Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Bookreview: SONHO DE UMA FLAUTA (HERMANN HESSE)

    ESPETACULO PIROTÉCNICO DE DUVIDAS E CLARIVIDENCIAS


    Se você é daquelas pessoas que olha a natureza e acha que tudo tem um sentido, não pode deixar de ler ou mesmo reler este livro. Os contos que o compõe são de um lirismo puro. Depois de Sidarta, Demian, O Lobo da Estepe , que questionam muito a nossa maneira de ver o ser humano, parece que Hermann Hesse, prêmio Nobel de Literatura de 1946, consegue condensar ainda mais esta preocupação. A natureza é a obra prima, ganha-se vida, tem personalidade. Nós seres humanos somos até meros servidores. Os contos fluem  como pequenas poesias, as imagens são fotografias quase irreais. Você nem sequer consegue situar o lugar onde eles se passam. Poderia ser qualquer lugar. Sente-se até um ar de orientalismo. Um por de sol em uma baia com uma lua cheia despontando na outra ponta não é nada comparado com as pequenas borboletas, os sons da flauta, a colhedora de flores que Hermann Hesse nos pinta. Pinta sim e com tinta preta. Van Gogh e seu amarelo único não consegueriam ser mais perfeitos. Leonardo da Vinci com sua Mona Lisa,  detalhismo ao máximo, não pintaria melhor o som puríssimo e perfeito do menino que corre o mundo e conhece o amor. Este alias é o primeiro conto e capa do livro O Sonho de uma Flauta. Muitos diriam: É fútil demais, ingênuo, superficial. Isso porque não leram com o cuidado que se deveria.
    O conto síntese do livro é Iris. É uma estória estarrecedora. Uma mulher no leito de morte tem um desejo impossível e pede para seu marido concretizá-lo. Este procurando saciar esse desejo envereda caminhos quase inatingíveis e divaga em seu próprio ser. (O enredo é encontrado muito semelhante no filme STALKER do cineasta russo Andrei Tarkovsky) As interpretações são inúmeras. É um espetáculo pirotécnico de dúvidas e clarividências. Às vezes, o livro peca pela obviosidade mas ao público que foi dirigido, adolescentes, ele serve e muito. Pode ser comparado ao livro 'A Insustentável Leveza do Ser' de Milan Kundera pela busca de identidade do personagem, ou a própria bíblia, a bíblia dos românticos.
    Pegue qualquer conto, qualquer que seja e dedique a sua namorada ou namorado, ela (Ele) cairá de joelhos a seus pés. Levaria sem medo até para minha avó. O homem deve ser completo. Preencher seus vazios poéticos parece ser a principal razão da humanidade. A vida pode ser tudo. O sonho de uma Flauta de Hermann Hesse é mais.
Lorenzo Giuliano Ferrari
Enviado por Lorenzo Giuliano Ferrari em 16/10/2007
Reeditado em 17/06/2016
Código do texto: T697233
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Lorenzo Giuliano Ferrari
São Paulo - São Paulo - Brasil, 54 anos
1817 textos (50950 leituras)
1 áudios (2457 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/08/17 12:51)
Lorenzo Giuliano Ferrari