Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Gritar

Gritar esta agonia como o brandir de espadas, outrora forjadas.
Mostrar o quão poderosa pode ser a mão do homem
E quão destrutiva se torna a tua ira
Mentir, mais? A vitória deste jogo sádico, já foi definida.
O confinamento da alma faz coisas estranhas a quem já perdeu a chama ardente.
E, é inútil tentar prever o final. Pois o fim já se configura lenta e miseravelmente, no presente.
Eis que o tempo de olhar pra traz extinguiu-se
Relembrar os bons tempos não poderá ser mais um refúgio
Com o passar do tempo, os devaneios se tornam mais distantes, já que lembranças nunca foram baluarte para homem algum.
Só resta esperar que a treva se torne suportável. Pois não há esperanças de um novo alvorecer
E beber da ira dos homens, como os demônios assim o fazem.
Neste mundo podre, a esperança é apenas continuar a se rastejar como um verme que fora pisoteado.
E lutar até a morte pelas últimas migalhas de vida.
Tornando-se visível os pequenos componentes que formam a massa corruptível,
Que se torna justificada pelo fato de que o bem nem sempre é o caminho mais conveniente.
Desespero.
O primogênito, e herdeiro de um sentimento negativo muito mais corrosivo: Medo!
Ajoelhando-se diante das vaidades de um “Senhor”, que mostra a névoa não mais densa que a maldade dos puros.
Nesta noite... Venha, e mostre a verdade escondida por traz destas tuas “boas intenções”
Este teu frio me possui.
Bruce Santos do carmo
Enviado por Bruce Santos do carmo em 20/09/2007
Código do texto: T660897

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Bruce Santos do carmo
Uberlândia - Minas Gerais - Brasil
6 textos (517 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/08/17 05:51)
Bruce Santos do carmo