Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Quarenta homens...um destino...a liberdade...

Começo esta minha reflexão, com algumas perguntas.
O que acontecerá com os 40 processados pelo STF?
Está o Supremo dando um exemplo e isenção e independência com a decisão?
Estará a Justiça procurando redimir-se com a nação brasileira?
Quem aposta em quantos serão condenados?
Quantos poderão num futuro próximo estar nos presídios?

Que todos esses homens, indiciados pelo STF, têm culpa no cartório, que cometeram crimes contra o povo brasileiro, que se locupletaram e usaram o poder de que dispunham, que formaram um cartel dentro do governo para amealhar riquezas, que extorquiram empresas públicas e privadas, que pisotearam e desrespeitaram todas as Leis, que traíram aqueles que os colocaram no poder, dando seu voto a esta “elite da política”, que tinham o objetivo de perpetuarem-se no poder, isso, todo povo sabe, principalmente aqueles que têm acesso à informação.

Essas pessoas, zombaram, da inteligência do povo. Estavam tão seguros de sua popularidade e impunidade, julgavam-se inatingíveis, julgavam que estavam acima de tudo e de todos, eram os “top, top”, podiam fazer o que quisessem, para eles não havia empecilho algum, nada poderia tolher seus movimentos e pretensões, em seu pensamento, estavam muito acima do topo da pirâmide.

Roberto Jefferson não pode ser considerado um “herói nacional”, se o governo tivesse repassado a ele o que havia prometido, ele teria ficado quieto e nada disso teria vindo à tona, mas temos que reconhecer que ele prestou um grande serviço à nação, divulgando os fatos, não por ser bonzinho, mas por vingança de seus pares que o haviam traído.

O Presidente Luiz, pensa que todos esses escândalos não respingaram no seu governo, mas ele está enganado, está se iludindo com pesquisas fajutas a respeito de sua popularidade e da de seu governo. Se estas pesquisas de opinião estiverem certas, se forem corretas, seremos obrigados a dizer que o povo brasileiro é muito burro e merece o governo que tem. Tudo isso vai sim trazer prejuízos ao governo ou então o Brasil não tem mais jeito. O Luiz foi reeleito porque não tinha ninguém melhor, sem querer ofender ao sr. Alckmin, que é uma pessoa muito competente, mas o povo votou em alguém que lhe ofereceu alguma coisa palpável (dinheiro), cartões, programas e mentiras. No Brasil não se ganha eleição lutando no campo das idéias, tem que ter algo que o povo possa manusear, agarrar, manipular.
O Brasil é um país de miseráveis, aqueles que não são miseráveis de recursos o são de cultura ou ambas as coisas, portanto, fácil de manobrar pelas ações paternalistas do governo que está no poder. Se a disputa eleitoral de 2006, fosse entre dois candidatos independentes, se quem está no poder não tivesse a máquina administrativa na mão e não a tivesse usado descarada e desavergonhadamente, o resultado teria sido outro, muito diferente.

O Presidente Luiz, ganhou porque ofereceu mais, não porque fez mais. Nos estados nordestinos e da Região Norte, o governo e o povo do PT, foi quem mais pressionou a população, como é a maior massa de povo menos esclarecida, ficou fácil.
No Acre, o Alckmin ganhou no primeiro turno, na semana anterior ao segundo turno, o que se ouvia entre a população mais carente e entre o funcionalismo público e acho que isso não era só no Acre, mas em todo o Brasil, era que “o Lula vai ganhar e não vai ficar contente com o povo do Acre”, “serão cancelados os cartões disso e daquilo”, “se o Lula perder aqui, nos vamos perder muita coisa”. Eram coisas deste tipo, que a corja petista dizia para o povo, que, menos esclarecido, acreditava.

O Luiz, sabia de tudo. Isso é cabal. Peremptório. Imutável.

Para salvar o seu governo “democrático/ditatorial”, torrou os “cumpanheiros”, largando-os à própria sorte. Ele disse que foi traído. Na realidade ele traiu, pois, não socorreu seus companheiros, nem assumiu nada junto com eles, com medo que isso pudesse tirar-lhe o poder, conseguido a muito custo. Deveria ter assumido as junto com os outros e renunciado, isso seria uma atitude de “macho”. Poderia ser até que o povo nem aceitasse a sua renúncia.
Mas ninguém se iluda. Poder e dinheiro, falam mais alto. Assumiu a atitude de negar tudo, de dizer que não sabia de nada, preferiu passar por incompetente, que não sabia o que seus comandados faziam e eram comandados de gabinete, não era ninguém lá no Oiapoque ou no Chuí.

Outro dia “Jô Soares” disse em um de seus programas, que ninguém poderia dizer “fora Lula”, porque o Lula tinha sido eleito pelo povo. Discordo, o povo pode dizer “fora Lula”. As vaias já começaram.

Fico imaginando, o que não tiveram que fazer esses 40 “senhores”, para se reelegerem novamente, porque se sabe que o povo não é burro, o povo pode ser comprado, mas não é burro.

O indiciamento destas pessoas (pessoas?) já é uma vitória, eu sinceramente nem esperava que isso acontecesse, o povo já está no lucro. Daí a saber se algum deles será condenado, é outra história e há um longo caminho a ser percorrido. Quando a estrada é muito longa, muita coisa pode acontecer.

O STF está prestando contas ao povo, com a ação de processar essa “elite”, tomara que não fique só no indiciamento, tomara que isso tudo seja aprofundado e que se nenhum deles for condenado, pelo menos sejam execrados e expostos publicamente, lavando pelo menos a alma do povo.

Com a atitude de indiciar e tentar condenar,  suas “excelências”, a Justiça Brasileira está tentando recuperar a sua imagem perante a opinião pública, pois, com os escândalos envolvendo Magistrados, a imagem da Justiça ficou arranhada, como Poder Independente.

Eu não apostaria um único centavo, de que alguma dessas “excelências”, será condenada, pelo menos a pagar algumas cestas básicas aos pobres da periferia de Brasília, cadeia, então, impensável, para “doutores” como “eles”.

O “Zé Dirceu” disse outro dia, que “em qualquer outro país do mundo esse julgamento teria sido anulado”.
Digo que em “alguns” países do mundo, para gente que comete o que ele e os outros 39 cometeram, nem haveria julgamento, quanto mais anulação.
Zé, porque você não vai viver em um desses “outros” países?

Bem, resumindo, Luiz sabia de tudo, compactuava com tudo, tinha plena consciência de tudo.
Disso, nem o mais humilde brasileiro, têm dúvida, só não fala para não perder o “cartão”.
Somos, nós, o povo brasileiro, o pior tipo de acomodados que existe, somos covardes, estamos, como diz o Luiz “sentados em berço esplêndido”, na realidade estamos “deitados”, mas o Luiz “não sabe” disso.
A Justiça vai indiciar, vai julgar, vai fazer um teatro com esses casos, mas não vai ser uma atitude grandiosa, pois, os indiciados teriam que ser 41...
Acreucho
Enviado por Acreucho em 01/09/2007
Reeditado em 01/09/2007
Código do texto: T633274
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Acreucho
Rio Branco - Acre - Brasil, 63 anos
136 textos (55034 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/10/17 08:36)
Acreucho