeirão Preto - São Paulo - Brasil
15 textos (1407 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/10/17 04:45)
calado