Capa
Cadastro
Textos
햡dios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O GRUPO DE ORA플O E A PREGA플O NO GRUPO DE ORA플O!!!

DIOCESE DE URUAÇU
RENOVAÇÃO CARISMÁTICA CATÓLICA
MINISTÉRIO DE PREGAÇÃO



O GRUPO DE ORAÇÃO E A PREGAÇÃO NO GRUPO


Já ouvimos por demais em pregações e lemos em escritos da RCC muitas frases lindas, tais como: “O Grupo de Oração é a espinha dorsal da RCC”; O Grupo de Oração é o ninho quente do Espírito Santo”, dentre outras mais. Para o momento, discorramos mergulhando nestas frases, que não deixam de ser também a diretriz da RCC nacional, no sentido que todos voltem para os grupos.
Sabemos que nossa espinha dorsal é o ponto (órgão) do nosso corpo onde se ligam todos os demais membros. Partindo desta, vemos que o Grupo de Oração é o lugar de ligação, de unidade e de vivência dos carismas de todas as pessoas que se dizem  CARISMÁTICAS, que freqüentam os ministérios, que estão nas células dos casais etc. Assim como muitos se dizem católicos e não vivem a essência do catolicismo e por isso saem facilmente da igreja, muitos carismáticos não vivem a essência da Renovação Carismática e, com isso, não sentem amor pelo grupo de oração. “QUEM NÃO AMA A RENOVAÇÃO SEMPRE ACHA UMA DESCULPA, UM PORQUE PARA NÃO IR AO GRUPO DE ORAÇÃO. AQUELES QUE AMAM DE VERDADE A RENOVAÇÃO E ASSUMEM O BATISMO DO ESPIRITO SANTO EM SUAS VIDAS SEMPRE ACHAM UMA RAZÃO PARA NÃO PERDER O GRUPO DE ORAÇÃO!”
Com isso temos os carismáticos de PALCO, que vão ao grupo de oração só quando são convidados a pregar, cantar, conduzir ou de alguma forma estar na frente. Ao invés de ser o “jumentinho” que carregou Jesus, invertem os papéis e querem passar a ser o próprio Jesus. A estas pessoas é preciso que os coordenadores de grupo e de paróquia tenham o discernimento de não as colocar para pregar no grupo enquanto as mesmas não estejam freqüentando o grupo. Veja que não queremos afastar ninguém, mas formar nossos servos. Já pegando um gancho nesta colocação, outra grande preocupação que temos hoje é com o chamado resgate dos afastados. Como tem faltado DISCERNIMENTO por parte de nossos coordenadores neste resgate! Preocupação também da RCC nacional. Nunca se pega uma pessoa que está afastada há anos da renovação e se coloca para pregar a Palavra no Grupo, a pregação acaba sendo um contra testemunho de participação e de vida comunitária, onde, muitas vezes em vez de pregar, a pessoa convidada sem discernimento por parte de quem a convidou, começa a justificar o porque de não estar indo ao grupo e acaba não anunciando o kerígma, que é o mais importante na pregação do Grupo. O resgate destas pessoas tem que ser feito com visitas, convidando para retornar ao Grupo e ai sim, depois de estar no grupo, demonstrando seu amor participativo, que realmente voltou a abraçar a causa do Evangelho, passar a exercer o ministério..
Temos ouvido pregações onde, o local destinado ao anuncio da Palavra se torna um palco teatral de lamúrias, queixas da vida, choros, tristezas. Diante disso, um povo sedento, que já vem de casa carregado de problemas e procurando ajuda, encontra um pregador mais doente ainda. Faço duas perguntas: esta pessoa voltará ao grupo de oração? Isso contribuiu para a edificação da comunidade?
Não nos parece razoável e nem correto, escalar ou procurar pregadores de ultima hora, no dia do grupo. É irresponsável que convida e irresponsável quem aceita o convite. Nossos núcleos de Grupo precisam a requerida preparação que, neste caso, ficou impossível de ser feita, a de preparar o Grupo de oração do mês, assim colocam pregadores que, por não estarem preparados, não contribuem para a edificação da comunidade ou assembléia. Façam um cronograma do mês com as pregações que, em oração o Senhor inspirou no núcleo, escutem sobre os pregadores e já os escolham, passem este cronograma para a intercessão interceder com foco, passem para os músicos para que preparem as musicas de acordo com a pregação (como é triste um músico que chega no grupo de oração sem saber qual o tema, qual o pregador, sem nenhuma preparação) e assim seu grupo de oração será uma Bênção e crescerá em numero de pessoas e em Graça diante de Deus... Eu os conduzirei ao meu monte santo e os cumularei de alegria na minha casa de oração; seus holocaustos e sacrifícios serão aceitos sobre meu altar, pois minha casa chamar-se-á Casa de Orações para todos os povos. Is 56,7. O Grupo de Oração deve ser esta casa de oração onde o povo seja cumulado de alegria e seja um local onde todos que ali adentrarem,  sintam-se  bem e saiam com o desejo enorme de voltar no próximo dia.... Esperastes uma abundante colheita e esta foi magra; dissipei com um sopro o que queríeis armazenar. Por quê? - oráculo do Senhor. Porque minha casa está em ruínas, enquanto cada um de vós só tem cuidado da sua. (Ageu 1,9). Como esperar uma abundante colheita no Grupo de Oração se não nos preocupamos, não nos consumimos de zelo pelo grupo?.. É que o zelo de vossa casa me consumiu, e os insultos dos que vos ultrajam caíram sobre mim. (Sl 68,10) A casa que a Renovação Carismática tem que se consumir de zelo por excelência se chama Grupo de Oração.
                       Como deve ser a pregação no Grupo de Oração? Antes de tudo, deve ser um pregador comunicado dias antes para que o mesmo tenha tempo de buscar na intimidade com o Senhor no Santíssimo e na Eucaristia, fazer a vontade de Deus. O pregador deve anunciar e não dar catequese no Grupo. Anúncio é pregar a Palavra que entra na alma da assembléia, que cura e salva o povo. Este ensino no Grupo de Oração não pode em hipótese alguma passar de 15 minutos, (15 minutos de pregação da Palvra, não impedindo que o pregador, movido pelo Espírito Santo, queira conduzir uma oração com a assembléia para fechar sua fala) vejamos que o grupo deve levar o povo a Orar em Espírito e Verdade, exercer os carismas e serem curados. Deve ser um anúncio breve com muita autoridade, destemor, anunciando com a vida, falar de coisas que se vive, ter muito cuidado para não fazer com que um lindo anúncio termine com um contra testemunho que deixe a assembléia desmotivada (todos nos conhecem, sabem de nossas vidas, se falamos de algo que não vivemos, mentimos para nós mesmos e para Deus e a assembléia percebe). Testemunho dado pelo pregador não pode  ser um desabafo, nem vanglória. Sugerimos que usem textos curtos, muitas vezes o texto escolhido é tão longo que, somente sua leitura toma grande parte da pregação. Não abandonem a Palavra no grupo. Existem grupos de oração que muitas vezes nem abrem a Palavra, o que é um grande desprezo à revelação de Deus para nós. A Palavra tem que ser proclamada e anunciada. Muitas vezes o que pensamos ser um simples anúncio, sendo feito com Unção, no poder do Espírito, sem deixar que o “EU” e a vanglória nos domine, uma só palavra deste ensino pode curar alguém que está na assembléia. Assim percebemos também que o Pregador da Palavra acaba por ser um intercessor, visto que esta unção na pregação só virá depois de uma freqüente intercessão com Missas, Jejuns, Adoração,Vigílias, Meditação e reza do Rosário. Lembro aqui de uma ocasião em que o então Padre Adair ia pregar em um Grupo de Oração e se colocou em Adoração antes da pregação, antes do horário do grupo. Nesta adoração, o Senhor mostrou a ele que iria curar uma mulher vestida de vermelho e, para sua surpresa, quando pega o microfone para pregar, a primeira pessoa que vê sentada no banco da frente, trajava um vestido vermelho. Ele proclamou que o Senhor tinha uma cura para aquela mulher e ela se derramou em prantos e saiu dali curada. Porque aconteceu isso? Porque ele era o padre? Não. Aconteceu porque foi um pregador adorador que, como João, se reclinou sob o peito do Mestre para ouví-lo. O Pregador muitas vezes pensa que só precisa falar e se esquece de ouvir Daquele que na verdade vai dar o recado, que é o próprio Senhor. Foi pela intimidade com o Senhor que Elias enfrentou 450 adoradores de Baal sem ter medo de mandar fogo em uma lenha molhada sem colocar o fogo por parte humana, mas um fogo vindo do Senhor (IRe 18-20-39); foi pela intimidade que, quando o povo diante do mar vermelho via a morte enquanto Moisés conseguia ver o mar se abrindo para a salvação desse povo (Ex. 14); foi pela intimidade que o Discípulo João conseguiu arrancar de Jesus a resposta de quem seria o traidor (Jô.13,25-26). E assim, muitas outras Palavras existem para nos provar que só os íntimos do Senhor, obtêm Dele as respostas que precisam, e ninguém mais que um Pregador da Palavra necessita de muitas respostas do Mestre antes de chegar diante de uma assembléia para o anúncio.
Ao pregador se faz necessário também que, neste momento de intimidade exerça sem pressa e com poder o Dom da Oração em Línguas, deseje o batismo no Espírito Santo de novo em sua vida e na sua pregação. Pregador de Grupo de Oração que não ora em línguas está no lugar errado. É melhor que vá dar catequese ou realizar uma outra atividade na igreja. Quantos pregadores têm preguiça de orar em línguas, de se encher do Espírito Santo! Por este e outros motivos já frisados é que temos pregações vazias, sem nenhum conteúdo e deixamos nosso povo sem receber aquilo que precisam. Padre Robert Degrandis fica 3 horas orando em línguas antes de uma pregação e nem precisa dizer o que acontece quando ele está pregando, já conhecemos bem. No Evangelho de João 14,26, Jesus fala que o Espírito Santo é quem revelará tudo e relembrará tudo. Se como pregadores anunciamos a revelação de Deus, como anunciaremos sem o auxilio Daquele que revela? E sem Seu auxilio como relembraremos das moções que ao longo da preparação fomos tendo? Porque que os grandes pregadores da Palavra não necessitam dos “papeizinhos” auxiliando na pregação? Por quê buscam antes da pregação uma grande intimidade com o Espírito Santo na oração em línguas e quem relembra já não são os “papeizinhos” mas o próprio Espírito Santo. Nossos pregadores tem que ter o cuidado de não estar pregando “teologias da prosperidade”, comuns nos cultos protestantes. Pregador da RCC anuncia o Cristo Crucificado, morto e ressucitado.
                  Assim, terminando, deixo a palavra dos Atos dos Apóstolos 18,9  - “NÃO TEMAS! FALE E NÃO TE CALES. EU ESTOU CONTIGO.” E NOS DIRIGINDO AOS COORDENADORES DE GRUPO, FAZEMOS A SEGUINTE ADVERTÊNCIA: CONVIDE PARA PREGAR NO SEU GRUPO DE ORAÇÃO QUEM REALMENTE PARTICIPA DE ALGUM GRUPO DE ORAÇÃO, MESMO QUE NÃO SEJA ONDE VOCÊ COORDENA. PORQUE ESTE PODE SER CONSIDERADO UM VERDADEIRO CARISMÁTICO.

Desejamos que este texto seja lido e estudado nos núcleos dos Grupos de Oração e repassado cópias aos pregadores da RCC paroquial e aos grupos de casais, onde estes se reúnem..


Na Graça do Senhor Jesus que nos exorta todos os dias, Na Unção do Espírito Santo que nos guia e na incansável intercessão de Nossa Senhora, fica o nosso abraço.


                   ABERALDO FERNANDES CARDOSO
                 Coord. Diocesano do Ministério de Pregação
berinha
Enviado por berinha em 04/06/2008
Cdigo do texto: T1019915

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Aberaldo Fernandes Cardoso). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
berinha
Goiansia - Gois - Brasil, 40 anos
4 textos (10440 leituras)
(estatsticas atualizadas diariamente - ltima atualiza豫o em 24/11/14 15:53)
berinha



Rdio Potica