Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Meu grande amor sem sentido

Eu não entendo...
Porque tu brigavas comigo quando na verdade, me querias ao seu lado o tempo todo?
Porque me agredias quando tudo o que querias era me abraçar?
Porque me ignoravas, enquanto tua mente e teu corpo ansiavam por mim?
Porque dizias que me odiava, mesmo sabendo que me amavas?
Porque fingistes estar feliz longe de mim, quando teu coração te dizia o contrário?
Porque saias com outras mulheres, quando na verdade querias era ficar só comigo?
Porque dizias que eu não prestava para você, quando sabias que, na verdade, tinhas era medo do que eu o fazia sentir?
Porque dizia lamentar ter me conhecido, quando teu coração dizia que eu era a mulher perfeita para ti?
Porque só citavas os meus defeitos, quando queria dizer o quanto me admiravas?
Porque me deixavas só para sair com teus amigos, enquanto teus pensamentos ficavam em mim?
Porque me desprezaste quando tudo o que querias era ficar comigo?
Porque falastes palavras amargas, quando só querias era me beijar?
Porque me fizestes sofrer tanto, quando, tudo o que desejavas era ser feliz ao meu lado?
Porque zombastes de mim, quando, na verdade, teu coração chorava temendo me perder?

Tu te esforçastes tanto em demonstrar o que “não” sentias por mim, que acabastes me convencendo de que eu não era amada por ti...

Tu me mandastes para fora da tua vida, tantas vezes, que eu acabei aprendendo o caminho...

Tu me intimidastes tanto, que eu acabei esquecendo como fazer para voltar...

PORQUE NÃO DISSESTES O QUE  REALMENTE SENTIAS POR MIM???

Eu te amei mais do que a mim mesma...e tu me perdestes para outro...que agora tomou o lugar que teria sido teu por toda a eternidade...se tivesses tido a coragem de dizer “eu te amo”.

Agora...
O homem com quem eu divido as minhas  alegrias e tristezas...não és tu...
A casa onde eu moro...não é a tua...
Os filhos que eu tenho...não são teus...

E tudo isso... porque usastes “demais” a lógica e sentimento “de menos”...

Agora a felicidade que ilumina a minha vida, te ofusca, e ao invés de reconheceres que és o único responsável pela tua própria infelicidade, mais uma vez tu me culpas por isso.

Quando é que tu vais crescer?
E perceber que o mundo não gira somente a tua volta? E que todos têm direito
a um lugarzinho ao sol?
Que a felicidade não se compra...se conquista!
Que o teu maior erro foi me considerar somente um brinquedo, que tu podias pegar e largar a hora que quizesses...
Que todas as lágrimas que eu derramei por ti, um dia seriam recompensadas com risos de alegria e felicidade...
Que todo o sofrimento a que me submetestes, um dia, me faria alçar vôo em busca de algo maior: a felicidade...

Perdestes a preciosa oportunidade de ficares calado...
De dares o melhor de ti...
De seres verdadeiro...
De se valorizar...e valorizar o que tinhas...
De se dar o direito de amar e ser amado...
De se permitir ser feliz...

Agora te restas lamentar o que “não” fizestes...

Na ânsia de querer me transformar num objeto de teu consumo... tu... sem querer, me fez sob medida para outro...
Eu fui a mulher perfeita para ti, todavia, por seguir somente a tua lógica, não conseguistes enxergar o que era tão óbvio...
E agora lamentas a tua perda...
Um pouco tarde para isso...
Porque outro, contrariando toda a lógica masculina, conseguiu ver nos meus olhos, no primeiro contato, a mulher verdadeira, inteira, prontinha para amar e ser amada, que tu, em todo o tempo em que me teve ao teu alcance, não soube identificar...
E no afã de poder dividir tanto amor e energia em mim concentrados e não aproveitados por ti, me entreguei totalmente, sem reservas, sem a culpa que tu me fazias sentir...e acima de tudo...sem medo de ser feliz!!!

Agora, ao ver o que não soubeste segurar, tu, em completo desespero, me pedes para voltar...
E novamente eu te digo: um pouco tarde...
E vejo, com a clareza da água de uma fonte, que não te amo mais...
Então, eu me percebo chorando...
Só que desta vez, são lágrimas de alegria...
Emoção essa que contigo nunca experimentei...

Volto pra casa feliz, sorrindo à toa, sabendo que finalmente estou livre de um amor opressor, egoísta e sem sentido...
E a cada passo dado, mais e mais o meu coração se enche de alegria, por ter a certeza
De que, ao chegar, terei todo o amor que sempre mereci e contigo nunca tive...

Tu não fazes idéia do quanto eu te sou grata por me fazer ver todos os meus defeitos, pois assim eu pude reconhecê-los e trabalhá-los, com a humildade de quem não sabe que tem o direito de ser feliz, para finalmente estar pronta para o verdadeiro amor...

O amor que nada cobra e tudo dá...
O amor em que a entrega é total e de ambos...

Gostaria de poder recompensá-lo pelo bem que me fez, ao me fazer tão infeliz, mas não sei como, pois a sintonia que havia entre nós já não trabalha na mesma frequência.
Eu já não te reconheço mais...
Eu já não te sinto mais...
O medo que eu sentia foi embora junto com todo o imenso amor que eu sentia por você...
Já não te amo mais...
Já não faz diferença o que pensas sobre mim...
Tudo foi embora junto contigo ...
Nada restou...

Às vezes me pego pensando em que fim levou todo aquele louco amor que um dia eu senti por ti?
Mas não espero pela resposta, pois agora sei que nem tudo é lógico, principalmente no amor.

Resta-me a intenção de desejar que tu encontres a pessoa “certa” que tanto procuras, e que ao encontrá-la, não tentes moldá-la ao teu jeito, como fizestes comigo, pois assim estarás fadado a perdê-la também...

Tantas foram as vezes em que tentei te dizer tudo isso!!!
Mas tu não querias ouvir e calava a minha boca com um beijo, pois não te importava saber o que “eu” sentia...

Que pena! Hoje já não tens mais nem a minha boca para poder calá-la com um beijo...

Agora eu sei que, por trás dessa fortaleza toda, existe um menino carente, que não sabe como amar por, talvez, nunca ter recebido amor na infância, o que explicaria toda a tua agressividade nos raros momentos em que tu te rendias ao meu amor, tornando-se vulnerável...
Tão raros e breves foram esses momentos, mas ao dar-se conta, tu voltavas enfurecido, desejando me destruir, por te fazer sentir isso.
Tu me ensinastes que amor significava dor e sofrimento, o que é uma inverdade...
O amor nos faz sentir leves...livres...soltos...
Leves como uma pluma...
Livres como um pássaro...
Soltos como flutuar no ar...

O amor nos faz ver tudo diferente, tudo é belo, alegre e nada de ruim acontece quando se ama e se é amado...

Agora sei disso... e só me resta agradecer por me haver feito sentir esse louco amor que parecia sem sentido, quando na verdade não passou de um aprendizado para eu vir a encontrar o verdadeiro amor, que não estava em você.

Bea
19/01/2006


BEA
Enviado por BEA em 19/06/2006
Código do texto: T178710
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
BEA
Curitiba - Paraná - Brasil
19 textos (39775 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 12:08)
BEA