CapaCadastroTextosÁudiosAutoresMuralEscrivaninhaAjuda



Texto

Fernando Pessoa: Navegar é preciso, viver não é preciso

 
O que Fernando Pessoa, quis nos mostrar com essa frase, " Navegar é preciso, viver não é preciso"? Se falarmos em "precisão" e não de necessidade ,poderíamos imaginar puramente uma navegação em que navegar exigi-se um conhecimento calculado, medido e previsível,já em relação a vida não temos nada de preciso. A vida é incalculável no sentido de momentos, decisões e medidas.A vida não é exata, não é precisa... Não sabemos como será o dia de amanhã, ou quando morreremos... Ainda assim, vou percorrer por um caminho  mais distante, na amplitude para um pensamento filosófico e metafísico em que Fernando Pessoa nos coloca e passaremos a analisar quatro questões: A fuga de si mesmo; (Existencialismo) : O existencialismo considera cada homem como um ser único que é mestre dos seus atos e do seu destino; Fuga do impossível; (Morte); O pensamento chamado (vida); O grande mistério de ( SER), e principalmente  de nos aceitarmos e nos valorizarmos.
Em um raciocínio analítico "Viver não é preciso, o que é preciso é criar". Quando nos valorizamos em vida,  temos o poder nas mãos de nos aceitarmos como somos, de sermos uno e o resultado disso é a criação. Não devemos nunca nos deixar destruir, devemos sempre criar e recriar o impossível de nós e para nós.Devemos abandonar a mesquinhez, os falsos projetos, a falsa ilusão, a falsa crença para apostarmos no que temos de melhor em nós. Sei que somos humanos o bastante para  necessitarmos a todo tempo de perguntas com respostas rápidas e ligeiras, que possam então nos levar ao mundo real e com isso deixamos de pensar em nossa imortalidade. Mas o  que devemos criar para deixarmos ao mundo? Que contribuição poderemos deixar  aqui na Terra aos que ficaram e aos que virão? Por isso o exercício da criação deve estar sempre presente em cada gesto, em cada amanhecer. A existência nos ajuda  para isso se não passarmos a vida simplesmente por viver. Viver é existir de todas as formas.Para viver, não basta ver, ouvir, pensar e falar, pois estas são manifestações da existência. Para viver, é preciso sentir, mergulhar em si mesmo e sair. É o olhar e ver. Quem apenas existi sem viver, estagna em vida.Seja qual for a interpretação que se queira dar ao tema citado: "Navegar é preciso, Viver não é preciso" num conflito de ambíguas interpretações opto pela idéia de achar que "Viver não é preciso, o que é preciso é criar"  e aceito o desafio de defender essa frase que além de me  comover me anima,pois a criação é pra mim o sentido que  o homem precisa para a sua existência para achar respostas e perguntas metafísicas que sempre fazemos, em qualquer tempo , sob qualquer céu:O que somos? Para onde vamos? De onde viemos? Por isso devemos importar menos com o destino e muito mais com a nossa navegação.
Bela Flor Claudia Rodrigues
Enviado por Bela Flor Claudia Rodrigues em 24/02/2008
Reeditado em 25/02/2008
Código do texto: T873904

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

Comentários

Sobre a autora
Bela Flor Claudia Rodrigues
São Paulo - São Paulo - Brasil, 44 anos
488 textos (58014 leituras)
1 e-livros (146 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/04/14 11:30)