Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

DA ECOLOGIA AO NOVO AMBIENTALISMO

                 
                                                                         
    O termo Ecologia foi criado em 1866 pelo biólogo alemão Ernst Haeckel (1834-1919). Deriva das palavras gregas oikos (casa) e logos (estudo). Refere-se ao ramo da Biologia que estuda as relações entre os organismos vivos e entre estes e seus ambientes.
     Essa disciplina não se destinava apenas ao estudo, à conservação e preservação das plantas mas, na realidade,foi esse o seu objeto durante 34 anos, a tal ponto que, por metonímia, a Ecologia passou a ser considerada como estudo do Verde.Só em 1900 os ecólogos começaram o estudo dos animais e da vida selvagem. Nessa fase,eles combateram a caça e a pesca predatórias e a destruição das florestas.

     Antes das duas Guerras Mundiais, o acontecimento mais significativo foi o estudo da chuva ácida (1), em 1872, por Robert Angus Smith. A chuva ácida prejudica a saúde humana, mata árvores e destrói plantações.

     Depois da II Guerra Mundial, o que era apenas uma disciplina científica transformou-se num movimento social, econômico e político que surgiu quando os antigos conservacionistas verificaram que o modelo de civilização em que vivemos é ecologicamente insustentável e socialmente injusto. Muitos foram os fatores que levaram a essa transformação. Sem dúvida, o fator mais mobilizador foi a bomba atômica (2). Pela primeira vez, o homem estava de posse de uma arma que, usada em grande escala, poderia destruir o planeta. Em 1950, correu mundo, colhendo assinaturas, o Apelo de Estocolmo que pedia a proscrição da bomba atômica e o não envio de tropas para a guerra da Coréia.

     A luta anti-racista nos EUA, desencadeada por Rosa Parks (3), em 1955, e encampada por Martin Luther King, também foi uma luta pela paz.

     Ao longo dos anos 60 do século XX, surgiu, nos campi das Universidades americanas, uma organização estudantil de amplitude mundial a “Students for a Democratic Society”, abreviadamente  SDS. A luta desses estudantes era contra guerra do Vietnã e pela justiça social.

     Dissidentes do SDS, abandonaram a luta política e ingressaram na chamada “Contracultura” (4). Foram os denominados hippies que, embora afastados dos embates políticos, não deixaram de fazer protestos contra a guerra do Vietnã, na qual muitos deles tinham tomado parte.

     Os ambientalistas, que lutavam pela preservação da vida, estavam preocupados não só com a paz e com a bomba mas também com os testes nucleares.

     A primeira questão ambiental, verdadeiramente global, da era pós II Guerra Mundial, foi o perigo da precipitação radioativa provocada pelos testes nucleares.

     Entre 1945 e 1962, os EUA, a URSS, a Grã-Bretanha e a França fizeram mais de 400 testes nucleares (5). Alguns provocaram chuva radioativa em locais distantes: a França fez um teste na Argélia e uma nuvem radioativa foi parar na Espanha; em 1953, os americanos fizeram um teste no deserto de Nevada e uma chuva radioativa caiu sobre o Estado de Nova York.

     Estes fatos levaram os ambientalistas a tomar parte ativa na luta contra os testes nucleares e, mais tarde, contra as usinas nucleares.

     Um episódio emblemático aconteceu em 1971: um grupo de manifestantes tentou evitar um teste nuclear na ilha Amchitka, no Alasca. Na reunião que precedeu o embarque para o local do teste, o grupo resolveu adotar um nome. Alguém disse: “Tem de mencionar a paz”;outra pessoa disse:”Tem de mencionar o verde”; obviamente, disse um terceiro, o nome será “Greenpeace”.

     A biodiversidade, a poluição de um modo geral (6), o lixo urbano, o lixo hospitalar, o lixo químico e o caso insolúvel do lixo radioativo são grandes preocupações dos novos ambientalistas.

     Problemas de grande vulto são o “ buraco” do ozônio (7) e o aquecimento global  (8) que foi detectado em 1957, mas só estudado mais seriamente nos anos 70 e 80 do século XX. De todos os problemas existentes, talvez seja o aquecimento global a maior ameaça à vida na Terra.

NOTAS
1- A unidade de medida da acidez ou alcalinidade de uma solução denomina-se pH. A água neutra tem pH 7. A água da chuva já é um pouco ácida: seu pH é 5,6. Qualquer chuva com pH abaixo de  5,6 é considerada excessivamente ácida. Esta acidez é provocada principalmente por fábricas e carros que queimam combustíveis fósseis, como o carvão e o petróleo. Os componentes principais da poluição do ar, que dão origem à chuva ácida, são o dióxido de enxofre e os óxidos nítricos, que, em elevadas altitudes nas nuvens, reagem com a água, oxigênio e oxidantes.Esta mistura forma uma solução de ácido nítrico e ácido sulfúrico que se precipita sobre a Terra.

2- A bomba atômica é uma bomba de fissão, isto é, a explosão resulta da divisão de isótopos de urânio que ocupam lugar igual na tabela dos elementos, mas diferem pelo número de nêutrons. A palavra isótopo vem do grego iso (igual) e topos (lugar).Em 1952, os EUA detonaram uma arma ainda mais poderosa: a bomba de hidrogênio, na qual ocorre fusão nuclear. Uma bomba H é constituída, no centro, por uma bomba atômica que faz o papel de detonador destinado a elevar a temperatura consideravelmente. Em torno, acham-se isótopos de hidrogênio. Estes, graças à altissima temperatura produzida pela bomba A, se fundem, produzindo Hélio e liberando enorme energia.

3- Rosa Parks foi uma costureira negra de 42 anos que, em 1º de dezembro de 1955, se recusou a obedecer à lei de apartheid racial no Alabama. Ela viajava sentada num ônibus, na cidade de Montgomery, Alabama, quando um homem branco exigiu que ela se levantasse para ele se sentar.Rosa se recusou e só saiu carregada. Foi presa e multada em US$ 14,00. Os negros decidiram boicotar os ônibus e convenceram o pastor da Igreja Batista, Martin Luther King Jr. a liderá-los. A luta foi longa e King insistiu sempre que os protestos deveriam ser não-violentos. Finalmente, em junho de 1956, o Judiciário Federal decidiu que a segregação nos ônibus, em Alabama, era inconstitucional.

4- Os hippies adotaram um modo de vida comunitário e, muitas vezes, uma vida nômade. Defendiam o amor livre e a não-violência. Abraçavam aspectos de religiões como o budismo, o hinduísmo ou de religiões africanas e das culturas nativas norte-americanas. Rejeitavam os valores tradicionais da classe média americana. Foi para denominar o estilo de vida hippie, que a imprensa norte-americana inventou o termo “contracultura”.

5- Entre 1946 e 1958, o atol ( ilha de coral em forma de anel, com uma lagoa no meio ) de Bikini foi teatro das experiências nucleares americanas no Oceano Pacífico. O primeiro teste nuclear,nessa área, foi realizado em 30 de junho de 1946. É interessante lembrar que o francês Louis Reard, ao lançar, algum tempo depois, uma roupa de banho feminina, em duas peças, de dimensões bem reduzidas, deu a sua criação o nome de “ bikini”.

6-Alguns casos históricos de poluição :
 A- Doença de Minamata. Não existia nenhum tipo de veneno na Baía de Minamata, no Japão, antes que uma indústria química, a Chisso Corporation se instalasse ali.A produção química começou nas margens da Baía (defronte a Nagasaki) em 1939. Em 1953, observou-se que gatos e pássaros estavam agindo de maneira estranha. Em 1956, já eram observados distúrbios neurológicos entre as famílias dos pescadores. Concentrações de mercúrio foram descobertas nos peixes e nas próprias pessoas que residiam no local. Essas pessoas tiveram distúrbios neurológicos e muitas morreram por causa do que ficou conhecido como a “ doença de Minamata”.

B- Poluição dos mares e das praias por vazamento de petróleo de grandes petroleiros. Os casos mais divulgados foram o naufrágio do “Torrey Canyon”, em 1967 e o vazamento do “Exxon Valdez”, em 1989. O “Torrey Canyon” naufragou ao se chocar com um recife perto da costa do extremo sudoeste da Inglaterra, Centenas de quilômetros do litoral da Cornualha foram poluídos. Em março de 1989, o Estreito Príncipe Williams, no Alasca, foi poluído por 50 mil toneladas de óleo vazado do petroleiro americano “Exxon Valdez”.

C- Love Canal. Em 1976. produtos químicos começaram a vazar através das paredes dos subsolos e porões de casas perto de Love Canal, uma via de navegação não concluída e abandonada ( Estado de Nova York, próximo a Niagara Falls). O canal havia sido usado como vazadouro de lixo industrial. Uma imobiliária construiu centenas de unidades habitacionais ao longo do canal. Foi declarado como área de desastre em 1978 porque parte dos tambores de metal, que estavam enterrados, foram corroídos, liberando produtos tóxicos, Em julho de 1979, foram evacuadas 263 famílias e suas casas compradas pelo governo.
D- Bhopal. O vazamento catastrófico de isocianato de metila, composto químico altamente tóxico, na fábrica de pesticidas da Union Carbide of India, em Bhopal, na Índia, a 4 de dezembro de 1984, matou cerca de 3.000 pessoas, provocou ferimentos e seqüelas em mais de 200.000 vítimas. Além disso, a exposição ao gás perigoso afetou as crianças concebidas ou nascidas depois do desastre de pais e mães contaminados.

E- Chernobyl. No acidente nuclear de Chernobyl, em 1986, na Ucrânia, a água de refrigeração, na forma de vapor, vazou para o núcleo do reator. Entrando em contato com o combustível (urânio) superaquecido, as moléculas de água foram partidas e liberaram hidrogênio. A pressão deste gás a altas temperaturas destruiu a parte superior do reator, liberando para a atmosfera, o combustível nuclear e o hidrogênio. Em contato com o oxigênio do ar, o hidrogênio explodiu, deslocando grande massa de ar contaminado com a poeira radioativa.Após o acidente, até que o prédio fosse todo concretado e isolado, houve liberação de radionuclídeos que contaminaram quase toda a Europa. Calcula-se que, ao longo do tempo, 4 milhões de pessoas sofreram as conseqüências do acidente, emtre elas 800 mil crianças.Mil anos é o período durante o qual uma área de 30 km em torno da usina ficará inabitável.

7- Na estratosfera uma camada de ozônio atua como um filtro enfraquecendo a intensidade da radiação ultravioleta.Esta camada de ozônio existe há milhares de anos e se tem  mantido estável. No início dos anos 70 do século XX, cientistas britânicos, na Antártida, constataram que substâncias poluentes estavam atacando a camada de ozônio, aumentando a radiação ultravioleta e provocando uma maior incidência de câncer de pele nos seres humanos.É uma ameaça real a que estarão sujeitas as pessoas, caso se amplie o “buraco” na camada de ozônio.Os clorofluorcarbonos (CFCs), substâncias artificiais inventadas pelo homem para serem empregadas em refrigeração e em aerossóis, são apontados como os principais causadores do “buraco”.

8- Ao contrário do que muita gente pensa, o efeito estufa existe há milhões de anos e foi ele que assegurou o surgimento da vida na Terra. O dióxido de carbono, o metano e outros gases associados ao efeito estufa criam uma manta que permite que boa parte da radiação do Sol permaneça na Terra, proporcionando as condições adequadas para o florescimento da vida. Pelos dez mil anos que precederam a Era Industrial, o equilíbrio desses gases permaneceu dentro de limites estreitos. A queima de quantidades imensas de carvão,e, em seguida, de petróleo e gás natural durante os séculos XIX e XX, mudaram a equação. O conteúdo de CO2 na atmosfera é hoje aproximadamente 31% maior do que em 1750, o início da era dos combustíveis fósseis. O metano, outro gás associado ao efeito estufa, aumentou 151% desde 1750. O óxido nitroso aumentou sua concentração 17% desde 1750. O aumento do dióxido de carbono é responsável por mais de 70% do aquecimento global, enquanto o metano responde por 24% e o óxido nitroso por apenas 6% dos  efeitos. A preocupação com o aquecimento global se manifestou pela primeira vez em 1957, por meio de um estudo de Roger Revelle e Hans Suess. O interesse pelo assunto aumentou nos anos 70 e 80 do século XX. Em 1988, a ONU reuniu uma elite de 2.500 cientistas, entre eles os maiores pesquisadores das mudanças climáticas.Esse grupo, conhecido  pela sigla IPCC (em inglês) ou, em português, Painel Intergovernamental sobre Mudança Climática, se reúne regularmente para atualizar as informações sobre o clima. O relatório divulgado em 2 de fevereiro de 2007, não deixa dúvida de que a culpa do aquecimento global é do homem. A preocupação dos ambientalistas, anteriormente vista como alarmista, tornou-se questão prioritária.



José Lisboa Mendes Moreira
Enviado por José Lisboa Mendes Moreira em 14/09/2007
Reeditado em 14/09/2007
Código do texto: T652315
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
José Lisboa Mendes Moreira
Niterói - Rio de Janeiro - Brasil
33 textos (70941 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/10/17 03:16)
José Lisboa Mendes Moreira