Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Convite - De Amores e Saudades - Fernanda Guimarães

Convido-os a visitarem a atualização do meu site.
Para acessar:
www.fernandaguimaraes.com.br
Ficarei feliz com a visita de todos vocês!
Carinho,

Fernanda


Atualização LXXXI


A felicidade possui muitos matizes e diversas formas de manifestação. Cores, por vezes, invisíveis à miopia de nossos olhares.
Parece-me, que a felicidade é tão mais palpável, quanto mais nos tornamos íntimos de nós mesmos. E esta proximidade e reconhecimento daquilo que somos, permite-nos vislumbrar o outro, como parceiro de caminhos e buscas.
Ser feliz é também saber celebrar pelas conquistas daqueles que nos cercam. Provar da felicidade é permitir-se comemorar a vitória do outro e deixar-se abraçar pela vibração que emana deste momento.
Hoje, rodeei-me da fragrância das minhas lembranças e abracei-me a recordação das boas amizades que a escrita foi me presenteando, no decorrer dos últimos anos. Desdobrei momentos, acendi os incensos que exalavam os aromas dos sorrisos compartilhados e revolvi as gavetas do tempo. Veio-me à mente os silêncios repletos de códigos e linguagens tão próprias daqueles que nos são afins. Affonso Romano no poema "Silêncio Amoroso II", diz-nos que "Calar, às vezes, é fina forma de amar".
Acarinhei em minha saudade cada um destes amigos que fazem parte desses tantos caminhos que tenho percorrido. Pelas persianas dos meus passos, olhares que me espreitaram, acariciando minhas tentativas de evolução. Amigos, que em vigília amorosa, vibraram com meus percursos, incentivando-me o prosseguir.
Continuo acreditando que o perfume da lealdade e da amizade são multiplicadores da felicidade.

E porque a emoção é sempre bem vinda, abram seus corações para as novidades desta atualização!

Em "A Quatro Mãos", eu e J.B. xavier em:

Para Além do Frenesi

Em "Amigos Poetas", atualizamos as páginas de:

J.B. Xavier

Ode à Ti

Prisões da Liberdade

José António Gonçalves - JAG

O Exército de Pablo Neruda

Linda Maria

Áspera Manhã

Versos de um final de domingo - tolo e inútil

Maria da Graça Almeida

Ecos

Nathan de Castro

Prisioneiro de Luas

Nelson de Medeiros

Procura

Versos Livres para uma Musa Presa

Em "Crônicas", leiam-me em:

Um Olhar-me em 19 de março de 2003

Em "Frases":

Amizade

Dádivas

Em "Textos que Seduzem":

Airo Zamoner:

A Lista do Malaquias

Artur da Távola

O Poeta é Perigoso

Lucilene Machado

Por Entre Ruas

Finalmente, versos meus:

Cálice da Saudade

Oferenda ao Amor

 

Não esqueçamos nunca que, mesmo quando ignoramos o nascer dos dias, o alvorecer não desiste de nós.

 

 

Carinho,

Fernanda Guimarães


Fernanda Guimarães
Enviado por Fernanda Guimarães em 29/08/2005
Reeditado em 25/08/2008
Código do texto: T45934
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Fernanda Guimarães
Fortaleza - Ceará - Brasil
430 textos (64357 leituras)
9 áudios (1782 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 12:55)
Fernanda Guimarães