Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CARTA DE UM SUICIDA

          Em janeiro de 2007, meu vizinho morreu vítima de acidente de trânsito e quando os seus familiáres foram fazer uma pintura na casa, agora em dezembro de 2008, encontraram esta carta escondida atráz de um quadro que estava pendurado na parede de seu quarto.
          A carta dizia o seguinte:
          Olá pessoal...
          Se o meu plano tiver dado certo, vai fazer dois anos que eu morri, e esta carta só agora foi encontrada.
          Sei que a cada dois anos a casa é pintada para as festas de fim de ano. Como ela foi pintada recente, só agora é que deve estar sendo pintada novamente e os quadros foram removidos da parede.
          Eu fiz dessa maneira para que o alarde não fosse grande e também para que nimguém fosse questionado a rerspeito do meu suicídio.
          A todos eu peço desculpas pelo ato e não quero que ninguém se culpe por isso. Eu cheguei à conclusão de que este mundo não era para mim e que não valia mais a pena viver...
          Eu era uma pessoa bem sucedida, tinha um bom emprego, carro, muitos amigos e curtia muito a vida. Mas tem um ditato que diz que na vida nada dura para sempre.
          É verdade...
          Perdi o meu emprego e como não tinha co hábito de guardar dinheiro, logo me vi sem nada...
          Os amigos sumiram...
          Quando eu tinha carro e dinheiro, não faltavam convites para festas, viagens, noitadas, etc.
           Já nem lembro a última vez que alguém me convidou para alguma coisa...
           Isso me magoou profundamente...
           Não conto as noites em que virei a noite com os amigos e na hora de pagar a conta, eu fazia questão de pagar sozinho...
           Depois que fiquei sem nada, via os amigos nos bares  bebendo, passava prá lá e pra cá e nada de me convidarem...
            Isso me doía muito...
            A gota d!agua foi o amigo secreto que a gente fazia juntos há vários anos ce no último ano me deixaram de fora...
            Foi nesse dia que eu decidi que esse mundo de pessoas falsas não era para mim...
            Como não queria dar despesas a ninguém, decidi que ser atropelado seria a melhor forma de morrer. Assim a família receberia o seguro da minha morte, pagava o enterro e ainda sobraria algum para alguma despesa extra.
             Assim decidi e assim fiz.
             Se o motorista que me atropelou tiver pagando alguma pena, peço que levem esta carta até o delegado.
              Mais uma vez peço desculpas...
              Mas foi melhor assim...
              Adeus!
valdenir
Enviado por valdenir em 22/12/2008
Código do texto: T1349164

Copyright © 2008. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
valdenir
Fortaleza - Ceará - Brasil, 51 anos
25 textos (32795 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/12/14 20:44)



Rádio Poética