Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
Os Diferentes

             A  Revista Época, de 26 de novembro de 2007 publicou a reportagem assinada por Ana Aranha, Como educar os gênios. É uma reportagem esclarecedora  que merece ser sempre  consultada por educadores, políticos, empresários  e pais de supostos gênios. Parte da reportagem me tocou de forma especial: a que é se refere a Zenita Guenter, a quem conheço e admiro de longa data e que fundou e dirige até hoje o Centro para o Desenvolvimento do Potencial e Talento (Cedet) de minha cidade, Lavras, MG. Este programa, mantido pela Prefeitura Municipal, teve seu início  em...1993, ocasião em que eu era Secretária de Educação do Município e  Jussara Menicucci de  Oliveira, Prefeita. Ao assumir um novo mandato, em 2005, Jussara colocou outra vez o Cedet, sob a proteção do  Poder Público, já que, por questões que desconheço, a ligação entre o Cedet e a Prefeitura tinha sido rompida. Acompanhei durante algum tempo o trabalho de Zenita, não só porque era minha obrigação fazer isso, mas também porque acredito nele, e ainda porque uma das primeiras crianças atendidas pelo Cedet  foi  minha sobrinha Fabiana, na época com 5 anos e que hoje, estudante de Biologia na Unicamp,   se prepara para viajar aos Estados Unidos onde durante um mês estará freqüentando a Duke University, uma das mais prestigiadas dos Estados Unidos,  para participar, a convite, de um projeto de Pesquisa. 

              Os talentosos, fazem parte de um grupo minoritário  constituído, segundo as leis da probabilidade, em 3% de qualquer população. São os diferentes. Eles têm algo a mais que precisa ser desenvolvido pelo seu próprio bem e pelo bem do país. Não se trata aqui necessariamente de ser um gênio. Um gênio, eu compreendo como sendo um indivíduo com  talento  especial em praticamente todas as áreas do conhecimento, como Leonardo da Vinci. O indivíduo talentoso apresenta habilidades excepcionais em algumas áreas do conhecimento, sendo que em outras pode apresentar inclusive, dificuldades. E é aí que Centros como o Cedet lavrense atuam:: na percepção desses talentos e no seu desenvolvimento através de atividades extra-curriculares.Com isso só têm a ganhar: o próprio aluno, sua família, a escola que este aluno freqüenta e principalmente a nação.Minha Secretária costuma dizer “Eu bem queria ser Prefeita só por um dia!”. Eu já tenho desejos mais elevados: Eu queria ser Presidente da República só por um dia. Para decretar de forma irreversível, entre outras coisas que todos os municípios seguissem o exemplo de Lavras e criassem o seu próprio Cedet. È claro, nós cederíamos de bom grado a Doutora Zenita para ser a Presidente do Cedet nacional. Eu tenho absoluta certeza que os frutos viriam rápidos e o desenvolvimento nacional também.

 

            Mas, a atual administração municipal de Lavras, não para aí no seu atendimento aos diferentes. Um outro grupo merece atenção especial. São aqueles que, por problemas genéticos ou adquiridos se não tiverem uma ajuda oficial acabam marginalizados dentro de nossa sociedade altamente competitiva: as pessoas portadoras de deficiências -  são os deficientes visuais e auditivos, os portadores de algum tipo de paralisia, os acometidos por AVC, esclerose múltipla, síndrome de Down e outros. É aí que entra a Associação Conquista. A história  da Conquista está diretamente ligada a história de minha família, onde quatro dos dez filhos de meus pais são portadores de retinose pigmentar, uma doença degenerativa da retina, que provoca gradualmente a cegueira. O grupo se formou graças a iniciativa corajosa de algumas pessoas, entre elas meu irmão Dudu Melo, portador de retinose pigmentar e agente cultural . Esse pequeno núcleo conseguiu o apoio da atual administração da Prefeitura Municipal de Lavras que lhes garante a sobrevivência no dia a dia e liberdade de ação nas atividades sócio-culturais. O trabalho diário envolve a ação de elementos ligados ao quadro do funcionalismo municipal e de voluntários. O objetivo maior da Conquista é a inserção do diferente na sociedade sem causar  sentimentos de piedade ou estranheza, levando-os à  superação de suas próprias barreiras. Para isso as principais armas utilizadas pela Conquista são o esporte e a arte. Uma reportagem esclarecedora foi colocada esta semana na página de Divulgação da Universidade Federal de Lavras – UFLA em destaque, na Tribuna de Lavras de 01/12/07 , assinada por Aneliese Castro. O convite para ler, tanto a revista Época quanto a Tribuna de Lavras está feito. Bem como o convite para apoiarem esses dois movimentos da forma que for possível. Toda a ajuda será bem vinda, inclusive a criação de novos grupos. A proliferação desses movimentos é altamente positiva.



Maria Olimpia Alves de Melo
Enviado por Maria Olimpia Alves de Melo em 02/12/2007
Código do texto: T761835
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor e o link para http://marilim.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Maria Olimpia Alves de Melo
Lavras - Minas Gerais - Brasil
1107 textos (324187 leituras)
1 e-livros (258 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/10/17 17:45)
Maria Olimpia Alves de Melo