CapaCadastroTextosÁudiosAutoresMuralEscrivaninhaAjuda



Texto

A ORIGEM DA CORRUPÇÃO NO BRASIL

O povo brasileiro ganhou notoriedade em todo o mundo, não apenas por sua cordialidade e alegria, mas especialmente pelo considerável contingente de pessoas corruptas, desonestas e que tentam levar vantagem em tudo. Particularmente acredito que a questão da corrupção, tem como principal culpado o nosso solo fértil. E este fato foi descoberto por nossos conquistadores – o povo português – meio por acaso.
De acordo com a nossa história, os portugueses trouxeram para colonizar o Brasil, toda a escória européia, formada por ladrões, estupradores, prostitutas, enfim, os degredados que receberam como castigo povoar a terra recém-conquistada. Ocorre que, os degredados viveram, se multiplicaram, morreram e acabaram sendo sepultados aqui, nesta terra que, segundo o escrivão da esquadra de Cabral, Pero Vaz de Caminha, “em se plantando tudo dá”.
Ora, um solo reconhecidamente fértil como o nosso com a capacidade de fazer brotar tudo o que nele se plantar, o que mais poderia produzir senão corruptos, corruptores, desonestos e similares? É claro que existem as exceções. Mas elas são tão raras que a gente quase nem nota.
Somente depois que se descobre a raiz de nossa história, fica mais fácil entender (mas não aceitar), os motivos pelos quais existe tanta corrupção no país: o problema está no código genético que os brasileiros herdaram dos degredados que foram enterrados aqui.
Além disso, os portugueses chegaram ao Brasil e fizeram pouco caso dos donos da casa – os índios – a quem subornaram com bujingangas, escravizaram, roubaram, mataram e a seguir os brasileiros concluíram o trabalho, quase erradicando completamente essa gente da face da terra. E a coisa nunca mais parou. Virou moda subornar, mentir, enganar, corromper, roubar, invadir a privacidade das pessoas e outras atrocidades do gênero.
Os saques ao patrimônio do povo brasileiro aumentaram e a descrença da população só fez crescer, chegando ao ponto em que alguns perderam a capacidade de esperar por dias melhores. A esperança venceu o medo, mas acabou com o sonho de milhões de brasileiros, de forma que algumas pessoas passaram a brincar com um assunto muito sério, que afeta a vida de todos nós: a política.
No último pleito realizado em Natal, por exemplo, o candidato a prefeito, Miguel Mossoró, personificou o desencanto da população e acabou se transformando num fenômeno nas urnas, recebendo o apoio declarado de estudantes e professores universitários, advogados de renome, donas-de-casa, enfim, de representantes de todos os segmentos da sociedade potiguar. Não foi eleito, mas recebeu um expressivo contingente de votos desbancando, inclusive, políticos tradicionais.
Mossoró conseguiu conquistar a simpatia do eleitor, ao prometer a construção de uma ponte ligando Natal a Fernando de Noronha, uma promessa de campanha estapafúrdia, muito difícil de ser cumprida. Mas, afinal de contas é essa a prática adotada por nossos políticos: prometer e não cumprir.
Nossos políticos merecem realmente uma lição e nosso povo merece políticos melhores, mais atuantes, mais comprometidos com a verdade e com o trabalho honesto conforme afirma um velho amigo contador de histórias.
Dia desses, ele contou que o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush morreu e foi para o céu. Chegando lá, perguntou ao todo poderoso: Pai, explique-me por qual motivo os países do mundo inteiro sofrem com os furacões, terremotos, maremotos e são submetidos a todo tipo de catástrofe natural. Alguns são devastados por tempestade de neve ou lavas de vulcão, enquanto o Brasil nada sofre. Permanece tranqüilo, curtindo o carnaval, tem sol o ano inteiro e dorme eternamente em berço esplêndido. Por quê? E o todo poderoso respondeu: Filho, como é que a natureza poderia ser impiedosa com um povo que tem aquele tipo de político?
Nadja Lira
Enviado por Nadja Lira em 23/09/2007
Código do texto: T665091

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

Comentários

Sobre a autora
Nadja Lira
Natal - Rio Grande do Norte - Brasil
56 textos (21933 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/08/14 06:48)