Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
1 - primeiro texto

Poeta, que bonito: depois dos versos o silêncio. Dê notícias de R. Um beijo.
Enviado por Rosane Coelho em 24/10/2006 22:55
para o texto"a indiferença"

teste. Dona Camila, a mala
Tue, 24 Oct 2006 21:25:26 -0300
Queria q vcs vissem a minha fachada, não se assustem. Tive um siricotico, hoje, e quase bati com as 10, estou bem, minha pressão foi para as tabelas, mas nem morri. Beijo, amo vcs. Camila
 

Não esqueci e fico feliz em saber o que sinto de prazer quando me deixas saber que também não me esqueceste.
Ontem escrevi e ia publicar no Recanto, mas não o fiz. Acho que vais ser uma das minhas poucas referências para uma experiência: um romance epistolar.
No teu caso, tuas cartas podem ser breves comentários. Ou imaginar e entrar na pele da personagem de quem serei (in_vento) o seu/teu... "o meu velho amante".
Se o quiseres fazer, podes ir escrevendo para ti cartas que depois me poderás dar a ler mas, como não tens tempo, veremos ...
Vou contar a história deste modo, melhor, começar por aqui:

escrivaninha móvel (narrativa erótica)
primeiro texto (micro-conto) 

{A continuação, ou não, da história é justo dependa e penda sobre a curiosidade dos leitores. Pausa: reticências..., para poderem ser leitoras e escritores/as que queiram intervir no s_eu des_enrolar. Um pouco como quem pesca...}

Querida colega de viagem, chamo ao meu PC portátil "escrivaninha móvel". Queria que me contasses da tua vida tudo, excepto identificares-te. Se quiseres arranjar um nome que seja fictício, se quiseres dizer onde nasceste que seja uma invenção, se me quiseres dizer onde vives que seja uma diversão... Para o caso de gostares da conversa e quereres dar-lhe continuidade, basta ficares com um número meu ou dares-me um número teu: diferente do número de porta duma habitação desconhecida :)
- Posso ler, para ti?
- Com muito prazer, chamo-me ...
- [Prazer, ...] O meu nome é R, sou personagem de ficção. Tento ser contista, sem grande sucesso, já não me lembro do último conto que escrevi!
Vou então ler, mas deixa-me agradecer o teu ar: perfeitamente calma e com alguma curiosidade. Digo, alguma, porque me olhas sem pressa e, neste momento, aproveitas para olhar à volta.
Provavelmente, a ver se alguém observa a nossa conversa? Isto porque, quando comecei a responder: a corresponder à tua resposta, liguei um gravador portátil: «O meu nome é R»...
Logo o teu nome não está registado, vou ler: o primeiro parágrafo e, dar-te a ouvir... todo o "primeiro texto". 

A azul vou-te contar o que penso seja a história. Conheço uma rapariga com quem viajo de comboio, ela conta-me a sua história erótica...
Imagino ser o personagem de quem ela fala na sua história «o meu velho amante» e, sem grande esforço, sem pensar muito no assunto, começo um registo do que poderia ser um romance epistolar. Não fosse, como já aqui revelo, um enredo um pouco mais elaborado. Apenas pelo seguinte:
Num romance epistolar o tempo vive do tempo de cada epístola, carta a carta, evolui desse modo. Aqui é um pouco diferente, ou poderá ser...
Imagino que tudo me é contado numa viagem de comboio, podia ser numa viagem de avião para a conchinchina...
Fico com o registo de muitas horas duma narrativa que vou tentar recuperar, depois imagino que mantenho contacto com essa personagem...
Na realidade a personagem desapareceu mas, ao publicar a minha narrativa, pode surgir uma nova personagem... 

Esta vai assim... a próxima vou já começar a escrevê-la, para ver se te envio...
Bjs 


{Peguei no último comentário e num dos últimos emails e até epígrafe_s dei a esta narrativa espiclundrifica...
Isto vai ser para ser o que for, quem comentar estará a contribuir para as epígrafes de novos episódios. Se não comentarem, nem chego a escrever nos "textos eróticos" :)
(Atenção ao áudio, d'o narrador fanhoso...)
Continua... (2 - tomando forma)
http://www.recantodasletras.com.br/visualizar.php?idt=275217}
Francisco Coimbra
Enviado por Francisco Coimbra em 25/10/2006
Reeditado em 31/10/2006
Código do texto: T273378

Áudio
primeiro texto - Francisco Coimbra
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Francisco Coimbra
Portugal
785 textos (310480 leituras)
37 áudios (39564 audições)
1 e-livros (148 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 00:28)
Francisco Coimbra