CapaCadastroTextosÁudiosAutoresMuralEscrivaninhaAjuda



Texto

COMO COMBATER A VIOLÊNCIA???


 
A violência em nossos dias alcançou níveis assustadores. As pessoas, de um modo geral, sentem-se inseguras a ponto de transformarem seus lares em fortalezas, ou como alguns dizem, prisão domiciliar; são impedidas de usufruir o direito de ir e vir livremente.

É um fenômeno crescente inclusive nos pequenos centros urbanos. Não há lugar totalmente imune ao processo de violência humana, isso porque ela tem várias facetas. A sociedade está perplexa e não sabe como se comportar diante desta realidade incômoda. Não é uma questão de pessimismo; é um fato que precisa ser enfrentado com seriedade.

A violência não é tão somente um problema de segurança pública, da polícia, da justiça, ou da ausência de ações políticas dos nossos governantes como afirmam alguns. A sociedade tem sua parcela de responsabilidade. É uma situação ampla e complexa, que precisa ser discutida com participação de todos segmentos sociais.

É importante haver reflexões profundas sobre o tema e a história pode contribuir muito para se fazer um diagnóstico correto. Importa também,  eliminar a idéia simplista, na qual a pobreza produz violência; a pobreza é apenas uma das causas.

De fato, existem vários componentes que precisam ser identificados e uma das melhores formas seria um pacto social, onde o poder público, especialistas, pesquisadores, estudiosos e sociedade pudessem canalizar inteligência e recursos para combater um dos grandes males da humanidade.

Quando se fala em equacionar a violência como comportamento humano, parece ser simples porque não depende apenas de causas exteriores. Num primeiro momento, não se pode resolvê-la sem encontrar uma solução para a família.

A modernidade conseguiu fragmentar a célula mãe da sociedade e se não houver uma revitalização da instituição família, é praticamente impossível implementar qualquer medida saneadora.

Outro segmento a ser revitalizado é a escola porque ela pode auxiliar a família na disseminação da solidariedade, da fraternidade, da convivência e aceitação das diferenças.

Essas instituições têm a maior responsabilidade na formação comportamental do indivíduo; nelas se descobrem os limites que precisam ser respeitados, o sentido da solidariedade e o amor são experimentados. Se elas estiverem sem credibilidade, inicia-se o processo de desagregação  social.

A violência resulta da desintegração da sociedade que, por sua vez, ocorre porque não existe respeito humano. O combate à violência é muitas vezes ineficiente por causa do método utilizado. Normalmente usa-se a violência para combatê-la.

Disse um especialista em cultura da paz, que se a sociedade se mobilizasse em busca da paz do mesmo modo como se mobiliza para a guerra, seria facílimo extinguir a violência humana. Eis aí uma das sugestões: Cultura da Paz.

Como se cultiva a paz? Eliminando qualquer tipo de violência. A maneira de falar; o timbre da voz; um sorriso autêntico; atitudes pacíficas, reações faciais, tudo isso pode exprimir a cultura da paz. Um simples bom dia é  suficiente para transmitir paz. Repetir no pensamento todas as expressões e imagens que possam produzir calma, tranqüilidade, tolerância, respeito, amizade e perdão porque fazem muito bem ao corpo e à alma.

Desejar o melhor para si e para os outros. Amar sem medida, pois somente por amor pode-se alcançar vida plena. Este é o grande projeto de Cristo: “que todos tenham vida e vida em abundância”. A violência consegue contrariar tudo que Ele nos ensinou. Se o mundo pudesse amar como Ele amou, certamente a paz reinaria.

Será possível amar os inimigos da paz? Fazer o bem a quem não aprendeu amar? Como eliminar o ódio da consciência humana? Somente com muito amor pode-se responder afirmativamente estas perguntas.

Silvanio Alves
Silvanio Alves
Enviado por Silvanio Alves em 15/04/2008
Reeditado em 28/04/2010
Código do texto: T946774
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Silvanio Alves ). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

Comentários

Sobre o autor
Silvanio Alves
Divinópolis - Minas Gerais - Brasil, 54 anos
1568 textos (454284 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/09/14 16:53)