Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Desculpe mãe.

   Hoje passei o dia inteiro pensando em lhe escrever, não é uma carta de despedida ainda apenas o que eu gostaria de ter lhe dito há muito tempo.
   Desculpa, mãe por tê-la feito chorar.
   Desculpa, mãe por ter sido uma decepção para você.
   Desculpa, mãe pelas noites em que você passou em claro quando eu estava doente.
   Desculpa, mãe pelo tempo em que você passou naquele hospital quando eu estava com meningite.
   Nunca lhe dei orgulho não é mesmo mãe?
   Eu só posso lhe dizer isso, desculpas e mais desculpas.
   Eu queria tanto ter sido o filho que você queria, inteligente, belo, trabalhador. Mas eu não escolhi ser assim mãe, perdedor, fracassado, inútil, derrotado, que não serve para absolutamente nada.
   Mas eu não suportei mais você me "jogando na cara" tudo o que fez por mim.
   Eu não suporto mais ser um erro que nunca deveria sequer ter existido, eu não pedi para nascer.
   Se você tivesse me abortado teria poupado a sua decepção e a minha infelicidade.
   Mas eu não a culpo por se queixar deste imbecil pois qual mãe sentiria orgulho de ter posto no mundo um erro da natureza.
   Até os meus últimos momentos eu não esquecerei o que você me disse "queria que me desse orgulho uma única vez", mesmo sabendo que era verdade as suas palavras me feriram, machucaram, dilacelaram, se tivesse me esbofeteado ou agredido fisicamente de outra maneira, doeria muito menos pois as palavram ferem como um punhal, a lingua é mais afiada que uma navalha.
   Eu me despedirei da vida mãe lamentando que você nunca tenha me amado.
   Desculpa por todas as dores que eu te causei, queria tanto vê-la sorrir, é tão lindo seu sorriso mãe.
   Mas  agora não há mais tempo mãe. Eu jurei que isto não duraria mais tempo, você não faz idéia do quanto eu sofro, apenas me julga. Mas mesmo que você não me ame eu sempre te amarei mãe onde quer que eu esteja. Quando eu for você será feliz, pois não terá mais "dores de cabeça" e nem um inutil lhe batendo a porta.
   Como eu já disse eu sempre te amarei mãe nem que eu esteja no inferno, pois se você me esqueceu eu nunca a esqucerei.
   Adeus mãe seja feliz.
   Terminaram as dores, secaram-se as lágrimas.
   Nunca mais haverá tristeza.
Arcanjjus Negrus
Enviado por Arcanjjus Negrus em 08/07/2006
Reeditado em 09/07/2009
Código do texto: T190154
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Arcanjjus Negrus
Pinhais - Paraná - Brasil, 34 anos
1311 textos (86567 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 10:53)
Arcanjjus Negrus