Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Ao Amigo Distante.

Porto de Lima, algum dia de Novembro de algum ano da era Cristã.

Caro amigo,

Um par de oliveiras cresce no meu jardim. Lembras que foste tu que as plantou comigo quando viestes aqui pela última vez? Estão bonitas e vistosas e economizo azeite de vez em quando. Mas não te escrevo para falar delas e sim para te dar boas novas sobre minha vida, ou melhor, dizer-te que tudo que previstes da última vez que nos falamos se tornou realidade.

Dissestes a mim que apesar de todas as desilusões que tive com mulheres nesta minha vida miserável ainda me apaixonaria por alguma e, apesar de saber que estava certo, desconversava e dizia que mulheres nunca mais! Ora, que tolo e ridículo fui! Onde já se viu homem como eu dizer algo assim! Apaixonei-me sim e não nego. Sinto-me na flor da idade como nas nossas épocas de farras e andanças, mas sem aquele pique que tínhamos, claro. Quando você se apaixona, amigo, não importa a idade que você tenha, não importa quantas mulheres já caminharam pela sua vida, você sente vinte ou trinta anos mais jovem. A única coisa que importa para você é sua amada e apenas isso. Não sou mais nenhum menino para ficar pensando feito um tolo e ficar abobalhado toda a vez que me dirijo a ela. Para falar a verdade sou um dos seus melhores amigos e luto para que seja mais que isso.

                                            ***

O nome dela não te interessa, muito menos como ela se parece, mas a beleza dela surpreende a qualquer pessoa que passe ao seu lado. Não é uma beleza comum, daquelas que se vê em qualquer bordel parisiense, mas também não é uma beleza incomum de deusa grega. É uma beleza dela, não exótica, mas misteriosa, rosto e corpo em perfeita sintonia. Imagine todas as comparações que você pode fazer com isso! Poderia escrever páginas e mais páginas descrevendo-a, mas quero usar isso como pretexto para que venha me visitar e vê-la. Ah, amigo... Se soubesses o quanto esta mulher me encanta, o quanto tenho vontade de tomá-la nos braços e beijá-la, de acariciar seus cabelos e beijá-la mais uma vez, amá-la como se o mundo estivesse acabando sob os nossos pés.

Mas o que mais me impressiona nesta mulher é sua força. Conheço muitos homens de coragem, de força e de fibra. Mas mulher que tenha as mesmas qualidades, coragem de peitar qualquer um que lhe prejudique, homem ou mulher, força suficiente para viver nesse mundo machista e desprezível e sangue frio para poder superar qualquer adversidade que venha na sua frente e ainda ter a meiguice e carinho feminino que superam muitas mães e irmãs que tenhamos, como essa mulher amigo, nunca vi.

Claro que se apenas citasse suas qualidades não a descreveria verdadeiramente a ti. Como todas as pessoas neste mundo ela tem defeitos. Junto com sua força vem sua teimosia e um pouco de arrogância feminina, mas isso dá mais charme e essência a ela. Não a amaria se ela fosse perfeita.

Mas nenhum romance é romance sem suas dificuldades e as minhas são muitas.

Por ela ser toda essa mulher que te disse eu não sou a única pessoa que está apaixonada por ela. Existe uma concorrência, quase desleal, pelo seu coração. Como toda a mulher que se preze, ela tem seus anseios, seus sonhos, suas dúvidas e seus problemas e existem pessoas que podem realizar seus sonhos mais que eu, existem pessoas que são mais bem qualificadas para dar a ela uma vida materialmente confortável e convenhamos que não só de palavras de amor e flores vivem as mulheres. Nesse momento da minha vida não posso garantir conforto e riqueza a ela, apenas todo meu amor e carinho e garanto a ti que não são todos os homens que podem dar isso. O máximo que posso prometê-la é um bom futuro, futuro que para mim é certo como dois e dois são quatro, mas sem nenhuma garantia para os outros, principalmente a ela, de que vá realmente acontecer.

Mas creio que são essas dificuldades que me fazem ser um homem melhor. Encaro essa paixão como uma oportunidade evoluir, de me tornar um homem com ambições maiores, deixar de lado o automartírio e tentar ser mais bem sucedido, buscar novos e melhores horizontes, em síntese mostrar ao mundo e a ela que posso ser de alguma serventia.

Bem meu caro neste último parágrafo me despeço, quero dizer-lhe que vou lhe mandar mais cartas mostrando a minha evolução nessa paixão que aqui se instala. Espero que fiques bem e que me responda, seu bastardo! E venha também me visitar, o natal se aproxima e pretendo fazer uma bela ceia com os amigos, sinta-se convidado.

Um enorme abraço,
Saudades do teu velho amigo igualmente distante.
Eduardo Porto
Enviado por Eduardo Porto em 03/11/2007
Reeditado em 03/11/2007
Código do texto: T721803

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Eduardo Oliveira Porto Lima.). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Eduardo Porto
Fortaleza - Ceará - Brasil, 27 anos
2 textos (274 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 16/08/17 19:07)
Eduardo Porto