Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A sociedade dominada e o pensamento de Foucault

O pensamento de Foucault durante o século XX fez vários estudiosos refletirem sobre os fenômenos que constantemente acontecem na sociedade. Dessa maneira a realidade brasileira, assim como outras nações, adequam-se às análises e pensamentos desse grande pensador contemporâneo. Cheguemos ao ponto que mais nos interessa o que Foucault pensava, em linhas gerais, que a sociedade ao longo da história foi sofrendo mudanças e com isso fez com que novas concepções sobre o funcionamento do poder e seu exercício em nosso meio social fosse sendo conduzido através de instrumentos de poder, ou seja, exerce-se o comando através de processo de submissão, controle, hegemonia, todos usados de forma bastante elaborada e  “maquiada”, a fim de que ninguém possa perceber que está agindo ou vivendo de acordo com os interesses e as vontades dos outros. Tudo isso pode ser resumido em uma única palavra dominação, que faz o corpo social ser conduzido de forma mais favorável à permanência e ao engrandecimento de poder e multiplicação de riquezas daqueles que comandam – a burguesia, elite.
 Mas o que será que o Brasil tem a ver com esse  pensamento?
Basicamente tudo está relacionado com este país que vive uma crise em vários segmentos da organização estatal, como a saúde, segurança, educação, habitação, malha aérea, que são imprescindíveis para o país se desenvolver e fundamentais para os cidadãos que diariamente se esforçam  para conseguir sustentar-se e sobreviver diante de tanta mazelas. De forma mais explícita essas pessoas procuram sobreviver nesse país que tem um grau elevadíssimo de miserabilidade, pois anualmente o percentual cresce de forma assustadora. O mais impressionante é que no ano de 2007 o percentual de milionários no Brasil cresceu cerca de 9%, isso implica dizer que a distribuição de renda inclina-se mais para um lado.
Além desses segmentos primordiais para a vida do cidadão em crise e precariedade, há uma política desajustada, que se fizermos uma breve retrospectiva, desde a formação da nação verde e amarelo , passando pelo período colonial, imperial e republicano, todos foram marcados pela dissimulada corrupção, falta de planejamento político-administrativo para haver crescimento e progresso que quase sempre estiveram ausentes na realidade e na prática, porque pode-se dizer que estão permanentemente em discurso demagógicos e populistas, os quais exercem uma influência na política de dominação, submissão, alienação da grande massa populacional. Chegamos ao ponto abordado por Foucault “domínio” que é exercido através de mecanismos próprios os quais se modificam ao longo do tempo e de acordo com as necessidades de cada instante e povo, pois os pobre e miseráveis são dominados através da prestação de favores, ideologias demagogas e populistas, as condições de extrema necessidade as quais a grande massa social enfrenta faz com que ela se submeta aos interesses da burguesia exploradora e dominante. De forma vigorante é perceptível no Brasil essa realidade pois em várias regiões inúmeras pessoas trabalham em condições de extrema miséria e escravidão – cerca de 18h por dia para receber muitas vezes, o que comer, isso implica trabalho escravo manipulado e ilegal que infringe os direitos dos trabalhadores a férias, carga horária excessiva, não contribuição para previdência social, as pesquisas mostram porque essas pessoas se submetem a condições de vida deploráveis como essas, a justificativa está na falta de aperfeiçoamento na mão-de-obra, única saída ou quem sabe talvez a marginalidade seja um outro caminho que no entanto traga conseqüências árduas, podendo ser até a própria vida. Além desse exemplo claro e preciso há muitos outros como os inchaços populacionais formando as favelas nas grandes metrópoles, as quais abrigam um enorme contingente populacional sem ter nenhum planejamento , as conseqüências estão nos exorbitantes índices de doenças causadas pela falta de higiene e saneamento básico, pois as casas não possuem qualidades mínimas de serem habitadas, famílias não têm emprego para suprir suas necessidades básicas como: fome, saúde, vestimenta.
O mais impressionante é que nesse país paga-se a maior carga tributária do mundo e em nenhum segmento da sociedade não há melhoria. Toda essa dolorosa realidade vivida por mais de 90% do povo brasileiro (correspondente a classe média e a classe baixa) acontece porque essa massa é dominada pela outra fração (10%) que está no poder. Nós temos uma nação dita “democrática” da forma representativa, entretanto na prática não são exercidos na prática os fundamentos da democracia (governo do povo) a qual se resume a elite hegemônica, que faz dessa nação um caos, pois a saúde está em decadência, mesmo existindo grandes pesquisas que podem ser desenvolvidos e descobertos conhecimentos inéditos na ciência, mas o que vimos são hospitais em greve, falta de profissionais, de material hospitalar, ausência de verbas para investimento tanto na infra como na super-estrutura, fazendo com que a população recorra aos serviços particulares que são bastante caro, uma pequena minoria pode recorrer esses serviços que cresce assustadoramente, ficando a saúde pública cada vez mais sucateada.
É lamentável que outros segmentos da sociedade como educação, segurança, desenvolvimento econômico-social, aviação, não evoluem, pois constantemente vive-se em estado de calamidade, ou melhor é uma situação de extrema necessidade, e o mais entristecedor é que as pessoas que sofrem com essa situação miserável de vida não se movimentam vivem se lamentando, na inércia, pedem e recorrem ao misticismo e à religiosidade que se tornam suas únicas esperanças. Não que eu queira ser racionalista ao extremo, mas pretendo ser coerente e contundente, de tal forma devemos procurar uma sociedade mais equilibrada e justa, dessa forma é imprescindível existir força de vontade, perseverança, esquematizar um plano racional e prudente para a sociedade evoluir superando suas fraquezas, incertezas e obstáculos. Isso só será possível no instante em que essa sociedade perceber que o corporativismo, a união de interesses, ideais e princípios fazem dessa massa um povo desenvolvido, com possibilidade de uma condição de vida sustentável e qualidade de sobrevivência. No entanto é importante ressaltar que para alcançar essa meta são essenciais desenvolver vários pensamentos, pois Foucault dizia que estamos sempre diante de consensos os quais sobrepõem outros consensos menos dominantes que são submersos por aqueles que procuram afirmar-se e justificar-se para alcançar seus limites e objetivos.
Caso fôssemos elucidar os fatores que ocasionam a deplorável condição de vida que o Brasil vive teríamos que ficar dias escrevendo sem parar, mas alguns podem ser ditos como um dos principais: a política corrupta, e descompromissada com a sociedade, pois permanentemente se vê tráfico de influência, compra de sentenças, jogo de interesses, financiamento de campanhas eleitorais como forma de troca de favores, desvio de verbas, manipulação maliciosa das verbas públicas e da máquina pública, tudo isso faz parte de uma desajustada político-administrativa do Estado brasileiro. Esta condição social vai permanecer até (...) não sei quando, mas tenho a convicção de que o povo está ficando esgotado pois é ele mesmo que sofre as conseqüências de um país desequilibrado e mal ajustado . Mudanças precisam acontecer , mas isso vai depender da própria sociedade. Espera-se que isso ocorra o mais breve possível pois a realidade é deplorável.
Thaíse Andrade
Enviado por Thaíse Andrade em 16/09/2007
Código do texto: T655171

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Thaíse Andrade
Recife - Pernambuco - Brasil, 29 anos
24 textos (52643 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 16/10/17 20:30)
Thaíse Andrade