Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ACASO

Amigos?
Não. Amigos, não!
Inimigos então?
Não. Também não! Não se sente saudade de um inimigo (falo por mim).
Então o quê???
Vejamos: me deixa falar um pouco de saudade.
Saudade eu sinto, de coisas boas, de momentos bons, de pessoas...
Ah, talvez seja esse o ponto: pessoas. Não pessoas por inteiro, mas parte delas que fizeram, também, coisas boas e bons momentos...
Falo então da metade de você que sinto saudade:
Sinto saudade da parte verdadeira, da parte que não pode ser deturpada, da parte que não conseguiu esconder os sentimentos...
Saudade que se mistura com carência. Não a carência por falta de... mas a carência por falta da...
Para melhor entendimento: “Eu já tentei, fiz de tudo pra lhe esquecer... eu até encontrei prazer, mas ninguém faz como você”.
Não! Não se sinta assim tão poderoso. Isso não é uma particularidade e sim uma dualidade.
Como é bem do meu feitio, falo com honestidade dos meus sentimentos.
Seu sorriso já me fez muito bem (realmente me encantava), mas me chega nas lembranças com um ar de falsidade; seus olhos, hoje, me parecem traiçoeiros; suas mãos, apenas piedosas; seu abraço, não mais do que confortante.
Mas do que eu sinto saudade... Bem, foi a única coisa realmente verdadeira e espontânea e que não conseguiu achar desagrados nas lembranças.
Não! Não se sinta diminuído. Isso, também, não é uma particularidade. Não apenas...
Na verdade já pensei: se eu pudesse lhe encontrar com um saco na cabeça (escondendo o rosto) para não ter que lhe encarar e assim matar a saudade que ainda persiste, seria ótimo. Mas, no fundo (não tão fundo quanto à saudade), ainda gostaria de dizer e principalmente de ouvir algumas coisas.
E, então o quê???
Eu proponho uma trégua a saudade (falo por mim).
Talvez um acaso programado...
O resto... virou resto e ficou em - poderia ter sido...-

(Abr/2002)
Anne Alencar
Enviado por Anne Alencar em 18/11/2005
Código do texto: T73254
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Anne Alencar
Brasília - Distrito Federal - Brasil, 53 anos
30 textos (1374 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 20:20)
Anne Alencar