CapaCadastroTextosÁudiosAutoresMuralEscrivaninhaAjuda



Texto

Dádiva de Ísis

Uma flor
Linda e com um perfume único. Que por algum motivo, insiste em fazer suas pétalas caírem. Sabe que seus espinhos machucam e faz questão de mostrá-los, talvez como forma de que apenas aqueles que saibam apreciar uma flor possam se aproximar, ou talvez pelo simples fato de ter medo que a toquem e assim, a machuquem como tantas vezes aconteceu.
 
Uma borboleta
Que insiste em se fechar em sua crisálida, que insiste em ter medo de voar e mostrar seu lindo par de asas que enche os olhos daqueles que apreciam essa bela criação da natureza. Tem medo de sair de seu casulo, de voar. Falta-lhe confiança para sair de sua aparente proteção própria, seu casulo que a impede de ser atingida por aquilo que lhe faz mal, mas que também lhe impede de visitar novos lugares, voar mais longe e mais alto. Subir até aonde não possa ser mais vista. Na altura que lhe é merecida. Sua beleza, lhe permite voar perto das fadas, mas seu medo do mundo, sempre a faz se fechar mais e mais em seu casulo, como se não se sentisse a linda e forte borboleta que é, e sim a fraca e feia lagarta.

Uma eterna princesa
Que do alto de sua torre, espera que aquele príncipe encantado montado em um cavalo branco venha buscá-la para viajar por um mundo de fantasias. Ainda espera pelo dia que seu conto de fadas vai acontecer. No fundo, não acredita mais em histórias de princesas, fadas e dragões, mas ainda lhe resta a esperança de um dia, esse príncipe apareça e a salve da muralha feita por ela mesma. Alguém que consiga transpassar a parede que a protege e separa do mundo lá fora. Alguém que a proteja desse mundo que tanto a assusta.

Uma menina
Que brinca, corre e se diverte. Gosta de festa, de dançar e de doces. Que vislumbra uma vida inteira de felicidade e diversão. Mas que ao mesmo tempo, tem medo do futuro, foge do passado e não sabe como viver o presente. A única coisa que sabe, é que vive, não sabe por que, e mais do que isso, não vê por que, mas vive. Igualmente como uma criança que não sabe por que está ali, naquele momento, simplesmente vive.

Uma mulher
Sabe usar seus atributos. Sedutora. Sabe o que quer e como quer. Sabe do que gosta e do jeito que gosta. Não se importa de ir contra aqueles que não estão ao seu lado. Não tem medo da solidão. Até por que, em vários momentos, ao seu ver, é sua única companheira. Não tem mais medo do escuro.

Uma dádiva de Ísis, a deusa egípcia do amor e da magia.


El - 04/02/2009
Isael
Enviado por Isael em 09/05/2009
Código do texto: T1583849

Copyright © 2009. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
Isael
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
4 textos (7789 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 02/09/14 03:42)