Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

LUCIANO HUCK


LUCIANO HUCK, saúde, extensivo

Acabo de ler sua entrevista na VEJA.  Receba minha solidariedade e desejo expressar o meu repúdio ao seu agressor, sobretudo aos que lhe agrediram usando as armas da linguagem escrita.  Todos estão no mesmo nível. O que lamento profundamente é uma personalidade pública como você que dedica o seu programa em ações exclusivas para o bem e de forma educativa, que mantém programa de assistência social às suas custas, seja alvo de um assaltante. Conhecemos casos de artistas famosos, após ser reconhecido pelo bandido este recuar em sua má intenção porque eles também têm ídolos. Com certeza houve um lamentável engano do meliante.
Conforme-se e mantenha seu propósito de não se intimidar. Mantenha o sonho real da pátria mãe gentil onde o Joaquim e o futuro Vinicius possam desfrutar a felicidade, o Brasil berço de Deus, acredito que sim porque um país dadivoso como é o nosso só pode ser pátria divina. O povo precisa de gente de sua estirpe para o defender. Chego a ponto de acreditar que os asseclas do assaltante tenham repudiado o seu gesto. É possível que o Amigo até receba seu relógio de volta, por algum meio.
Assisto e deixo até de sair às tardes do sábado para não perder seu programa. Não por ser seu fã, pois tenho mais de 82 anos e sim pela qualidade que ele apresenta. Meus parabéns. Você, eu e talvez 50% da população já fomos objetivos de meliantes. Isso não é só um mal do Brasil. É porque “pimenta nos nossos próprios olhos arde mais.”
Há 4 anos, bolei um plano de combate aos crimes baseado no lei física Ação x Reação. O enviei ao toda mídia e aos governantes, além de transmitir a idéia pela Internet, fiquei frustrado porque só de uma Ong recebi aprovação. Não tive oportunidade de manter contato com gente do seu nível profissional e que faz tanto sucesso na mídia televisiva. Não se trata de algo mirabolante e nem inexeqüível. Não pretendia combater diretamente o bandido e sim, criar estruturas para evitar que os jovens chegassem a banditismo. Como?  Usando simplesmente a poderosa e imbatível força da mídia, principalmente a televisiva, realmente a maior formadora de opinião. Em síntese o plano é o seguinte: Congregar toda a mídia, Ongs, todos os governos, comércio e indústria, etc., povo em geral, para se juntarem numa ação publicitária educando os jovens (desde crianças) para se afastarem das drogas e todas as ações violentas para não terminarem desgraçando suas vidas nas grades de uma degradante prisão. Demonstrar-lhes que realmente o crime não compensa. Digamos um quadro publicitário na TVassim:
De um lado o “paraíso” e do outro, o inferno (representado por presos pendurados das grades das prisões implorando ajuda) . Indagação: Qual o lado que você prefere? A mesmo na publicidade das “orelhas” da mídia escrita, em anúncios da mídia falada. Em papeis e sacolas de embalagens, Etc.etc. Por estes detalhes você pode aquilatar o plano. Custo de tal publicidade?  Criação de um fundo de participação de todos e sob a gestão de 7 componentes dos órgãos participantes, em trabalho voluntário. Quando lancei o plano o fiz procurando um Líder, apelei para os dirigentes de TV, governos, nomes de proeminência nas classes produtoras como Abílio Diniz e outros. O sr. Abílio Diniz alegou que já fazia seu plano particular. Quem sabe se você, Amigo, com o seu dinamismo não seja esse Líder? Você sabe a força da publicidade. Deus escreve certo por linhas tortas. Quando ao jargão Ação x Reação, nos foi ensinado pelo próprio Jesus:
“Pedro, embainha tua espada. Quem com ela fere com ela será ferido.”
Uso este meio esperando fazerem chegar a você. Tentei diretamente mas não foi possível.
Iran Di Valencia
Enviado por Iran Di Valencia em 15/10/2007
Código do texto: T694621
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Iran Di Valencia
Recife - Pernambuco - Brasil, 1092 anos
767 textos (76583 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/10/17 21:16)