Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

PROMOCÃO DE EVENTOS PARA A EDUCAÇÃO AMBIENTAL

EVENTOS E SUA CONTRIBUIÇÃO NO PAÍS

  A origem da palavra eventos vem do termo eventual, “o mesmo que casual, um acontecimento, que foge à rotina e sempre é programado para reunir um grupo de pessoas” (CAMPOS, WYSE & ARAÚJO, 2002). E de acordo com dados do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE), “acontecem, anualmente, no país mais de 330 mil eventos, envolvendo 80 milhões de participantes, o que resulta na geração de cerca de três milhões de empregos diretos, indiretos e terceirizados”.
“Nos últimos 10 anos, o setor cresceu cerca de 300% no país” (GONÇALVES, 2003) e a tendência é de permanente crescimento, uma vez que a chamada globalização, além de mudar as características da economia mundial, encurtou distâncias e aproximou povos e culturas.   O destaque para o desenvolvimento do setor não é sem fundamento, pois, de acordo com Oliveira (2000), “eventos é o segmento mais disputado pelos países, porque nestas ocasiões prolongam-se o consumo de produtos vendidos por atacado com contribuição e arrecadação local”. Como exemplos: freqüentam-se shoppings, cinemas, teatros, bares, restaurantes, etc. Sendo um bom negócio para os locais receptivos.
  O mercado mostra-se promissor, já que eventos são realizados com as mais diversas finalidades: para comemorar, expor, divulgar produtos, promover lugares dentre outros, e, até mesmo, como estratégia para o desenvolvimento de um município ou minimizar a sazonalidade de uma localidade.
  Um evento é muito mais do que o planejamento, a programação, a execução e o monitoramento de uma seqüência de atividades destinadas a um público específico e realizadas em local apropriado. Este deve ser pensado como uma atividade econômica e social que gera uma série de benefícios para os empreendedores, para a cidade promotora, para o comércio local, restaurantes, hotéis e para a comunidade  .
  Além disso, o setor de eventos responde por grande parte dos fluxos turísticos para uma infinidade de destinações. Multidões viajam para eventos religiosos, eventos esportivos, culturais, agropecuários, comerciais, eventos técnicos e científicos que ocorrem pelo Brasil e outros países. “Tal setor tem sua importância ainda mais ampliada, se considerarmos que por meio deles os negócios são alavancados, as ciências e as tecnologias evoluem, as informações são socializadas, o entendimento é atingido” (SEBRAE, 2001).
  Os benefícios não param por aí: ainda de acordo com dados do SEBRAE (2001), “estes indicam que somando os gastos dos participantes, a receita das locações e das empresas organizadoras, chega-se a uma renda total de R$ 37 bilhões por ano, o que representa 3,1% do PIB brasileiro e a arrecadação de tributos gerados é estimado em R$ 4,2 bilhões”.
  Enfim, tais dados comprovam o constante desenvolvimento do mercado de eventos que a cada dia atrai novos investimentos. Assim, cresce, consideravelmente, o campo profissional para o organizador de eventos e ou as empresas envolvidas. “Os eventos são um dos maiores meios de desenvolvimento nacional, do fomento da economia e da geração de empregos” (Britto & Fontes, 2002) e, é visto que, autoridades governamentais, empresas privadas e diversos profissionais já estão cientes dos benefícios causados por tal atividade, desta forma há inúmeros investimentos neste setor, que está em constante incremento no país.
  Temos que pensar no evento como uma atividade econômica que gera uma série de benefícios para as empresas que estão vinculadas de algum modo, como também as cidades promotoras, para o comércio local e para a comunidade. A magnitude e a natureza do evento são os fatores que lhe proporcionam valor econômico.

2. EVENTOS COMO CONTRIBUIÇÃO PARA EDUCAÇÃO AMBIENTAL
  As pesquisas hoje apontam que “a qualidade do meio ambiente é um dos pontos críticos do planeta terra atualmente”, dados cedidos pela Organização das Nações Unidas para a educação, à ciência e a cultura (UNESCO). Diante de tal realidade o profissional da área de eventos deve estar ciente de seu papel técnico frente ao seu principal objetivo de trabalho, a divulgação, o entretenimento e a reunião de pessoas em um local estratégico.
  As empresas de eventos consistem na garantia do atendimento às necessidades de um público específico, considerando sua capacidade de criação, intelectualidade e cultura, assim como o seu direito de participar da sociedade como um todo.
Para tanto há uma preocupação com a natureza e os efeitos nocivos ocorridos por culpa do homem, e de acordo a esses fatos, observa-se as grandes possibilidades de ações promocionais e participativas que os gestores de eventos possam a vim se beneficiar com a geração dos mesmos, ligados a preservação e educação ambiental.
  A educação ambiental é um componente essencial e permanente da educação nacional, devendo estar presente, de forma articulada, em todos os níveis e modalidades do processo educativo, em caráter formal e não-formal. É um processo de reconhecimento de valores e clarificações de conceitos, objetivando o desenvolvimento das habilidades e modificando as atitudes em relação ao meio, para entender e apreciar as inter-relações entre os seres humanos, suas culturas e seus meios biofísicos. A educação ambiental também está relacionada com a prática das tomadas de decisões e a ética que conduzem para a melhora da qualidade de vida.
  Sendo assim, são sugeridas às empresas que promovem eventos no Brasil que visem o meio ambiente como tema para ser colocado em prática, com o objetivo de serem realizados com cunho social e ambientalmente responsável.
  A geração destes eventos seriam para as áreas com atrativos ecológicos, no intuito de ser um bem para a conscientização ambiental da localidade, chamaria atenção da comunidade local e de investidores, promoveria também a cooperação interinstitucional, com Incentivo, estimulo à criação, expansão e melhoria para possíveis destinos.
  Possibilitará a participação efetiva de todos os segmentos atuantes para um determinado evento e o mais importante se utilizará do evento como veículo direto da defensa do meio ambiente. Para tanto as empresas participantes agregariam ao mesmo a vinculação do seu nome, beneficiando a imagem da região, e essas organizações estariam para se tornar um elemento divulgador do local.

3. AÇÕES POSSÍVEIS
  Os organizadores buscariam criar eventos ambientalmente corretos, socialmente justos, economicamente viáveis. Tendo como principal diferencial a sustentabilidade. Isto significa que os eventos seriam planejados de forma única, levando em consideração todo o processo de realização, desde a definição do conteúdo de cada evento, passando pela aquisição dos produtos e serviços necessários para a sua viabilização até a sua finalização. Que implica na destinação dos resíduos gerados para a sua realização e na neutralização das emissões de carbono geradas durante o evento por meio do plantio de árvores nativas.
  Para tanto é necessário pesquisar a demanda e a falta de informação que a mesma possui, com isso visou-se estabelecer uma abordagem a incentivar as empresas da área de eventos a colocar em prática temas ligados ao ecossistema e a sua preservação, com os objetivos:
• Promover espaço de debate no que se refere à educação ambiental e aos impactos do meio ambiente
• Contextualizar a criação de eventos ligados a preservação do ambiente e como a sociedade em si devem se colocar em relação ao mesmo.
• Promover a assistência ambiental (cuidado com o ambiente, a sua manutenção).
Uma região que possua interesse histórico - cultural e grande beleza natural são fatores determinantes pelas gestoras e organizadoras em eventos que existem em várias regiões do país para promover e estabelecer à preservação e desenvolvimento regional, podendo ser agregado pelas gestoras citadas como objeto de estudo e de investimento real.
  Os eventos seriam uma fonte de incentivo a conservação do patrimônio natural e buscaria a formação de uma consciência ambientalista através da interpretação do ambiente, com o intuito de promover o bem estar das populações envolvidas e o desenvolvimento de regiões com atrativos ecológicos. A imagem do destino fica ligada ao êxito do evento, através de uma divulgação eficaz, que contribui para a economia, sociedade e o reconhecimento dos atrativos. Esses eventos podem ter o formato de congressos, conferências, feiras, seminários, workshops, palestras, mesas de debates, oficinas etc.
3.1.  DIVULGAÇÃO E PARCERIAS
  A divulgação deve ser feita de forma especial e muito bem-sucedida. Além de atingir o público preferencial dos eventos, trabalha-se de forma a divulgar o caráter socioambiental das iniciativas, promovendo-as ainda mais e permitindo que a imagem dos realizadores, apoiadores e patrocinadores seja reconhecida. Parte do sucesso dessa divulgação se daria do fato das gestoras terem um mailing próprio, formado por jornalistas, especialistas de universidades, executivos das empresas das áreas de meio ambiente, responsabilidade socioambiental, engenharia, recursos humanos, direito, entre outras, enfim, formadores de opinião que vão permitir que o seu evento tenha uma repercussão diferenciada, aumentando a credibilidade de sua instituição, promovendo a sustentabilidade dos negócios e inspirando novas ações.
 Os eventos criados nestes modos estariam voltados aos profissionais e estudantes das áreas de: Biologia, Turismo, Ambientalistas, Gestão Ambiental, Administração de empresas, estudantes de nível básico e médio e pessoas afins que se interessem pelo assunto, com preocupação e interesse na melhoria. Além de buscar apoio no Ministério do Meio Ambiente, Fundo Nacional de Meio Ambiente, Fundação O Boticário, Fundação Banco do Brasil, Bradesco, Itaú, HSBC Bank Brasil S.A. e outras que possuam editais relacionados a meio ambiente.
3.2. DIFERENCIAÇÃO
  Diferenciação do evento, as organizadoras ofereceriam a opção de neutralizar o evento em gás carbônico. E o que significa isso? Significa que todas as emissões relacionadas à realização do evento, desde as decorrentes do transporte dos participantes até as relacionadas ao consumo de energia, serão calculadas e neutralizadas. Essa neutralização se dará por meio do plantio de árvores nativas. As árvores plantadas irão absorver carbono da atmosfera e propiciar também outros benefícios ambientais locais, como preservação da qualidade do ar e da água e a proteção da biodiversidade. Algumas empresas já trabalham nestes moldes no Brasil. Antes mesmo de iniciar um evento, seria feito um levantamento de todos os resíduos que serão emitidos, permitindo a realização de uma redução significativa na sua geração, além de realizar um planejamento para a destinação correta.
  Sendo realizada uma ampla pesquisa antes de definir o local para a realização de cada evento. Levam-se em consideração critérios básicos como a localização das pessoas que vão participar do evento, proximidade de transportes públicos, opções de hospedagem e acessibilidade, entre outros, utilizaria também de pesquisas locais, que tem como objetivo analisar as características socioambientais da região, bem como avaliar o seu nível de sustentabilidade.
3.3.  MATERIAL UTILIZADO
  Todo o material seria produzido de forma ecologicamente correta. Produto ecológico é todo artigo que seja não-poluente, não-tóxico, que contribui para o desenvolvimento de um modelo econômico e social sustentável. Pastas feitas de papel reciclado, canetas, crachás seriam alguns dos materiais distribuídos durante o evento, de acordo com o mesmo. Além disso, quando houvesse feiras e exposições, utilizaria também estandes especiais, feitos a partir de matéria-prima reciclável.
3.4. REDE DE RELACIONAMENTO
  A empresa promotora cria uma extensa rede de relacionamentos por meio da realização dos eventos. Os eventos promovidos possuiriam uma parte especial dentro de cada programação, onde é realizado networking entre os participantes. Além disso, promoveriam um momento de descontração ao final dos encontros, podendo oferecer uma degustação, onde são oferecidos os mais diferentes produtos e bebidas orgânicas existentes no mercado. Gerando o encontro de vários profissionais, que estabeleceriam relacionamentos entre si e entre suas empresas a partir de suas participações nos eventos.
3.5. INCLUSÃO SOCIAL
  Contribuir, a partir da sua atuação nos eventos, com a inserção social. Essa atuação tem como objetivo permitir que Organizações Não-Governamentais (ONGs) e Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscips) tenham espaço para apresentar suas iniciativas e possam divulgar seus trabalhos de forma sustentável.
3.6.  AMBIENTAÇÃO
  Fazer a ambientação dos locais aonde se realiza os eventos com a utilização de plantas e flores características da região. Isso permite reduzir os impactos de transporte, além de promover a flora local. A maior parte da ornamentação permanece plantada, evitando perdas e desperdícios.
3.7.  PÚBLICO ALVO
  Docentes do ensino básico e médio, gestores ambientais de indústrias (mineração, petroquímica, automobilística, etc), servidores de agências governamentais dentre elas: Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis, Ministério do meio ambiente, Ministério da Saúde. (IBAMA E MMA, MS, etc) e orgãos vinculados ao poder legislativo (comissões de meio ambiente das câmaras, assembléias, etc.) e ao poder judiciário (procuradorias do meio ambiente, etc.). Também é destinado a estudantes universitários sejam eles graduandos ou pós - graduados em cursos nos quais seja necessário ou não conhecimento sobre Ecologia, Meio Ambiente e Gestão Ambiental

4.   DESENVOLVIMENTO GLOBAL X EDUCAÇÃO AMBIENTAL
  Sabe-se que o desenvolvimento global traz impactos ao meio ambiente de tipos e modos específicos, como prejuízos para o solo, vegetação, poluição para cursos de água, perda de vida da flora, fauna e habitat selvagem, dentre outros.
O efeito estufa, resultado da emissão de gases poluentes produzidos por indústrias, automóveis e queimadas está levando a Terra a acumular muito calor do Sol. A temperatura do planeta é a mais alta em 400 anos. As gigantescas geleiras de montanha  derretem em nível maior que o estimado. O ritmo de derretimento da Antártida aumentou 10 vezes nos últimos cinco anos. O gelo permanente do Ártico derrete 10 vezes mais rápido que nas décadas passadas. O nível do mar está subindo duas vezes mais rápido do que no século XX. O mar está ficando mais quente e isso aumenta a força e a freqüência de furacões mortíferos como o Katrina.
 “A educação ambiental se torna um processo participativo, onde o educador assume o papel de elemento central no campo do ensino e aprendizagem pretendido, participa ativamente no diagnóstico dos problemas ambientais e busca de soluções” (SENAC). Com isso é preparadas pessoas como agentes transformadores, através do desenvolvimento de habilidades e formação de atitudes, através de uma conduta ética, condizentes ao exercício da cidadania. Torna-se auxilio aos indivíduos para que os mesmos tenham uma análise critica ao princípio antropocêntrico, que tem levado à destruição inconseqüente dos recursos naturais de várias espécies. É preciso considerar que a natureza não é fonte inesgotável de recursos e que suas reservas são infinitas. Ela deve ser utilizada de maneira racional, para evitar o desperdício e considerar a reciclagem como processo vital, com a manutenção da biodiversidade que é fundamental para a nossa sobrevivência.

5.  ATIVIDADES APLICADAS
  Para a criação dos eventos as gestoras podem aplicar palestras e seminários, com temas ligados a formação de clubes de ciências em escolas com o apoio das secretárias de Educação dos Municípios, que vise solucionar problemas ambientais locais, como exemplos poderiam ser: reciclagem de lixo, agricultura orgânica, arborização urbana e preservação do ambiente como o todo.
  Já com a aplicação do ecoturismo, as empresas de eventos sugeririam a criação de parques ecológicos, e na existência de trilhas, museus naturais ou criadouro de animais, as gestoras de acordo com cada município, incentivaria a aplicação de atividades com a comunidade em campanhas de conscientização ambiental, passeios pelas regiões e treinamento de guias e nativos.
  Em relação aos pedagogos ou estudiosos da área de meio ambiente, visaria os debates e palestras, no intuito de abordar assuntos relativos aos recursos naturais da região e às atividades da área de ambiência. E para os funcionários de empresas, aplicação de treinamento de acordo à área a ser preservada, estaria orientados quanto aos procedimentos ambientalmente corretos em suas funções, para que eles se tornem responsáveis pelas práticas no seu trabalho e no seu lar. Em relação às atividades com a comunidade, seriam mais amplas, com campanhas e programas para melhorar a participação da mesma nos aspectos relativos ao conhecimento e de seu próprio ambiente, incentivar a visita dos mesmos a locais naturais, além da orientação à comunidade para atendimento aos aspectos legais de caça e pesca e a produção e distribuição de folders com explicações ambientalistas.    Encontrar o equilíbrio entre os interesses econômicos e o desenvolvimento planejado que preserve o meio ambiente, não é tarefa fácil, principalmente porque o controle da atividade depende de critérios, valores subjetivos e de uma política ambiental adequada.

6. VISÃO GERAL
  As empresas de eventos só têm a se beneficiar com a criação de programas não-formais, que atraia um público para a participação consciente da proteção no seu cotidiano, essa busca envolveria turistas, comunidade, poder público, privado, profissionais da área ambiental, alunos, professores e a comunidade em geral.  A orientação e o ensino estariam voltados para a elaboração de roteiros ecologicamente adequados, com o intuito de despertar em seus clientes, convidados e visitantes o interesse em cuidar da natureza.
  O trabalho para a melhoria e qualidade do meio ambiente, está em fazer frente às necessidades de uma variedade de grupos e pode ajudar também a corrigir as chances de que as novas destinações ligadas a visitações em geral não entrem em declínio.
  Com a modernização em que regras e ações são avaliadas a cada dia, o evento se posiciona, diante do mercado, como uma grande ferramenta de divulgação, marketing, com o poder para modificar comportamentos e também envolver diversas áreas sócio-econômicas, em um ambiente interativo.
  As pessoas sempre estão em contato direto com eventos, através da mídia e do ambiente social, e com o seu mecanismo consegue chamar atenção para determinado assunto, produto ou serviço. Esse poderá ser um conjunto de ações promocionais, culturais ou sociais, não importa os eventos através de suas atividades e programações, tem a chave para estimular à participação, organização e educação. O gestor de eventos faz a integração participativa.
  Com isso a criação de eventos envolve todos os participantes do evento, irão gerar ações positivas para se alcançar os objetivos futuros. E a chave para que esses eventos tenham sucesso e cunho social são com a participação, organização e conscientização das pessoas. Colocar em prática não só os problemas sofridos pelos recursos e meio ambiente, mas também à cultura, história e sistemas sociais. O ambiente mundial sinaliza novos enfoques e busca um comportamento melhor diante da natureza.
  Ao implementar um projeto de realização de eventos para a educação ambiental, facilitará que aqueles que atuam na área ambiental e população em geral, tenham uma compreensão fundamental dos problemas existentes, da presença humana no ambiente, da sua responsabilidade e do seu papel crítico como cidadãos de um país e de um planeta. Seriam desenvolvidos assim, as competências, valores e ações que conduzirão a repensar e avaliar de outra maneira as atitudes diárias dos indivíduos como o todo e as conseqüências no meio ambiente em que vivem.
BARBARA PALMA
Enviado por BARBARA PALMA em 21/10/2007
Código do texto: T703395

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
BARBARA PALMA
Salvador - Bahia - Brasil, 39 anos
9 textos (2211 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/08/17 14:21)
BARBARA PALMA