Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Justiça...

13-07-2006 0:52:54

Podia ser uma injustiça se...
Reclamo a liberdade de escrever palavras e frases sem significado algum!
Exactamente como num desenho abstracto, até dele fazer surgir qualquer coisa, a coisa acabada.
Se dum risco dizemos ser um risco, duma palavra digamos ser... um risco.
Estou a fazer riscos, a riscar... frases.

Ontem escrevi como um cuco, pus um ovo e abandonei o ninho.
Hoje vou tratar do ninho, pôr a funcionar o coco, coleccionar os comentários recebidos e agradecer.
Este intercâmbio é o elemento primordial da vida Recantual, tentar engendrar...
Vamos lá tentar engendrar... O que poderei dizer a cada um e a todos que me escreveram? Uns por simpatia, outros porque sim?... P’a tia: a empatia!
Amanhã/hoje verei o que escreveram, mas estou a pensar o que poderei escrever com(o) denominador comum:

«Agradecimento sentido, des_envolvo na escrivaninha;...» pelo poema/frase/crônica... qualquer coisa resultando da leitura.

{Ontem/hoje também devia ter publicado como "biografia", ou: 'diário', género em falta no menu disponível.
Vou ver como des_embrulho a ideia, primeiro... dormir.}

Caro Raf,
São pessoa como tu que fazem do Recanto... um lugar de eleição para escrevermos!

Falou, está falado, negócio fechado! Escreveu, está dito, ficou bonito! Leio, sem paleio, é um asseio!

&

13-07-2006 12:45:56
A vida deve ser celebrada, mesmo na Morte, principalmente na morte: somos a nossa memória nos outros e, é quando precisamos exclusivamente deles, não é preciso acreditar em nada: é preciso acreditar na Vida, é na Morte que ela se completa!
Escrevo isto neste momento, acabando de ler:

Um poema de António Cardoso:

«Árvore de Frutos
   
               Cheiras ao caju da minha infância
               e tens a cor do barro vermelho molhado
               de antigamente;
               há sabor a manga a escorrer-te na boca
               e dureza de maboque a saltar-te nos seios.

               Misturo-te com a terra vermelha
               e com as noites
               de histórias antigas
               ouvidas há muito.

               No teu corpo
               sons antigos dos batuques á minha porta,
               com que me provocas,
               enchem-me o cerebro de fogo incontido.

               Amor, és o sonho feito carne
               do meu bairro antigo do musseque!»

Confesso a minha ignorância, não conhecia.
Mão desconhecida… amiga, me enviou a "Ilha Negra". Completo, citando:
«
1. Ministério da Cultura lamente morte do escritor António Cardoso
Luanda, 26/06 - O Ministério da Cultura (Mincult) considera, numa nota de imprensa enviada hoje à Angop, em Luanda, que a morte do escritor António Cardoso, ocorrida domingo,25 de Junho, em Lisboa (Portugal), vítima de doença, constitui um vazio difícil de preencher no campo das letras.
Na nota, o Mincult realça que com o passamento físico do também nacionalista, se cala para sempre a pena que escreveu obras como "Chão de Exílio", "Economia Política Poética", "Poemas de Circunstâncias", "Baixa e Musseques".
"O passamento físico de António Cardoso constitui um vazio difícil de preencher, quer no campo das letras como na vida social do país" - lê-se no documento.
[….]
»

&

Vamos à escrivaninha…
Total de textos: 499           Total de leituras: 88251

É hoje, vai ser o texto nº 500!

Coleccionar os últimos comentários, ainda não agradeci alguns dos recebidos para "a tinta" e todos de "Convite & Apontamentos".
Nem de propósito… 31 comentários, três páginas + um.
31
Não seja por isso! Deixo aqui minha assinatura! Vincent Benedicto. Abraços!
Enviado por Vincent Benedicto em 13/07/2006 06:13
para o texto "Convite & Apontamentos"
30
Boa noite meu poeta!!! Que maravilha de texto, meu querido!!! Tenho minha sina deliciosa de dependência em tuas palavras, pra me aquecer. Leio e sinto! Fecho os olhos e imagino! Um figo gelado e saboroso! Um show!!! Amo tuas palavras. Bjinhos e linda noite... Luli.
Enviado por LuliCoutinho em 12/07/2006 19:47
para o texto "Convite & Apontamentos"
29
Bênçãos poeta! Faça-se a necessidade da palavra sina... A buscar no ar, aspirando o que fascina... Respiro lendo respirando dicas. Vai, desatina... Mata-me de prazer, oh! Leitura na tua rima... Beijos poéticos morrendo do prazer. “A Poetisa dos Ventos”
Enviado por Deth Haak em 12/07/2006 17:09
para o texto "Convite & Apontamentos"
28
Um figo maduro, colhido no pé com gosto de sereno. Abraço amigo Coimbra.
Enviado por Elias Borges de Campos em 12/07/2006 13:19
para o texto "Convite & Apontamentos"
27
Belíssimo texto, Parabéns! Hoje estarei completando 5.000 leituras em meus textos. Agradeço o carinhos de todos do Recanto. Muito Obrigado! Beijos no teu coração. Abraços! Faça uma visita! ««ÅFØÑŠØ_ŠÎ£VÅ»» ««/|/|ÅŠŠÅ__JØVË/|/|»»««
Enviado por AFONSO SILVA em 12/07/2006 10:05
para o texto "Convite & Apontamentos"
26
necessidade da palavra sina... assassina Prazer de novo em te ler, caro Coimbra. seus escritos são indispensáveis... Um abraço EG
Enviado por Edimo Ginot em 12/07/2006 08:34
para o texto "Convite & Apontamentos"
25
Ah! Mas na posição que coloquei o personagem de hoje... Você não respira nem aspira. Confira! (risos). Abraços!
Enviado por Vincent Benedicto em 12/07/2006 07:01
para o texto "a tinta"
24
Que a rosa mística da Poesia continue a lhe visitar, Colega... Grata pelo incentivo inestimável! Grande Abraço!
Enviado por Vanuza em 12/07/2006 00:41
para o texto "a tinta"
23
Meu Poeta, querido e sonoro poeta... quanta admiração tenho por ti e quanto carinho. Leio-te como quem ouve umn amigo a balbuciar seu doce instante de serenidade. Bjus poéticos e recebi o mail...mas tô sem o programa que te disse que perdi!!!
Enviado por Angela Lara em 11/07/2006 21:48
para o texto "a tinta"
22
26§ Ler é criar a própria paisagem. 27§ Ler é abraçar o amigo virtual
Enviado por Raferty em 11/07/2006 21:34
para o texto "de fio a pavio §s"
21
Meu senhor, rendo-me completamente ao seu humanismo inserido em sua resenha. Assiti ao filme. Aceito a hipocrisia mundana como um meio aos bons modos, jamais a politico-diplomática. João Paulo II se escondeu atrás do "pragmatismo" na questão dos tutsi e hutus. Pura hipocrisia papal. Deu no que deu; barbarie fraticida. Ratzinger questiona a vontade divina em Awschivitz. Pura hipocrisia bentiana. Perdoe-me pelo excesso de indignação, já basta eu não gostar do estado brasileiro. Abraço solidário
Enviado por Raferty em 11/07/2006 21:31
para o texto "Vai e Vive"
20
Sabe, agora que fiquei sabendo nas entrelinhas o sofrimento da Sal e a possível eutanásia. Escolha. O último desejo. Coisas assim. Posso concordar com o desejo do moribundo, mas eu próprio não aceitaria sua escolha. Choro
Enviado por Raferty em 11/07/2006 21:20
para o texto "vice-versa..."
19
Gosto de música e poesia. Se combinam. Jazz e Coimbra, uma possibilidade. Antes de visitar-me (grande, mas esperançosa, presunção minha!)lhe farei uma prémière; "ecCula" foi furtado do Cula. Abraços mil
Enviado por Raferty em 11/07/2006 21:12
18
para o texto "a tinta" Perdoe-me pelo comentário em atrazo, um pouco requentado até... A França jogou com todos os coringas da mesa, digo penalties. Foi assim com Portugal, foi assim com a Italia. Mas valeu ver o Cris Ronaldo e o Zizu jogando. Minha maior vibração; os tres penalties defendidos por muro Ricardo. Ao final eu torcia pelos africanos da França, algo fora do comum. O placar com a Alemanha foi injusto. Os deuses ajudaram os teutonicos...é a única resposta. Um abraço
Enviado por Raferty em 11/07/2006 21:07
para o texto "fora do comum"
17
BÚENAS AMIGO!!! Cheguei despacito sem ser convidado, me alimentei do teu silêncio, e que tal um versito da minha lavra que te ofereço assim..".silêncio é paz é sossêgo, é viver surdo e calado, é dizer qualquer segredo , para o silêncio do lado". bravo.. bravissimo.. vá me visitar ficarei honrado, mil gracias voltaremos a beber um pouco mais do teu silêncio.....
Enviado por Edegar Soares (não autenticado* | IP: 200.96.107.18 ) em 11/07/2006 20:41
para o texto "a tinta"
16
ai ai ! Por favor... Meus sais! Coimbra está demais.. beijos de uma rosa carioca..
Enviado por Rosa Pena em 11/07/2006 20:32
para o texto "a tinta"
15
Aplaudo seus versos que desnudam a alma, parabéns amigo. jamaveira
Enviado por Jamaveira em 11/07/2006 20:22
para o texto "a tinta"
14
Porque o silêncio também nos canta, tanto ou mais que as palavras E não há canto que nao nos desperte :) Bonito!
Enviado por sofia (não autenticado* | IP: 217.129.185.90 ) em 11/07/2006 20:00
para o texto "a tinta"
13
De fio a pavio, te digo: Gosto muito do teu estilo, querido Mestre Francisco! Mil beijos e uma linda noite para ti! *Aceite meu abraço brazuca, querido Lusitano. Cintia
Enviado por Bandyda em 11/07/2006 18:53
para o texto "de fio a pavio §s"
12
Você, como sempre, dá um show em seus poemas! Parabéns! Obrigado pela participação. Abraços!
Enviado por Vincent Benedicto em 11/07/2006 18:29
para o texto "a tinta"
11
Feliz em te encontrar, poeta!!! Procurando um canto, que já está em teu encanto e na tua tinta de azul profundo do amor? Meu menestrel!!! Te amo e quanto mais te leio, eu sim tenho que procurar mais e mais o canto. Carinhos em teu coração agradecendo os teus comigo. Bjinhos... Luli.
Enviado por LuliCoutinho em 11/07/2006 17:51
para o texto "a tinta"
10
Pouco usual ver Portugal numa final de mundial, fora do comum era realmente a Sal, grande abraço!
Enviado por cacaubahia em 11/07/2006 16:57
para o texto "fora do comum"
9
Ode à ti grande poeta do recanto das letras, que bela mensagem. Abraços
Enviado por Maurélio Machado em 11/07/2006 16:50
para o texto "a tinta"
8
Bênçãos poeta! Quisera eu, compor essa rosa mística! Imprimir no senso dos que lêem o olhar de minha lírica. Compondo quiçá um verso deixando com ar bestial, os hipócritas que a mim pensam fazer de besta. Beijos poéticos morrendo do prazer. " A Poetisa dos Ventos"
Enviado por Deth Haak em 11/07/2006 15:43
para o texto "a tinta"
7
Bêençãos Poeta ! Na falta de combustível para minha lira, ataco nos exercícios da prosa, se meu mestre passa metamorfoseando dizendo que é rosa, ai fico prosa! Beijos poéticos morrendo do prazer. " A Poetisa dos Ventos"
Enviado por Deth Haak em 11/07/2006 15:30
para o texto "Vai e Vive"
6
Passou pelo recanto e deixaste tudo isso gravado. Ou seja deixaste essa maravilha que acabo de ler. Parabens por essa tinta tão maravilhosa. Kolemar Rios
Enviado por kolemar Rios em 11/07/2006 13:53
para o texto "a tinta"
5
Silente, almas se encontram celebrando o amor que a tudo gerou, inclusive o próprio encontro, en_canto e louvor! Beleza poeta! Abraços.
Enviado por cacaubahia em 11/07/2006 09:13
para o texto "a tinta"
4
Bom dia. Muito legal a sua mensagem . Parabens. Kolemar RIos
Enviado por kolemar Rios em 11/07/2006 08:04
para o texto "a tinta"
3
Canta teu canto que encanta, canta o trovador, fala de poesia um poeta sonhador, de ti belas palavras recanto a encantar, meu querido amigo do outro lado mar, de longe vem seu poetar, amigo de sempre fica aqui um carinho pra te dar...rs...beijos Clau
Enviado por lindamulher em 11/07/2006 08:04
para o texto "a tinta"
2
No silêncio das palavras, deixo um beijo... :-) http://www.contossecretos.com
Enviado por Sutra (não autenticado* | IP: 82.155.0.191 ) em 11/07/2006 07:52
para o texto "a tinta"
1
Maravilhoso texto Poeta! Que a tinta se encante do teu canto e jamais se ausente... Beijos.
Enviado por Quartzo Roza em 11/07/2006 07:47
para o texto "a tinta"

serei escritor?
escreveu pelo ar
sendo seu pensar...
[DD – Luna&Amigos]

Bombom/ de ginja
no licor/ mergulhada
o amor/ doce
sorvido... inebria/ em chocolate!
Quartzo Roza
Publicado no Recanto das Letras em 13/07/2006

13/07/2006 11h43 - Francisco Coimbra
Bombom/ de ginja/// no licor/ mergulhada// o amor/ doce// sorvido... inebria/ em chocolate!
[Quartzo Roza]
Francisco Coimbra
Enviado por Francisco Coimbra em 13/07/2006
Reeditado em 13/07/2006
Código do texto: T193127
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Francisco Coimbra
Portugal
785 textos (310477 leituras)
37 áudios (39564 audições)
1 e-livros (148 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 19:55)
Francisco Coimbra