Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A última árvore



 

Imagine o globo terrestre visto a uma distância num todo;

Imagine os humanos iguais a vermes, ceifando todo tipo de vida silvestre;

Matando animais, poluindo rios e devastando florestas;

Imagine tudo isso desde o começo das grandes civilizações;

O homem europeu subindo no planeta bola, devastando tudo, até chegar aos pólos;

Sagazes, só contemplam os lucros; o negócio é a produtividade e o acumulo de riquezas;

Imagine o legado de maus costumes deixados por essas civilizações antigas para as novas gerações;

Imagine aí o povo brasileiro, procedendo dentro desses costumes predatórios;

Imagine e é real, que só exista a Amazônia, a maior reserva de biodiversidade do mundo ainda existente;

Imagine a fúria dos cupins humanos brasileiros destruindo essa natureza;

Imagine homens com moto serras e tratores por todos os lados consumindo a última floresta;

Imagine um grande encontro desses cupins ao chegarem na última árvore;

Imagine esses homens cupins se indagando com olhares, se valeu, a pena,tais procedimentos;

Imagine esses homens cupins percebendo que todo o lucro tirado das florestas foi em vão;

Imagine esses homens cupins percebendo que estão mais tristes e sozinhos no planeta;

Imagine esses homens cupins convivendo um período nessa solidão de natureza devastada;

Imagine esses homens cupins sem rios, sem animais, sem árvores, sem sombra, sem Deus;

Imagine esses homens cupins sem alegria, sem o que contemplar, sem o que velar, sem o que buscar e sem o que fazer:

Imagine esses homens cupins sem poder brincar com o seu animal de estimação, sem pescar, sem nadar;

Sem descansar no remanso das árvores, sem cuidar das flores, sem contemplar as borboletas e pássaros, sem vida, tristes;

Imagine esses homens cupins apenas com uma árvore à sua frente como uma relíquia da biodiversidade que os homens um dia tiveram;

Imagine o desespero desses homens cupins olhando esse quadro dantesco de solidão total, desespero vem e decisões terão que ser tomadas;

Olham para o horizonte deserto, sem cor, sem vida, apenas uma árvore no centro da terra, vem a depressão;

E então, tomados por uma loucura coletiva, calados, todos, o primeiro homem cupim pega uma corda e escala a última árvore do planeta;

E o homem cupim amarra essa corda à árvore, faz um laço, todos olhando, enfia o pescoço e se atira, se enforcando;

E todos os outros homens cupins então fazem fila, perfilados, um por um se encaminha até a árvore, a nossa última árvore;

Colocam seus pescoços na corda e se atiram para a terra, a que perderam, a que mataram, um por um.

 

Criado por Vicente Freire em 28 de março de 2007.
Vicente Freire
Enviado por Vicente Freire em 19/10/2007
Código do texto: T700917

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Vicente Freire
Belford Roxo - Rio de Janeiro - Brasil, 63 anos
280 textos (22899 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/10/17 14:03)
Vicente Freire