Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Dono de Harumi

Tens em mãos uma carta apaixonada, pelos teus gestos, teus sorrisos e teu cheiro, nada menos que isso. Algo que você lendo, terá apenas em suas mãos todo o peso de algo que não sei se chama amor.
Como toda paixão, aconteceu de repente, nem tão rápido assim; já falava teu nome bem antes de falar-lhe pessoalmente. Não creio que poder ser o resultado de algum sonho meu, nem contarei mentiras para que sejais. Apenas que, não foi sonho meu, mas uma realidade além de sonhos...Nunca pude imaginar-te, e de repente, você me surpreende com sua forma doce e obscura de ser. Julgo que és profundamente realizado. Quero-lhe como eu nunca quis algum ser qualquer.
Nossos olhares, percebi, se prenderam algumas vezes, aquele momento estático não sai de meu coração, não cala o dragão vermelho que tenho dentro de mim.
Diga-me se isso seja amor, diga-me com a certeza de qye nada de mim passou por sua cabeça, que eu não fiz diferença. Diga-me e sei, estou pronta para partir, quero rapidamente a resposta, assim aprendo definitivamente que não posso imaginar que aconteça, mas eu devo esquecer que um dia pode vir a ocorrer.
Sei que foi pouco o tempo para te dizer, na verdade, não direi, apenas quero que saibas, por engano, por um destino do qual eu não farei parte.
Supreendeu-me seu sorriso, logo, seu gesto, seu olharm suas palavras, sua voz. Incomparável, imporvável, indescritível. Apenas queria ter mais um dia como este para fazer-me inteiramente feliz e nunca mais acordar deste sonho. Julgue-me como bem entender, seu que depois irá se arrepender, tendo ou não gostado de mim. Sou o nada, procurando algo concreto, inteiro e real. Algo que me assusta, que me faz querer sentir mais uma vez tudo o que, parece-me que nunca senti.
Estou aqui, esperando, acreditando que a minha presença para você chegou a ser agradável. Eu vi e chireu todas as coisas verdadeiras que passei por um momento com você. E eu vejo-me sendo vista por tanta gente atrás de mim, querendo meus sonhos, achando que podem tirar de mim aquilo que nem eu mesma posso tirar. A lembrança da forma que é você.
Não creio que consegui chegar a te dizer que já é essencial para mim, calo-me por esta carta, para tentar expressar e esconder todas as lágrimas de quando eu visitei um paraíso. traga-me a visão, traga-me a vida. A partir de hoje morri, sou um anjo escuro e doce, sombrio e triste que guarda todas as coisas boas e verdadeiras só para você. Serei sombria, fria e quieta, até que você apareça em mim.
Ficar olhando para sua imagem, assim estática, me faz pensar se realmente é para você que darei meu coração. Já me enganei muitas vezes e a vida me fez aprender a não me enganar mais. Amar já não importa, mas eu não me canso de olhar para seus olhos, que nem olham para os meus, parados, estáticos, premissos, flutuantes e por aí...perdidos, talvez em mais uma de suas aventuras emocionais.
Isso me faz me odiar cada vez mais, em cada ruído seu, sem teu calor, em cada sentido seu, sem teu amor. Não te quero mais, e vejo-te em uma imagem estática, triste, confusa, sem permissão que eu a ame, sem permissão que eu a queira. Tento me entender, ora, nem eu mesma entendo...O fato de ter te visto assim.Eu te vi?! Apenas uma imagem, guardada em minha pequena e mísera mente, que teima em ficar também,parada em seu olhar, tão longe, tão longe...Eu estou perto de você. Você que está muito longe de mim, de minhas asas.
Já vou-me por saber que estou novamente no caminho errado, não lhe darei esta carta, pois sei que nada além de tirar seu ar, é o que eu vou fazer. Assim, deixar-te-ei nesse momento, como alguém que nem chegou a ser o que você tanto quis.
Amei-te pelo menor momento que pude amar alguém, mas com a maior intensidade que pude amar neste instante, apesar desse instante não querer passar...
Vejo-lhe hoje, sem responder-me, sem avisar-me. Sei que não faço diferença, e só, eu aprendo, que não vou mais falar teu nome em vão: Eu te perdi, porque nunca o tive; eu não quero te sufocar, porque já fiz isso antes; eu não vou te esperar, porque você não quer vir ao meu encontro; eu não vou chorar, porque não vale a pena chorar, não por você, mas por mim, que sempre esqueço que sonhar não é tão fácil assim.
Pucca
Enviado por Pucca em 26/03/2006
Código do texto: T128882
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Pucca
Osasco - São Paulo - Brasil, 27 anos
9 textos (3945 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 03:24)
Pucca