Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Carta a uma irmã mais velha

        Gostaria tanto de cuidar de ti, de te abraçar, dar-te colo, consolo, dizer palavras que curassem as máculas que as circunstâncias da vida lhe causaram. Mas foges... Já me sinto impotente e com você se reservando, disfarçando, omitindo, deixa-me com um sentimento de inutilidade e uma tristeza profunda em ver um ser amado escondendo lágrimas, engolindo palavras, mantendo a postura de fortaleza. Eu não enxergo a máscara que queres usar para evitar preocupações aos que te rodeiam, sua maquiagem não te encobre pra mim, mas se não posso fazer algo por ti, permita ao menos que os mais próximos a ti tentem sanar tua dor.
Quero ver-te bem, em processo de superação, não importa se há minha contribuição ou não, contanto que o girassol continue a buscar a luz do astro rei, e se mantenha mais amarelo do que nunca.
Embora eu quisesse receber um chamado teu para eu sentir que entendes bem nossa fraternidade e a seriedade da minha dedicação ao ser que Deus me presenteou. Ah, lembras da trilha sonora “Ain´t No Moutain High Enough”?! Falei sério quando te dediquei ela. Aceita que és um anjo em forma humana, assim como Deus enviou Jesus como Homem e que sentiu as dores como nós, você é auxiliadora sim, porém não impeça que sejas auxiliada.
Agora retorno a minha condição de intercessora e para não ter a sensação de que nada estou a fazer, entrego teu ser em oração ao nosso Pai e Criador, o Único a quem você não pode enganar sua dor, seus incômodos, inquietudes. Vou direto A Fonte que pode te restaurar.
        Me disponho a ser instrumento da ação Divina, porém Ele sabe o que é melhor pra ti e eu já O agradeço na certeza de que ficarás bem.
Amo-te com um amor que pensei que apenas iria dedicar a um filho, tamanho é o cuidado que tenho contigo e a pureza dos sentimentos.
És uma irmã mais velha pra mim, porém isso não impede que sua irmã caçula venha a ser também cuidadora de ti e não apenas ser cuidada, aliás como uma aplicada e grata irmã que sou, aprendo muito contigo e o cuidar é um desses aprendizados. Já o trazia em mim, mas ao me deparar com alguém com tanta afinidade comigo, e que compreende bem a importância do amor puro, da amizade, só tenho a praticar o que sinto.
        Espero que aceite segurar minha mão sempre que precisar, que acione meus ouvidos sempre que quiser falar, ou então que me convide mesmo que seja para silenciar, mas que não enfrente tudo só, pois sozinha não estas.

(26/01/2010)
Rafhaela de Andrade
Enviado por Rafhaela de Andrade em 27/01/2010
Código do texto: T2053442

Copyright © 2010. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Rafhaela de Andrade
João Pessoa - Paraíba - Brasil, 27 anos
138 textos (9018 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 31/10/14 12:16)
Rafhaela de Andrade



Rádio Poética