Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Meu caríssimo ex-amor.


  Meu caríssimo ex-amor
     Lizete Abrahão
                                                             
    Como uma módica quantia para o sustento de uma casa, tu me davas não mais do que uma parcela minguada dos teus sentimentos.
    A cada ano que passava, tu foste exigindo de mim que eu me fizesse entregue, que sustentasse nossa relação, com os parcos carinhos com que te dignavas agraciar-me. Eu sempre os aceitei ansiosamente e tu nem percebias as consideráveis somas de amor com que eu contribuía, minuto a minuto, para a nossa união.
    Mas, sem saberes, eu retirava uma pequena parcela do pouco que tu me davas (porque tu nunca irias suspeitar que eu fosse capaz de roubar o nosso próprio cofre).
    Nada esbanjei do que de ti recebi e do que te roubei. Eu até poderia sair da tua vida, fugir ou morrer, sem nada te contar, e jamais desconfiarias de coisa alguma.
    Ah! Como tu foste cego! Tua cegueira não te permitiu perceber que aquela quantia irrisória de amor com que participavas  em nossas vidas não bastava para sustentar nossa relação, que precisarias contribuir no mínimo com o dobro.
    Mas eu me multipliquei por nós dois.
    Eu nem precisaria confessar-te isso agora, pois que nunca percebeste coisa alguma na tua avareza. E digo-te que outra mulher, talvez, não se saia tão bem quanto eu, e até poderias vir a cobrar dela o mesmo desempenho: se eu me arranjava por que ela não? Coitada...
    Entanto confesso: dos míseros bocados que tirei do que tu me deste, fiz uma poupança, aumentei meu capital. Hoje, tenho mais amor ainda do que quando a ti me entreguei e que irei aplicar em outro investimento mais seguro e rentável.
    Outra vez, desculpa-me, por te haver enganado, apesar de não ter te empobrecido mais do que sempre foste, mas eu saí rica da tua vida.
     Agradeço-te por isso.




(Inspirado em trecho do romance "Werther", de Goethe)









Lizete Abrahão
Enviado por Lizete Abrahão em 07/09/2005
Código do texto: T48558

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Lizete Abrahão
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil
89 textos (3325 leituras)
5 áudios (129 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 08:03)
Lizete Abrahão