Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

"CARTA DE ADEUS DE UM JOVEM DE 19 ANOS VÍTIMA DOS TÓXICOS"

"Acho que neste mundo ninguem procurou descrever o seu próprio Cemitério.Não sei como meu pai vai recebê-lo; mas preciso de todas as forças enquanto é tempo. Sinto muito meu pai acho que este diálogo é o último que tenho com o senhor. Sinto muiro mesmo...Sabe, pai, está em tempo do senhor saber a verdade que nunca nem desconfiou. Vou ser breva e claro. Bastante objetivo. O TÓXICO me matou. Travei conhecimento com meu assassino, o TÓXICO, aos 15 ou 16 anos de idade. É horrivel não pai? Sabe como nós conhecemos isso? Através de um cidadão elegantemente vestido, bem alegante mesmo, bem falante, que me apresentou o meu futuro assassino: o TÓXICO.
Eu tentei recusar, tentei mesmo,mas o cidadão mexeu com o meu brio, dizendo que eu não era homem.Não é preciso dizer mais nada, não pai? Ingressei no mundo do TÓXICO. No começo foram as torturas, depois o devaneio e a seguir a escravidão. Depois veio a falta de ar, o medo, as alucinações e logo a seguir veio a euforia do pico novamente. Eu me sentia mais gente do que as outras pessoas; e o TÓXICO, meu amigo inseparavel, sorria, sorria...
Sabe pai, a gente quando começa acha tudo ridículo e muito engraçado. Até DEUS eu achava ridículo e hoje no leito do hospital, eu reconheço que DEUS é o mais importante de tudo no mundo, e que sem a ajuda dEle eu não estaria escrevendo esta carta.Pai, eu só tenho 19 anos e sei que não tenho a menor chance de viver. É muito tarde pra mim. Mas para o senhor, meu pai, tenho um último pedido a fazer:diga a todos os jovens que o senhor conhece e mostre a eles esta Carta.Diga a eles que em cada porta de escola, em cada cursinho de faculdade, em qualquer lugar há sempre um homem elegantemente vestido e bem falante, que irá mostrar-lhes o seu futuro assassino e destruidor de suas vidas e que os levará à loucura ou à morte, como aconteceu comigo. Por favor, faça isso meu pai, antes que seja tarde demais para eles.
      Perdoai-me, pai. Já sofri demais. Perdoai-me também por fazê-lo sofrer pelas minhas loucuras.

                   ADEUS MEU PAI...

OBS; DEPOIS DESTA CARTA, O JOVEM MORREU.
     CASO VERÍDICO: Hospital 23 de Maio-São Paulo.

Aqui só transcrevi esta carta por achar que é de grande valor para todos os jovens, seus pais, parentes e amigos.

Londrina, 05/07/2006
Raimundo Otoni
Enviado por Raimundo Otoni em 05/07/2006
Código do texto: T188116
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Raimundo Otoni
Londrina - Paraná - Brasil, 86 anos
39 textos (3459 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 16:14)