Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A ESPERANÇA POR UM ANO MELHOR

Pandora, a primeira mulher, modelada em argila por ordem de Zeus (o mal-humorado deus dos Gregos), a bela, a irresistível, a que sabia tecer, educada por todos os imortais, astuta, ardilosa, fingida, a que foi enviada a Epimeteu (o imprudente) para desgraçá-lo e a toda a humanidade, trouxe de presente de núpcias a pequena caixa. Levada pela curiosidade feminina, ela a abre antes do momento combinado; dali evolam-se todas as calamidades e desgraças, que até hoje atormentam os homens (um verdadeiro presente de grego). Fechando-a, rapidamente, só a Esperança ficou presa em seu interior.

As calamidades humanas surgem com Pandora, a precursora de todas as Evas. Com ela, surge também a Esperança, “a última que morre”.

Desta história rocambolesca surge a idéia do grande sentimento a se contrapor ao mal que possa estar acontecendo.

A Esperança de poder mudar para melhor a vida , transformar a realidade do dia-a-dia, muitas vezes dura, e não menos instrutiva.

Ao término de um ano, a convenção temporal adotada para medir a sucessão de amanheceres experimentados na vida, refletimos sobre o futuro; questionamos-nos sobre esse sentimento capaz de transformar a vida por vontade própria.

A ampliação de nossa capacidade de sentir poderá nos livrar da indiferença, que nos afasta da humanidade e nos torna frios diante do sofrimento alheio. O mutismo da morte é indiferente a tudo. Somos capazes de presenciar um pôr-do-sol e nada sentir; respirar o primeiro ar da manhã e deixar os raios solares tocarem nossa pele com absoluta indiferença; ou presenciar cenas de barbárie nas guerras documentadas , e olhar tudo como obra de ficção,irreal, que nada tem a ver conosco.

Que no ano que se inicia saibamos nos interessar mais por nossas vidas e viver a Esperança; que ela deixe de ser um mito e se transforme em realidade.

Que essa espera por um futuro melhor seja para nós uma realidade palpável ; um presente de Deus para quem saiba conhecê-la em seu coração.

Deus não pode ser o pai vingativo que encomenda desgraças de toda a espécie para os filhos; nem o causador de guerras insanas promovidas por mentes doentias que evocam
Seu nome para justificar seus crimes; oupropriedade privada deste ou daquele povo, que nega Sua excelsa paternidade ao partir em cruzadas assassinas contra seus irmãos. Ele continuará sendo um estranho, o grande ausente para o ser humano que não percebeu ser impossível senti-Lo e compreendê-Lo, sem antes sentir, compreender e entender-se com os outros seres humanos, seus irmãos.

Se Deus instilou no coração humano a Esperança, saibamos reconhecer nela um sinal de Sua sabedoria, que está estampada em toda a Natureza, e especialmente manifestada na consciência humana, a qual jaz adormecida como a bela princesa, mas que poderá ser despertada deste trágico e milenar sono, que o tem afastado de si mesmo e dos semelhantes.

Nagib Anderáos Neto
www.nagibanderaos.com.br






Nagib Anderáos Neto
Enviado por Nagib Anderáos Neto em 21/12/2005
Reeditado em 30/12/2014
Código do texto: T89108
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Autoria de Nagib Anderáos Neto www.nagibanderaos.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Nagib Anderáos Neto
São Paulo - São Paulo - Brasil
366 textos (87985 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 20:03)
Nagib Anderáos Neto