Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

À minha avó... A melhor no mundo... A melhor no céu...

Por vezes sinto-me derrotada... derrotada pela vida! Sinto que caí da escada da vida e fiquei bem lá no fundo. Estou num mundo tão escuro, tão solitário, que não sei em que rua devo parar! Parece que tudo à minha volta se afastou, quando eu pensava que tudo girava em torno de mim... Sem sentido, sigo um caminho de veredas tortas, pedregoso...


Os dissabores sempre me acompanharam durante a vida, mas sinto-me fraca e cansada para ultrapassar este... Como se uma necessidade fosse de chorar pela perda e estagnar no tempo... Relembro os meus momentos de infância e tu sempre estavas lá... Porque não relembrar-te o resto da vida, mesmo que a ela só pertenças em forma de recordação?!? As noites que passamos juntas, em que olhavas para mim, em que falavamos ou em que simplesmente nos calavamos para podermos ouvir os gritos das nossas almas inquietantes.... ou aquelas em que eu estava doente e tu não conseguias dormir com medo que eu me sentisse mal ou que reclamasse por um miminho...Espero que tenhas reparado que tal como tu, eu também estive ao teu lado, no passado, no presente e no futuro... Apesar de já não estares aqui connosco, todas as noites sinto um leve roçar na cara... Roçar esse, que associo logo ao beijo de boas noites que nunca te esqueceste de me dar...

Logo no único dia  de manhã em que não pude ir ver se estavas a respirar nem pude dar-te o típico beijo e xi-coração de bom dia tu partiste... Seria para não me magoar? Não acredito... Magoaste-me mais... Foste embora sem sussurrar um único adeus... Todos os problemas que tive, tu estiveste sempre por perto para me ajudar e me orientar... Tive-te muitas vezes mas, de qualquer modo, eu quero mais... Os meus sonhos de lendas e fantasias foram destruidos pela crueldade da vida, perdi a minha paz algures pelo caminho... A vida está a empurrar-me demais para baixo e eu estou a deixá-la vencer! Agora não há mais nada para mim...só o fim!!! Perdi tudo dentro de mim e fechei-me a sete chaves de modo a que ninguém possa derrubar ou abrir o portão de ferro que a minha alma é! Sei que não querias que fosse abaixo por causa da tua partida, mas tu significas imenso para mim, não poderia ficar de outra maneira!! Apesar disto tudo, tenho que agradecer a alguns amigos meus que estão sempre por perto para não deixarem que uma lágrima minha role pela cara abaixo...

Hoje um pouco mais calma(ainda só passaram 5 meses), mas não conformada com a tua partida (a teimosia que tu tanto adoravas em mim) tento pensar de outra maneira e todas as noites sussurro o meu modo de pensar dentro do teu quarto: " Se Deus não te quis aqui na terra é porque precisava de ti no céu...para seres um belo anjo... quem sabe o meu anjo da guarda..." , de seguida aconchego-me nas tuas coisas e choro como um bebé...
 
                    Despeço-me com mil e um beijinhos desta tua não sempre mas para sempre pequerrucha* * * *
                                 
                           Saudades avó...

 
Paula Barros
Enviado por Paula Barros em 10/10/2007
Reeditado em 10/10/2007
Código do texto: T688140

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Paula Barros
Portugal, 29 anos
10 textos (930 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/10/17 12:58)
Paula Barros