Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Palavras...

São só palavras, eu sei, mas não sei mais como continuar sem você.
Sei que prometi não sofrer e nem chorar, mas não pude resistir
Meu coração já dói, e eu não consigo parar...
Eu preferi deixar a porta entreaberta, eu sempre espero você voltar, e não me importa se vai demorar, estarei no mesmo lugar te esperando...
Quero estar, pra te ajudar a desfazer suas malas e te ouvir contar das aventuras que viveu longe de mim, quero te ajudar a guardar as roupas de novo no armário e te dizer que agora posso sorrir, você está de volta...
Tinha tanto pra te contar mas nem sei por onde começar e prefiro te deixar falar, me dói ouvir que beijou outras bocas, que dormiu em outras camas, que amou outros corpos...
Mas me alivia saber que preferiu voltar e que dessa vez eu sei pra ficar...
Sei que prometi desde que partiu não chorar nem um dia se quer, mas me lamentei todos os dias a sua perda, me fez mal a sensaçãod e perca e minhas lágrimas escorriam pelo rosto cheio de marcas semq ue eu conseguisse segurar...
Sei que jurei por Deus, e nunca se deve jurar assim, mas jurei não sofrer, mas todas as madrugadas a solidão vinha me apresentar a asaudade e no mesmo instante você era o mundo em que eue em torno girava.
A verdade é que nossa despedida foi só sua, minha despedida foi no dia em que decidi ficar...
No dia em que decidi que a porta sempre ficaria assim e que eu ainda iria te ver por ela entrar...
Eu nunca mais consegui tirar os móveis do lugar, eu preferi deixar a casa do mesmo jeito que você arrumou da última vez que esteve nela.
A nossa cama, até agora  minha se encontra no mesmo quarto, onde paredes presenciaram nossas noites inteiras...
E quantas saudades, quantas mágoas, quanta espera, quanta falta de mim nesses momentos de solidão.
E agora você de volta, o que fazer??? Não posso fingir mais, te esperei por muito tempo, tempo esse aliás que quase me matou a alma...
Mas aqui está você, na minha porta de entrada, na minha boca molhada, na minha alma cansada, na minha cama de lençóis e fronhas amassadas.
Aqui está você, no meu corpo agarrado, na minha cintura envolvido, na minha pele tatuado, no meu desejo querido...
Aqui está você afinal, não me importa por quanto tempo e nem se por um tempo, me importa matar a saudade agora, amanhã é outro dia quem sabe serei feliz?!?!
Nathalya Etchebehere
Enviado por Nathalya Etchebehere em 10/10/2007
Código do texto: T688704

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Nathalya Etchebehere
Ribeirão Preto - São Paulo - Brasil, 33 anos
253 textos (23034 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 16/10/17 20:45)
Nathalya Etchebehere