Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

***A DIFICULDADE DE RELACIONAMENTO

 Por que algumas pessoas sentem mais dificuldade de relacionar-se que as outras?

Partimos do princípio que cada ser humano é único no mundo, com características diferentes  dos outros.

E que cada ser humano é o elo de uma imensa cadeia de relacionamento que se chama “Humanidade”. Logo, todos temos uma importância, um lugar no mundo onde cada um deve exercer o seu papel de conviver dentro de uma sociedade, respeitando os demais.

Porém, quando alguém não cumpre seu papel, violando as regras de cordialidade e gerando desequilíbrio dentro do grupo a que pertence, todos acabam sendo atingidos pela onda de negatividade !!!

Pra evitar esse tipo de situação, algumas pessoas preferem abster-se de conviver em sociedade, isolando-se no seu cantinho, saindo da toca o mínimo possível e  criam assim, uma enorme dificuldade de relacionar-se.

Outros procuram relacionamento nas redes de relacionamento virtuais, nos chats, etc., onde não precisam se expor com totalidade!!

Se você convive com pessoas que têm dificuldade de relacionamento, saiba que a solução não é forçar a barra. Existem vários fatores que levam uma pessoa a ter esse tipo de comportamento, entre eles estão a timidez,  arrogância,  ou a  simples necessidade de estar só.

 

 

Timidez - Inibição do desempenho em situações sociais. Indica existência de ansiedade leve ou moderada, suportáveis pelo indivíduo, e que não o impedem de tirar proveito das situações.

Citei a arrogância por que algumas pessoas se acham “boas demais” para a sociedade em que foram chamadas a viver, e não toleram se cruzar com pessoas que consideram “inferiores”; e como tais pessoas não conseguem encontrar ninguém que pense como elas, preferem o isolamento. Pessoas assim precisam urgentemente procurar um terapeuta, pois o único traço que diferencia as pessoas é o caráter e não a sua posição social, cultura, Bens materiais, etc. Saiba que solidão envenena a alma, e o mundo está cheio de pessoas que precisam do seu afeto, e não da sua erudição.

Se você convive com pessoas assim, eu aconselho a deixá-las em seu mundo, até que resolvam mudar, a menos que elas estejam importunando alguém, coisa muito rara, porque tais pessoas gostam de ficar no seu mundinho e detestam invasão, portanto cuidado para não invadir o espaço da pessoa pra tentar ajudar. Pode ser que ela não queira a sua ajuda. Se  precisar, com certeza pedirá.

O caso do tímido é diferente. Ele, algumas vezes é o extremo oposto. Tem vergonha de se expor em festas, reuniões  por temer o deboche, etc.

Os  conceito que o tímido faz em relação a si mesmo geralmente são negativos, o que gera um complexo de rejeição e baixa auto-estima. É comum ouvi-lo dizer frases  como:

§     “Não tenho assunto”

§     “Sou feio(a)”

§     “Não sou inteligente”

§     “Sou rejeitado”

§     Sempre vai achar que o outro consegue coisas, ele não!

§     Os amigos conseguem namorada, menos ele.

§     Todos se divertem, menos ele.

São pessoas que devem ser tratadas com o máximo de paciência e dedicação.

Jamais aponte o dedo no nariz de um tímido e diga que ele deveria se “soltar mais”. Ele sabe disso melhor que qualquer um. Mas o momento dele ainda não chegou. Não importa a idade, cada um de nós sabe o momento de mudar.

Eu parto do principio que eu não existe tímido completo. Algumas pessoas são tímidas em sala de aula, mas se soltam pra dançar, outras são tímidas com a família, mas se sentem a vontade com os amigos.

O tímido que preocupa a família é aquele que NUNCA SE SOLTA. Esse precisa de acompanhamento terapêutico, pois deve sofrer muito.

Nos demais casos, hão de sofrer se sentirem pressionados!
Psicologa Maristela Vallim Botari
Enviado por Psicologa Maristela Vallim Botari em 03/09/2007
Código do texto: T637354

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Psicologa Maristela Vallim Botari
São Paulo - São Paulo - Brasil, 49 anos
8 textos (13234 leituras)
1 e-livros (15 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 24/09/17 02:12)
Psicologa Maristela Vallim Botari