Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Carta à minha mãe

Rio de Janeiro, 14 de maio de 2006 

Querida mãe, 

     Não pretendo compor um lamento, não há o que lamentar por ser teu filho. O amor que tu me deste era doce (...) continua doce, mamãe. Não sou mais o garotinho magrinho, barrigudinho, chorão, ao contrário, maduro e calejado, mas ainda mimado em teu colo de afagos e ternuras. 
     Ah mãezinha, eu te amo! Amo e me pergunto por quê? Porque tens o dom da palavra calada, possuis a perspicácia dos sábios e a parcimônia dos deuses generosos? És solidária em tuas atitudes, capaz e justa em tuas decisões? Vives para nós e, se houver tempo, um pouco para ti mesma? São perguntas retóricas, mãezinha, e tua simplicidade é absoluta, contundente, por isso te entendo, admiro, venero. 
     Desculpa-me, querida, o tempo perdido com lamúrias e discursos contestadores vazios. Perdoa-me os idílios e arroubos de juventude, discutindo contigo as decisões da sapiência nesses tempos de ainda inconsciência. 
     Não me culpes, eu te peço, desculpando-me outra vez, pela primavera: eu era flor; e tu, jardim; e quando eu era verão, quente e sufocante, tu eras a brisa, a aragem da sombra redentora. Hoje estou no outono, amor eterno, a geada já chega em meu telhado e posso mais claramente, entender o inverno que se avizinha, quando acaricio teus cabelinhos nevados. 
     Perdoa-me, mãe, por demorar uma vida para dedicar dez minutos e torná-la eterna aos olhos dos poetas que trilham os mesmos caminhos tortuosos que esse teu filho, “prodígio”, tu afirmavas, pródigo, ouso corrigi-la pela última vez. 
     Parabéns, não por hoje, efêmero dia que se irá, mas pela dignidade, coragem e leveza de teu Espírito de Luz.

Teu filho
Nel de Moraes
Enviado por Nel de Moraes em 28/04/2006
Código do texto: T146858

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor e o link para o site www.neldemoraes.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Nel de Moraes
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 56 anos
407 textos (351720 leituras)
2 e-livros (297 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 00:44)
Nel de Moraes