Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A minha amada (resposta)

Resposta da carta 
Por Elio Candido de Oliveira.



Eu às vezes me preocupei com você, meu peito também clama esse amor, que agora me confessas. A dor forte que se chama amor, com certeza dói, e dói no peito.O coração acelera, e clama pela distancia que me encontro de ti. Mas tenho para mim que há algum progresso entre nós. Já temos a coragem de dizermos dos sentimentos. Precisamos agora retirar dos corações a magoa, que
ainda possa existir. E num ponto continuar a dizer. Nos amamos em vez de te amando como diz.Pelo contrario a minha coragem nunca repulsou em meu peito, ela apenas esperava o momento de gritar por você, dizer que o amo. Falar de sintomas de amor e de amar. Das reações de nossos corpos, das nossas insônias. E ainda pensar que às vezes mesmo tendo a certeza de que não se encontrava. Eu a via em imagens distorcidas inquietas sem precisar se era mesmo você. Quantas vezes gritei seu nome. Quantas vezes chorei. Mas agora o alivio, pois posso dizer dos meus sentimentos Desta que declaras teu amor em resposta eu posso relatar e muito mais, dizer que o amor que sinto é muito maior. E agora toma proporções muito mais gigantescas. E a partir deste momento continua a doer, a machucar, só que é uma dor que provoca: Em vez de dor saudade: em vez de dor presença; em vez de dor alegria; em vez de dor a coragem de dizer você sempre foi e será o amor de minha vida.Há definição sim, é o amor que transcende da vida, desta e de outras que vivemos e com certeza nos amamos. Cometer loucuras por amor, por este amor que nos encanta é normal. E assim é o amor. Dizer eu a amo, e que me amas é mais do que palavras. Pois sabes que nossas atitudes, nosso dia a dia diz muito mais do que mil ou um milhão de palavras, fazemos pela vida a correção do solo fértil deste amor durante nossas vidas. Neste mundo que procurávamos sonhos mesmo em criança, e hoje sonhos de amor. Amo-te.Eu mais ainda estou a lhe convidar. Estou a chamar, estou a implorar, e se preciso grito, preciso-te dizer que o amor que sinto por você é amor alem da vida.



Com amor...

Ilia Noronha
Enviado por Ilia Noronha em 07/10/2007
Reeditado em 09/10/2007
Código do texto: T684735
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Ilia Noronha César Neta). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Ilia Noronha
Manaus - Amazonas - Brasil, 33 anos
609 textos (49720 leituras)
7 e-livros (3258 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/08/17 05:12)
Ilia Noronha