Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

8 - Em cada letra lateja

Em cada letra lateja
Um sentimento diverso
E uma ideia original
Faz esforços por nascer.
Imaginamos que a vida
Foi voltada do avesso,
Mas pouco foi descoberto
E está tanto por dizer!

?
 
ÁLBUM
Há uma dúvida que posso tirar, todos os poemas de ? os tenho manuscrito e acredito que quem consegue fazer um caderno com as letras das músicas que gosta, poemas, citações, as mais variadas…, constrói álbuns pessoais de memórias.
ÁL(BUM)! Às vezes levo a sério as coisas que faço, é quando estou mais distraído, é quando sou mais feliz. Na verdade, depois de escrever, parece que acordo. No meu caso é um estado de consciência breve e intenso, o suficiente para perceber que pode ser uma bênção ou uma maldição.
Quem é  ? Uma mulher? Rima com colher, pode ser ou não ser, não basta (es)colher… Ponho aqui algum ponto de interrogação?

«
Em cada hora lateja
»
o latido dum cão
uma dor passada,
um desejo informe
Ao levantar os olhos
lembro que estou
ainda a escrever:
poema que comecei
Francisco Coimbra
Enviado por Francisco Coimbra em 20/12/2005
Reeditado em 20/12/2005
Código do texto: T88704
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Francisco Coimbra
Portugal
785 textos (310497 leituras)
37 áudios (39566 audições)
1 e-livros (148 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 06:17)
Francisco Coimbra