Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

PARA RESOLVER SEU "CASO DE PAIXÃO MAL RESOLVIDA"

Querida Amiga,
Diante do que você me relatou, sobre essa imensa paixão tão antiga e  mal resolvida, você só tem uma saída, escreva, sem tirar, nem por o seguinte:

“Chega de Brincadeira. Você agora vai passar por uma Prova de Fogo:

          Não é mais possível levar avante essa “brincadeira”, ou melhor, essa ”história sem pé nem cabeça”, que ameaça mais uma vez adentrar minha vida e alterar o meu ser, com toda essa energia estranha que volta a  me incomodar. Ontem (maldita ou bendita sexta-feira), foi um horror!!!!!!  Pelo amor de Deus, não finja que NUNCA PERCEBEU, pois me sinto a própria Bandeira do Brasil no Desfile de Sete de Setembro. Inclusive creio mesmo, que as inúmeras historinhas que me contaram sobre suas eventuais “galinhagens”, foram a mim relatadas, só  pra me sacanear. (Mania de perseguição?!!)
           Não sei até que ponto você se dá conta da extensão dessa “nossa tão longa amizade”. Hoje resolvi fazer uma avaliação de tudo, ou talvez do nada, aquele que não inspira, não acalma nem aflige..., sob o meu ponto de vista, para ao final questionar sobre  possibilidades e  impossibilidades:
       1- Você é super inteligente, não é bobo e deve saber muito bem que o tal “Quase” aconteceu há muitos anos atrás, no início dos anos 90. (Ou então eu sou mesmo muito burra e platônica e não entendi ou não me fiz entender)
2- Você sabia tudo que estava rolando comigo e podia, a partir das mensagens implícitas (eu era bem menos incisiva), perceber claramente que decisão eu tomaria diante de tudo que rolava, mas...
Você  estava em outra e não rolou, ficamos no quase...
3- Você casou, se mudou, não me deu seu endereço, teve filhos, foi, é ou será feliz com a vida que escolheu (nunca soube de sua vida, de seus particulares, como você sabia dos meus... Se bem que até admiro essa sua discrição. Parabéns!);
4- Você sabe muito bem que, embora tendo deixado estática a mesma situação de outrora em minha vida e nenhuma decisão tendo tomado a fim de alterá-la (por motivos diversos), continuo fazendo jus à fama que tenho, muito contrária à sua de galinha, pois jamais fui capaz de qualquer traição (fato público, notório, observado por todos e constatado até mesmo pelos “mais afoitos”, como pode até ser também  o seu caso),  mesmo porque,  verdadeiramente tenho  medo de virar personagem de alguma notícia trágica de jornal.
        Vamos colocar as cartas na mesa (Perdoe, mas com você eu preciso tirar a limpo):
   O que você sempre quis e o que é que está querendo agora, depois de tanto tempo?
(Nossa, parece até aquelas perguntas que são feitas em sessões espíritas, aos que já partiram e voltam a atormentar. Desculpe, mas parece mesmo!).
(Explicite melhor essa sua vontade de sair comigo),
pois  isso é muito vago para mim•...

Escolha a melhor opção e responda, mas se for “NRA”, explique, por favor:
 1 - Se for, para demonstrar pra alguém, ou para muitos, quem sabe todos, que é capaz de fazer se curvar à sua bela criatura, até mesmo a pessoinha aqui, não precisa mais se esforçar, eu mesma faço o trabalho de “espalhar pra toda a torcida do flamengo” que você já me comeu (Nossa, que grosseira eu sou!), foi maravilhoso e digo até que você é o máximo, embora continuemos para todo o sempre no Quase, no plano virtual, sendo sempre bons amigos.
2- Se for uma questão de EGO, fique tranqüilo, você  pra mim É O MÁXIMO MESMO!  É tudo de bom, além de ser lindo, esplendido e maravilhoso. Pode ficar tranqüilo de verdade, que você  já me “Deixou de Quatro” há muito tempo! (Isso não é grosseria, certo?) Então ficaremos novamente no plano virtual. E se você  quiser, também espalho esse fato pra todos. Quer?
3- Se for só dar “umazinha” pra saber o gostinho da “minha” (Nossa, de novo, como sou grossa!), olhe em volta e encontrará, com certeza, melhores opções (sem querer me depreciar) e, portanto, me poupe!  Inclusive, se for o caso, sendo sua grande amiga, pago uma bela gata da Play Boy pra você  se divertir, como presente de Natal  e, mais uma vez continuaremos no plano virtual, pois in casu, para mim,  não vai dar, e nem tente me ludibriar, pois de burra nem meu cabelo!
4- Se você quiser, apesar de tudo, apesar do nada, apenas me conhecer melhor, tudo bem, vamos nessa... Tenho todo o tempo do resto de minha vida para satisfazer sua curiosidade... Vamos nessa... Sempre Virtual...Quem sabe um dia... Vou tomando meu calmante  pra não queimar nosso filme na Praça.
               Agora, se for uma questão de ENERGIA, assim como essa minha que volta a aflorar e chega mesmo a incomodar, vou ter que primeiramente, pedir proteção a Zeus, pois Deus não vai querer me perdoar e então, farei milhões de orações aos Céus para não queimar no mármore do inferno, mas, sinto muito:
Desta vez, não abrirei mão por mais nenhum segundo sequer de sentir essa enorme explosão que haverá e...  Que se cuidem as demais partes interessadas, pois se eu entrar nessa história, embora, digamos, esteja pouco exercitada nesse tipo de coisa, não vai ser pra perder ou dividir o primeiro lugar. Sou sempre muito dedicada, talentosa e esforçada e sei que não vai ter pra mais ninguém, meu querido amigo “com fama de galinha” (Não é o que eu penso, OK?) e vida doméstica, como direi, tão... Discreta, ou diria melhor...Secreta (É o que penso... e acho até legal que seja assim). Muito cuidado, portanto, com essa opção. Até porque, como lhe disse anteriormente, não sei se será possível eu NÃO embandeirar... Sou mesmo um horror! Melhor, talvez, desistir...
  Então, por favor, assim como eu, você  deve colocar suas cartas na mesa e não me deixar mais em “Standby”.
  Se quiser fazer parte das mudanças que já lhe disse, se operariam em minha vida, de querer  e ter  tudo que me julgo merecedora,   fale agora, ou se cale para sempre e nunca mais volte a me provocar!
 Se escolher alguma das demais opções antes mencionadas, eu prometo que cumpro qualquer delas ou todas: Espalho a notícia mentirosa! Pago uma gatinha da Play Boy! Vou tomando meu CALMANTE  por mais uns dez aninhos (se é que vou durar tanto tempo, consumindo tanto tabaco). Faço o que você quiser, mas não volte a me lançar “nenhuma energia estranha no olhar” e em consideração à minha grande Amizade, não fique me chamando pra “sair com você”.  Sair pra onde? Sair pra que? Deixe-me em PAZ.
(Digite seu nome)  (Versão 2005, atualizada)
         RSVP (Clareza e concisão na resposta. Se precisar de subsídios, estou pronta a fornecê-los, mas não contemporize, que eu tenho mais o que fazer, inclusive, se for o caso, providenciar um afastamento temporário para, mais uma vez, de novo, outra vez, deixar esmaecer essa tal energia que rola de novo em meu ser!).”


  Mande essa mensagem para Ele e depois me diga o que aconteceu.
Um grande beijo e boa Sorte!!!

Clara Nogueira
Enviado por Clara Nogueira em 13/11/2005
Reeditado em 11/07/2008
Código do texto: T70882

Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Clara Nogueira
Guapimirim - Rio de Janeiro - Brasil
12 textos (1338 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 23:33)
Clara Nogueira