Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Meus dezoito anos...

  É engraçado, eu ainda me lembro de travessuras e traquinagens diversas de uma infância tão pura que tive. Mas meus dezoito anos, esses com certeza eu nunca vou me esquecer... Devem estar se perguntando:"_O que há de tão especial?" Deixem-me contar um pouco sobre esse tempo...

   Antes dos quinze anos agente não vê a hora de chegar aos quinze, depois dos esperados e esmerados quinze anos queremos euforicamente que chegue os dezoito anos, e quando eles chegam, de uma forma da qual desapercebemos; nos vemos confrontados com a realidade de um mundo diferente, e daí passamos a nos sujeitar esquecer um pouquinho do que fomos atrás e a querer crescer nesse mundão tão livre e cheio de oportunidades... Mas de repente bate um medo, e pensamos como tudo era tão fácil e gostoso antes dos dezoito anos que aguardávamos eufóricos com inúmeros planos:"_vou fazer faculdade, aprender a dirigir, viajar para lugares diferentes, conhecer diversas pessoas, trabalhar em empregos divertidos e satisfatórios, ter um hobby..." Puxa, quantos planos! Mas o que aconteceu com tanta vontade e desejo de ser independente? Como eu me perguntei a respeito de tudo isso, foi então que eu percebi: 'Era hora de crescer'.

   Meio que sem querer passei a me reeducar, meus tantos planos e sonhos sem fim eu perdi por aí e ainda busco reencontra-los. Aos poucos fui me acostumando e me aconchegando nesse novo processo da vida. Sabem que até me superei, não foi tão difícil... E confesso que saudades eu sinto, pois nem se quer me despedi e já queria ter meus dezoito anos denovo, lá no comecinho, onde eu achei que era melhor ser uma eterna criança... E que bom foi descobrir que nunca vou deixar de ter cinco, dez, quinze ou dezoito anos... Aqui dentro tem um espírito muito jovem e vigora a lembrança dessa vida cheia de aventuras; de uma traquinagem aqui, uma paixão ali, um medo se apagando e outros medos se criando...
Meus dezoito anos aqui vou deixando, mas com coragem, da saudade vou me compondo, me fazendo nova na força dos meus findos anos de vida pela frente!!!
 
     Agradeço aos meus queridos leitores e lhes peço com o coração cheio de saudades: "Guardem com vocês no pensamento essa carta de confissão, pois tenho certeza de como se lembraram dessas fases boas da vida!"

                   
frany
Enviado por frany em 26/08/2006
Código do texto: T225720
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
frany
São Paulo - São Paulo - Brasil
4 textos (175 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 13:52)