Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

“Carta ao meu Personagem Favorito dos contos de fadas”

  Querido Peter Pan,

  Eu abri a porta à fantasia e tu entraste junto com ela, entraste para nunca mais saíres.
  Sabes que os contos de fadas me fascinam e foram eles que me levaram para longe daqui, um dia levaram-me para o teu Mundo, um Mundo em que só o bem triunfa.
  No teu Mundo aprendi que temos que ter a capacidade de ver por detrás das coisas, porque nada é como pensamos. E no fundo, o que importa o que os outros pensam? Eu acredito em ti, acredito em fadas! Foi lá que percebi que nunca se podem largar os amigos, nunca os podemos deixar para trás… porque eles fazem parte da nossa alma e será que uma alma incompleta pode sobreviver?
  “Um beijo escondido, serve para viver a maior aventura de todas, aqueles que o encontraram entraram e saíram do paraíso! Encontra aquele a quem pertence o beijo.” Eu consegui encontrar-te!
  Os sonhos são a voz da alma, a minha alma só chama por ti Peter, quero-te de volta aos meus sonhos. Quero que o relógio do tempo volte atrás para tu voltares! O tempo prende-nos e não nos deixa reagir! Os relógios lembram-me sempre daquilo que nunca podemos repetir!
  Foste tu que me deste “asas” e me ensinaste a voar contra o vento! Os pensamentos felizes continuam a fazer-me voar para longe, para um local onde a imaginação e a fantasia reinam, para um local onde tu viverás eternamente!
  Tu estendeste-me a mão e levaste-me contigo para o sítio mais maravilhoso que já conheci. “Terra do Nunca”, como pode o nunca ser tudo? Como pode alguém que nunca existiu, existir para sempre? Só eu sei o quanto é verdade.
  Quando aparecias, o Inverno tornava-se Primavera, a noite fazia-se dia, parava de nevar e o sol despertava. Agora o Inverno voltou, tenho frio, quero que apareças e me tragas calor. Ao som da balada mais triste vejo o gelo voltar a formar-se.
  Sempre soube que as nuvens não passavam de algodão doce, mas nada é mais doce que o teu sorriso. Nem a estrela mais brilhante conseguia ofuscar o teu brilho! Todas as luzes são mágicas, mas a luz dos teus olhos é a única que me conseguiu enfeitiçar e levar à loucura!
  Arriscavas a tua vida por mim, fazias isso de uma forma que nunca vi igual, parecia normal, tal como é normal a vida ter um fim. Contigo nunca temi nada, nem a coisa mais maléfica me faria tremer. Eu lutei a teu lado, admito que a força que me fazia lutar até ao fim, eras tu.
  Quando alguém morre é como se uma estrela caísse do céu, as estrelas são as coisas mais valiosas que conheço por isso são a única coisa que consigo comparar à vida. Mas a tua estrela não caiu totalmente, ela apenas se instalou dentro do meu coração. Enquanto eu viver ela estará sempre comigo e vai-me guiar tal como tu o fizeste. Naquela altura o destino não te deixou morrer, não entendo porque agora te deixou partir, ainda tenho esperanças que tudo isto seja um pesadelo e que quando acordar tu ainda estejas a meu lado.
    Sabes que o mistério me maravilhou, mas tu estavas ao meu lado, e trouxeste-me de volta à realidade. Mas quem sou eu para falar de realidade? Eu não conheço a realidade porque sempre vivi dentro dos sonhos, só agora me aproximei mais, agora que só resta a tua sombra.
  Ainda não encontrei palavras para descrever a dança das fadas, como também ainda não encontrei palavras suficientes para descrever o amor. Apenas te posso dizer que só o amor pode parar o ódio. Não devias ter temido dizer o que sentias, todos nós sentimos, não é preciso esconder, fugias do amor mas acabaste por o encontrar de frente.
  A janela estava aberta para que voltasses para ficar só comigo. Demoraste, mas percebeste que ao tentares esquecer quem amas, esqueces de quem és. Sabia que não mentias quando dizias que ias voltar, eu prometi não contar a ninguém que irias voltar, que irias crescer comigo, cumpri. Contei a tua história a todos, só ocultei o verdadeiro final porque há coisas que devem permanecer em segredo, mas no fundo sei que o mundo precisa de saber que não devemos tentar tornar-nos naquilo que não somos e nunca seremos e só tu sabes que há coisas das quais não podemos fugir, o seu fim é maior e mais poderoso que a nossa existência.
   Eu queria que as minhas lágrimas conseguissem mover oceanos, mas isso é impossível porque elas não passam de pequenas gotas de água que nasceram no meu coração e acabaram nos meus olhos. O meu sonho é que elas um dia sejam uma onda, talvez uma maré… e que levem com elas aquilo que o coração por si não consegue apagar. Mas o que importa sonhar e querer, se a realidade é o rochedo que a água nunca vai conseguir furar? A água pode deixar marcas mas nunca poderá alterar o rochedo, apenas pode modificar a sua forma. Há coisas que por mais que tentemos mudá-las serão sempre iguais, no fundo são essas coisas que nos definem, porque podemos navegar em vários oceanos mas não podemos navegar sem água. E se um dia pudermos navegar sem água, será que nesse dia poderemos dizer que estamos a navegar? Ou daremos um nome diferente a isso? Seria tal como mudarmos de personalidade, poderíamos olhar-nos ao espelho e reconhecer quem nos olha do outro lado?
   Na noite em que morreste senti que não era uma despedida, mas um até breve, por isso a despedida não foi mais difícil, apesar de as despedidas serem sempre difíceis. Sei que as nossas lágrimas e as nossas crenças podem tornar alguém eterno, tu és eterno dentro de mim. Quero que saibas que a solidão é triste e desesperante!

Até Breve Peter,
O meu beijo será sempre teu,
Eu serei sempre tua.
Wendy


(Esta carta é muito especial para mim, visto que a escrevi para um concurso de escrita do qual ainda não são conhecidos os resultados.)
Fy
Enviado por Fy em 08/09/2005
Código do texto: T48818
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Fy
Portugal, 27 anos
2 textos (412 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 02/12/16 18:36)