Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Cartas que não foram lidas I


Oi menina, tudo bem por ai?
Não sei se você sabe,
Quando a saudade aperta
Às vezes nos deparamos
Olhando para um ponto perdido, sem entender nada!!!
É como me sinto, na maioria das vezes
Quando me vem a sua lembrança, sabe menina!!!
Às vezes relembrar dói muito;
A gente fica se perguntando e questionando
Tudo aquilo que deixamos de fazer
Na busca da felicidade.
Há muitas algemas que nos prende,
Que não nos deixa voar...
Mas a vida prossegue, de forma que,
A cada dia que passa, mesmo sonhando,
Estamos em busca dos nossos objetivos;
Onde, muito das vezes, temos que excluir
Tantos e tantas coisas que gostamos...
Nos desprendendo do que é nosso,
Do pouco que temos, para fugir e voar,
Como aves migratórias
Fugindo de uma estação para outra.
Parabéns menina!
Deus te cuide e tenha vida longa,
E que alcance os seus desejos sempre;
E na inclusão dos seus sonhos
Quero sempre estar.
Mesmo que te alcance os pensamentos.
Dos bons momentos que passamos juntos;
Por ocasião dos momentos loucos que construímos,
A partir da nossa vontade e dos nossos impulsos.
Muito amor e paz para você.
E, à todos que aí estão, entendam.
Que a família confraterniza sempre junta,
Mesmo que a distância os separe.

Vicente Freire – 22/02/2004.
Vicente Freire
Enviado por Vicente Freire em 16/10/2007
Reeditado em 30/05/2008
Código do texto: T696638

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Vicente Freire
Belford Roxo - Rio de Janeiro - Brasil, 63 anos
280 textos (22901 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/10/17 14:16)
Vicente Freire