CapaCadastroTextosÁudiosAutoresMuralEscrivaninhaAjuda



Texto

Carta interminável a um amigo distante



Maio 2007

Querido Amigo,

A vida é feita de chegadas e partidas,
brindemos ao tempo de felicidade
em que você ancorou aqui.
Cada momento ao teu lado
eu sei que jamais esquecerei.

E para que você não me esqueça,
eu te escrevo essas minhas linhas,
que vai derramando ternura...
Só para te dizer meu querido
de todo meu doce querer.

Nesse nosso mundo gigante,
mesmo que tão passageiro
foi doce o nosso encontro.
Eu guardo no coração
as coisas que você me deixou.

Mas, se o mundo é gigante,
é feito de muitas voltas,
e nessas voltas do mundo
quem sabe Deus não permita
novamente te encontrar?

E quem sabe dessa vez
possamos nos abraçar?
Eu sorrir no seu sorriso,
me encontrar no seu olhar,
do além mar você chegar!...

Mas, por em quanto meu amigo,
vou tecendo nessas linhas,
todo o bem que eu te desejo
nessa sua caminhada,
em que segues pela vida!...

Meu querido amigo errante,
condutor de um mundo retratado
em letras, versos e canção,
pegaste esse legado
de divulgar emoções.

Mas, além dessa proeza,
você com sua beleza
fez-me voltar a pensar
na vida com mais clareza.
Eu devo a você esse trago de viver!...

Interessante como a distância
não impediu você meu amigo,
de derramar seiva em meu viver.
Você me fez resgatar até
lindas canções de amor.

E agora, te esquecer é impossível,
eu te quero grande bem.
Estou juntando pedaços
do meu passado bonito,
nas canções que você me deixou.

E quando a saudade aperta,
eu cá da minha janela, te procuro,
sei que vou te ver, mesmo distante passar,
então aceno minha mão
quando te vejo além mar.

Essas linhas que te escrevo,
se eu deixar viram um livro,
do tanto que me deixaste
de belo e de infinito,
no tempo que aqui ancoraste.

Quando penso que aqui,
nesta Cidade nasceste,
na juventude viveu,
ah, como eu queria
ter te encontrado nesse tempo.

Encontrar-te não só numa esquina,
mas sim você e eu na vida,
e vivermos a alegria
de brincarmos de viver.
Eu ia cuidar de você para nunca ter que perder.

Nessa hora então me lembro,
das coisas que me falou,
das fantasias bonitas
que fizeste para nós dois,
tão puras e tão luminosa!...

Logo vem a primavera,
com ela seu aniversário,
quem sabe nele novamente,
nas voltas que o mundo dá,
com você eu possa estar.

E ai do além mar,
você possa ouvir eu cantar:
- Parabéns para você
meu amigo tão querido...
Devaneios dessa amiga,
que com saudade de ti está.

Meu amado amigo errante,
assim é nosso destino
de chegadas e partidas,
de muito sei e não sei.
Doce, sei é o meu querer!

Por isso a ti escrevo,
para levar a você
o que vai no meu coração,
que sente muita saudade
do seu carinho fraterno.

Eu sou meia piradinha,
adoro declarar para o mundo,
esse amor que transborda o peito,
por todos que no meu coração mora.
Você já tem morada eterna nele.

Eu amo amigo a vida,
amo a nossa natureza,
amo o nosso criador
e todas as criaturas.
Por isso exalto a ti!...

Te amo, querido amigo!
No meu consenso de vida
amor é o dom maior,
nele só existe união
e é livre de prisão.

Por isso, mesmo sem entender
essa sua ausência de mim,
eu aceito o seu mandamento
e te gosto eternamente.
Você, é meu Dom!...

Por isso te estendo a mão.
Se um dia precisar
de ternura e amizade,
minha mão pode pegar
e no seu peito guardar.

Essa carta ficou grande,
já sei que ela não tem fim,
por isso já vou parando
sem despedida de ti.
Afinal nas voltas do mundo...



Bom, agora me vou, continuo depois a carta, se você conseguiu ler ela até o final, por favor deixa um oizinho, dizendo se continuo a carta ou que ela está um porre e não tem nada haver...bjus no coração




Glorinha Gaivota
Enviado por Glorinha Gaivota em 29/05/2007
Reeditado em 30/05/2007
Código do texto: T505070
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre a autora
Glorinha Gaivota
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
777 textos (34348 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 01/09/14 20:27)