Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

TEU COLO, PAI



Pai eterno, ontem eu estava me sentindo tão sozinha.
Estava triste, cabisbaixa.
Achando a vida feia.
Uma imensidão de areia.
Estava achando que o colorido tinha sumido da terra.
Me imaginava numa guerra.
Numa guerra comigo.
Pensava.
Parece castigo.
Ia assim tão desanimada andando por uma calçada.
Foi quando deparei com uma senhora bem velhinha.
Na mão ela tinha uma enxada.
Estava no interior de um terreno cercado por grades.
Eu a olhei.
Ela me olhou.
Nada falou.
Mas profundamente me encarou.
Fiquei parara.
A olhá-la.
E de repente ela desapareceu.
Foi um encanto que se deu?
Com seu olhar gravado na retina me pus a andar.
Segui.
Era um olhar tão terno o dela.
Tão afetuoso.
Comecei a achar tudo gostoso.
A brisa no meu rosto.
Acabou meu desgosto.
SONIA DELSIN
Enviado por SONIA DELSIN em 20/10/2007
Reeditado em 24/03/2011
Código do texto: T702536

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
SONIA DELSIN
São Carlos - São Paulo - Brasil
4696 textos (80915 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/10/17 19:15)
SONIA DELSIN