Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
ler(o)1
Há que tempos que não me vinhas visitar, disse ele para a folha em branco e ficou à espera que ela lhe respondesse. Ela deu-lhe tempo para pensar noutra coisa, finalmente surpreendeu-o a ter este pensamento "Já que a folha não me escreve, vou eu escrever".
A folha ouviu e ficou à espera, esperou em vão mas não... Decidiu ser ela a escrever, "Porque não?", começamos a ter uma folha escritora.
Não deixa de dar ênfase à coisa, imaginar tratar-se da tela dum computador, o écran do PC.
Leio, mas não me convence. Parece um écran distraído, uma tela vazia ou vadia..., é um pensar fugidio. Deve ser assim que pensam todas as telas, por isso não têm a pretensão de escrever, deixam-se escrever...

(Admiro a sagacidade da retórica do écran/tela e deixo-me ir a lê-lo como se ele fosse um eu que não quisesse nada de seu, para ser tudo de qualquer eu que o queira ler?)

ler(o)2
"Já não te apetece escrever?", a folha do caderno quadriculado acorda-me mas não me entusiasma, respondo-lhe: - Estava à espera que fosses capaz de escrever de maneira diferente dos (hu)manos.
- Não me ias conseguir entender, nem ler. "Poderia ler sem entender", resolveu pensar. "Pronto, só estás a pensar porque eu estou a escrever", responde_u eu. Acrescentou, "Agora podes me dizer adeus como se eu fosse tela, ela".
Ainda tentei pensar alguma coisa, mas achei por bem dar-lhe um beijo e desliguei. Mas, não consegui. "Como é que os manos hão-de perceber as coisas, cadernos ou écrans? Nós nunca nos despedimos"... Deito-me a adivinhar, a continuação: "... já estamos despidos e o amor é uma coisa natural", a confirmação não é possível.
Qualquer mano vai pensar "Afinal as coisas não são melhores que nós, é só lero lero".

ler(o) 3
Isso é que era bom? As coisas são muito melhores! Assim está bem, é tudo igual ao litro... "As unidades variam, sempre com a mesma finalidade: medir as diferenças". Dou por mim a interagir e digo: - Olha para o teclado, querem lá ver?
Está decidido...

(Vou fechar a luz e virar-me para o outro lado, na diagonal... ponto final.)

{17-07-2006 12:14:44

Entro na escrivaninha, leio a correr os comentários. Dá para ver que ficaram dúvidas sobre a foto (não censurada, estava no penúltimo, agora antepenúltimo texto) do Assim. Foto da Mim?, era o Bom!
Hei-de passar, passear pela Prosa & Verso dos comentadores.
Acrescento mais um texto à biografia, em "biografias".
Ah, a hora é do PC, está na Lua!...
Saudações Recantuais!!}

Francisco Coimbra
Enviado por Francisco Coimbra em 17/07/2006
Reeditado em 17/07/2006
Código do texto: T195674
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Francisco Coimbra
Portugal
785 textos (310493 leituras)
37 áudios (39566 audições)
1 e-livros (148 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 21:38)
Francisco Coimbra