Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Me Deixe em paz

O que é que tenho que fazer para vocês pararem de me procurar? Saco some da minha vida já que eu sumi da vida de vocês, não perceberam ainda que não faço mais parte desse mundo de vocês! Porque é tão difícil de aceitar que eu fugi, para de mentir para as pessoas dizendo que me seqüestraram ou que eu fui assassinado, para de colocar cartazes procurando por mim ou anúncios em radio e jornais dizendo que estou desaparecido, porque não estou desaparecido, apenas sumi da vista de vocês, não quero que vocês me vejam mais, conversem comigo ou saiba coisas sobre mim,  não quero!
     Por que é tão difícil aceitar que nossas relações fraternais chegaram ao fim, não sei porque certas coisas são como se fossem inconcebíveis, estamos falando de nós seres humanos e para nos nada é surpresa, pode se esperar tudo da gente fazemos coisas lindas e horrorosas o tempo todo, nossa vida é assim mesmo, a vida é assim mesmo.
Já que não me deram a opção de nascer e eu apenas nasci, me dêem a opção de não viver, não viver com vocês pelo menos, pois não sou tão covarde a ponto de tirar minha própria vida porque ainda não sou tão fracassado a este ponto, pois admito meu fracasso temporário, não por culpa de vocês, não por culpa das minhas tantas burradas, por culpa de ninguém, as coisas são como tem de ser, se fiz o que fiz  porque assim era pra ser, as coisas só acontecem com a permissão de Deus e ele não permite o que por si mesmo não é permitido. Confesso que nos meus mais temerosos pesadelos me passou pela cabeça algumas vezes tirar me a vida, mas não, eu iria apenas usurpar me das condições que ainda tenho de me submeter para alcançar o alivio que pensei conseguir na minha morte. Para mim, não nascemos porque pedimos para nascer, mas todos que nascem envão não vieram, nem aqueles que ser quer fizeram um ano de vida, envão nada se faz, mas será o grande mistério de nossas vidas descobrir o propósito do nascimento antes da hora de nossa morte?
     Eu não sei, não sei qual propósito da minha vida, e não quero descrever a vida de ninguém porque uma vida só já é abrangente demais para minha pobre e vaga mente ousar se a discutir com quem quer que seja esse mistério indecifrável que é o sentido de nossa existência... Por enquanto peço apenas que me deixe em paz, preciso apenas de mim agora, não quero trabalho, nem dinheiro, nem casa, tudo que eu tive não me bastou para entender a tristeza e conhecer a felicidade, mas e que mais então um homem precisa ser feito para se manter de pé em meio a tanta desgraça, porque eu tinha casa, esposa, família, meu emprego minhas dividas, coisas comuns que todo mundo têm, mesmo assim essa ‘loucura’ temporária me alcançou  e hoje quero ser ninguém, viver invisível nesse mundo onde já fui alguém e ser alguém aqui não é o bastante para se encontrar aquilo que não e têm.
Thiago Paiva Moreira
Enviado por Thiago Paiva Moreira em 06/12/2007
Código do texto: T767005

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Thiago Paiva Moreira
Betim - Minas Gerais - Brasil, 30 anos
84 textos (23420 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/10/17 00:48)
Thiago Paiva Moreira